Pregação sobre Leviatã e o Mistério de Jó - Como evitar ações satânicas em nossas vidas?

PASTOR NÃO CHAME SUA INEFICIÊNCIA DE "VONTADE DO ESPÍRITO"

Na teologia somos filhos da reforma protestante européia, mas na organização de nossas igrejas somos bem brasileiros. Vai do jeito que dá! Fazemos como podemos! Somos rebeldes com estruturas e planejamento desde o berço pátrio. Os neo-pentecostais então, pensam que planejamento e organização são "camisas de força" do Espírito Santo. O neo-pentecostalismo buscou tanto a espontaneidade e a liberdade do Espírito Santo que qualquer reação de ordem, regras e organização tira a espiritualidade da igreja na cabeça dessa turma. Por isso hoje vivemos um "vale tudo” espiritual. Toda a atividade convive sem nenhuma organização, planejamento e objetividade.

Nossas reuniões são feitas num clima de resolver todos os problemas, em discussões infrutíferas, sem pauta ou tempo pré-determinado para os assuntos. Projetos começam sem planejamento e terminam sem conclusão. Não há objetividade no conteúdo, e nem reflexão nas falas. Não existem limites ou discussões de verba financeira, enfim…A igreja sofre principalmente de falta de eficiência. Muito esforço e pouco resultado em tudo! Já nos avisa a Escritura Sagrada que os descrentes são, de muitas maneiras, mais sagazes e sábios que os crentes (Lc 16.8 — pois os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz).

Pra amenizar creditamos à “vontade de Deus” nossos insucessos e falta de resultados. Dizemos algo como…”Deus não permitiu…” pra calar o medo e a culpa dentro de nós. Não somos eficazes na mordomia que Deus confiou a nós.  Por isso vemos organizações “seculares" darem show de resultados, crescimento e eficiência, enquanto assistimos calados e alienados a pífia influencia da igreja na sociedade. E ainda tem gente que é contra organização, pois ela “mundaniza" a igreja…Será?

Planejamento e organização possuem base bíblica. Vejamos:
  1. Deus planejou tudo e executa o seu plano (Is 46.9-11). 
  2. Ele deu ao homem o mandato de dominar a Criação (Gn 1.28) e de sujeitá-la, para sua glória. Tendo sido criado à imagem e semelhança de Deus, o homem é um ser que planeja também, mesmo em sua condição de pecador e mesmo com esta imagem afetada pelo pecado. 
  3. O homem, conseqüentemente, procura determinar metas e visualizar suas ações antes destas ocorrerem (Pv 13.19 e 16.9).
  4. Na esfera eclesiástica, Deus planejou, instituiu e determinou ao seu povo, debaixo da Antiga Aliança, toda a sistemática das cerimônias, requerendo obediência no cumprimento de todos os seus passos. Deus desejava, através dela, focalizar as atenções dos israelitas no Messias que haveria de vir e redimir o seu povo. Neste sentido, o povo foi ensinado a planejar e a organizar, em sua esfera, as festas e sacrifícios e existia considerável rigidez litúrgica, assim como sistematização e repetição. Nada de "qualquer um faz qualquer coisa, a qualquer hora", mas ações e obrigações definidas e todas relevantes ao enfoque central das práticas de adoração.
  5. Na esfera administrativa, a sobrecarga e a desorganização, temporariamente experimentadas por Moisés, quando todas as decisões e definições foram colocadas sobre seus ombros, foi prontamente estruturada por Deus, através da palavra sábia de Jetro (Êx 18.13-26). Deus fez com que um sistema de delegação e representatividade fosse rapidamente estabelecido, aliviando Moisés de uma tarefa impossível, permitindo que o grande servo de Deus se concentrasse na tarefa de realmente liderar.
  6. Deus não é, portanto, avesso ao planejamento e à sistematização da nossa parte, tanto mais porque ele próprio nos ensina que interage com a sua criação em seus tempos determinados (Ec 3.1-8), definindo, conseqüentemente, padrões de ordem e uma hierarquia de prioridades que devem nos auxiliar na execução dos nossos deveres, como seus servos.
Para poder ajudar nossos pastores e líderes de ministério proponho alguns “insights" na construção de uma mentalidade de mais eficiência.

A) Organização (igreja local, patrimônio) é humana; por isso mesmo é meio. Organismo (Igreja Espiritual, pessoas) é Divino; por isso mesmo é fim. A organização sempre serve o Organismo, nunca o contrário. A Organização é o visível e tangível, já o Organismo é invisível e transcende a localidade. Nem todos que são membros da Organização fazem parte do Organismo; e nem todos que fazem parte do Organismo fazem parte da Organização.

B) Deus não está limitado nas paredes de uma organização. Ele não é propriedade de nenhuma igreja. Nem mesmo da Evangélica. Do Organismo (Igreja), Jesus é o Cabeça. Embora seja importante a interação do homem com a igreja (organização), a sua relação com Deus não pode ser medida a partir daí. A atuação ministerial das pessoas extrapola a atuação na organização.

C) A liderança da organização (igreja local), deve ter cuidado quando tenta liderar o Organismo (Igreja Espiritual) a partir de modelos de gerenciamento organizacional. A organização deve ser a mais leve possível para não engessar o Organismo. É a organização que deve ser repensada para atender as demandas do Organismo, nunca o contrário.

CRISTÃOS OU CRISTAIS? Como lidar com meninos na fé?

É preciso dizer: Há crentes que reclamam de tudo, menos de suas próprias falhas. Nada está suficientemente bom para expressarem gratidão à Deus. Preferem bancar o incompreendido, procuram fazer o papel do Espírito Santo na igreja, suas discussões teológicas são contenciosas e tudo é sempre culpa do outro. São acentuadamente promotores de infantilismo espiritual. Nunca se submetem, nunca esperam o resultado, desacreditam antes de começar, não possuem um compromisso real com Deus e fazem o que fazem para serem reparados, não por convicção de seus chamados.
Confesso que perdi o dom de paparicar os bebes chorões. Parece que o cristianismo ficou “emo”, muito sensível, muito dodói. Pois postam suas frustrações nas redes sociais, evidenciam outros ministérios melhores que aquele onde estão, murmuram com todos, duvidam do caráter e da bondade de seus líderes, enfim são “florzinhas de Jesus”, infantilizados, “ameninados”, uma geração de moleques na fé!
Uma igreja não é saudável quando seus membros não são membros de verdade. A igreja não pode andar nas mãos de meninos na fé! Preferem palavra de entretenimento ao invés de Palavra de Entendimento. Não suportam a verdade, nem aceitam a autoridade. São meninos e meninas mimados. E pior, não conseguem entender que quando meninos lideram eles produzem mais meninos. E ai nos transformamos numa creche, onde as pessoas mais querem brincar do que buscar a  Deus.
Falo isso com pesar, meu texto não é uma crítica ou análise, mas um lamento constatado. Pois não sei se eles não compreendem que todas as dificuldades que enfrentamos hoje estão nos moldando para períodos turbulentos. Deus não quer florzinhas, mas Carvalhos de justiça. Gente forte, de ânimo reto e seguro, que confiam em Deus e que são colunas na igreja local. Que sustentam o prédio, mesmo quando ele está danificado em alguns pontos.
É de gente assim que Deus precisa. Os heróis da fé são homens que aguentavam "porrada" de todo o lado. Fico imaginando Jó, Davi ou Paulo cheios de “mi-mi-mis”. Se alguém não suporta, uma cara feia, uma palavra torta, uma fofoca ou erro do seu líder, como suportará a Grande Tribulação? Como suportará uma real perseguição à sua fé?  Como levará o Evangelho até os confins da terra? Pensem…e deixem pra trás as coisas de meninos!

10 COISAS QUE EU GOSTARIA QUE MINHAS OVELHAS SOUBESSEM


  1. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que o chamado ao sacerdócio é uma honra, mas extremamente difícil, e que necessito da intercessão e das orações de cada ovelha do rebanho ao qual Deus me constitui bispo.
  2. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que a responsabilidade de pregar a Palavra é grande, pois além de ouvintes somos "ensinantes" e duas vezes mais dignos de juízo que os outros.
  3. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que discernir a vontade de Deus não é uma tarefa fácil ou simples e por isso requer de nós momentos de isolamento e reflexão profundos para não sermos levados por qualquer vento doutrinário.
  4. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que mantenho o desafio de ter uma família, com as mesmas necessidades e problemas de qualquer lar, porém preciso da compreensão e apoio e não de críticas e julgamentos.
  5. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que em qualquer lugar que eu estiver eu sou um pastor. E tudo na minha vida converge pra isso, seja uma festa, um passeio, férias ou na fila do banco. Ouço cotidianamente, sempre pessoas pedindo ajuda, conselhos e orações. Mesmo quando todos se divertem eu preciso manter minha vocação à serviço em qualquer horário e tempo.
  6. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que eu também tenho dúvidas, temores, medos, dividas e problemas como qualquer ser humano, e que preciso muitas vezes deixa-los de lado para cuidar de problemas que não são meus, porque serviço no Reino é sempre colocar o outro na frente.
  7. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que quando as coisas não vão bem para o rebanho isso também afeta o pastor. E afeta ainda mais quando o rebanho, briga entre si ou mesmo fala mal um do outro, esquecendo que a bíblia diz que "a nossa luta não é contra carne nem sangue” e que tudo é “mais agradável quando os irmãos vivem em união”.
  8. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que poderíamos ajudar muitas outras pessoas, mas não posso obrigar ninguém a ajudar financeiramente mais do que quer compartilhar, pois sei que poderíamos aliviar muitas dores se fossemos mais desprendidos das coisas e amáveis às pessoas.
  9. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que a igreja é um lugar de pessoas doentes e que por isso teremos sempre dificuldades e obstáculos para lidar todos os dias. E que problemas entre as pessoas são mais comuns e normais do que pensamos ou entendemos. Afinal Jesus chamou os doentes e não os sãos.
  10. Gostaria que minhas ovelhas soubessem que amo cada uma com o amor de Deus, não com um amor carnal que obedece cobranças e demandas emocionais, e que encobre o pecado ao invés de corrigir, ou fica passando a mão na cabeça ao invés de ensinar, mas é esse amor que orienta que nos levará ao céu por toda a eternidade.

OS 10 MANDAMENTOS...SÓ QUE NÃO!


Vivem me perguntando se já assisti a novela gospel do momento. A série dos 10 mandamentos da Record? Disse que não assisti por total falta de tempo, e que apesar de gostar de entretenimento televisivo não vejo nenhum problema em quem assistiu, porém preciso ressaltar algo no mínimo curioso. A Tv Record pertence a maior multinacional brasileira em operação em mais de 105 países. Esta “igreja evangélica” comandada pelo bispo quebra todos os 10 mandamentos (Êxodo 20:3-17) quando:
  1. Fazem do dinheiro o seu deus.
  2. Criam ídolos e promovem falsos amuletos ungidos
  3. Usam o nome de Deus em vão em suas campanhas mercenárias.
  4. Exibem programas imorais em sua própria emissora.
  5. Acolhem a idéia do aborto.
  6. Apregoam que quem é pobre é maldito.
  7. Evidenciam a sensualidade em suas outras atrações televisivas.
  8. Se aproveitam das emoções alheias para extorquir ofertas.
  9. Transformam a pregação do Evangelho em Materialismo.
  10. Criam uma cultura de cobiça e ganância. 
Por mais bíblica que seja a série, ler a Palavra vai edificar bem mais a nossa vida.

CAFETÕES E CAFETINAS DA FÉ

O Apóstolo Paulo evidenciou as qualidades e características de vários homens dos últimos dias. Tempos difíceis que viriam sobre o mundo e a igreja na terra. Paulo diz: Saiba disto: "nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder. Afaste-se também destes." (2Tm 3:1-5).

O que assusta é o que no final do versículo Paulo avisa que estes homens terão “aparência de piedade”, isto é, homens que dizem respeito as coisas religiosas, que possuem uma aparência de devoção, de religião. Falsos crentes. Isso mesmo, cristãos “fake”.

Esses são aqueles que abusam da boa vontade das pessoas que acreditam, são aqueles que manipulam e seduzem outros cristãos imaturos. Vejam o que Paulo conclui: "São estes os que se introduzem pelas casas e conquistam mulherzinhas sobrecarregadas de pecados, as quais se deixam levar por toda espécie de desejos. Elas estão sempre aprendendo, mas não conseguem nunca de chegar ao conhecimento da verdade. Como Janes e Jambres se opuseram a Moisés, esses também resistem à verdade. A mente deles é depravada; são reprovados na fé. Não irão longe, porém; como no caso daqueles, a sua insensatez se tornará evidente a todos." (2Tm 3:6-9)

Entendo que essa realidade nos abre os olhos para o grande pecado que muitos líderes famosos ou não, praticam com a Igreja de Cristo e através dela. São agenciadores da fé, mercadores da esperança alheia. Vendem uma falsa idéia de relacionamento com Deus. São cafetões e cafetinas da Noiva de Cristo. Cafetões são aqueles que tornam pública, a mulher privada. Vendem prazeres místicos ao invés de ensinarem relacionamento profundo. Vendem momentos de êxtase ao invés de criarem raízes na Palavra de Deus. Vendem sexo com a noiva mediante uma quantia em dinheiro, ao invés de praticarem o Amor que tudo crê e tudo suporta!

São cafetões e cafetinas que negociam púlpitos, negociam cadeiras, negociam almas. Com seus ternos reluzentes, anéis de ouro e carrões de luxo. Vivem fazendo mau uso da sua responsabilidade como pastores e líderes. São rebeldes, resistem a verdade. São como Janes e Jambres, os magos de Faraó que encaravam a praticavam alta magia. Eles faziam coisas parecidas com Moisés, mas com outra motivação e com outra fonte de poder. Resistiam a autoridade de Deus. O Apóstolo Paulo é claro quando diz: “afaste-se também destes”.

Muito provavelmente você pode ter passado pelas mãos de um cafetão destes, e sofrido como Noiva do Cordeiro. Se sentido abusado e usado, vendido e maltratado. Mas saiba que o Rei  dos Reis está levantando neste tempo uma geração de libertadores, arregimentando um exército de homens e mulheres que trarão atendimento e entendimento para a igreja de Cristo, para a Noiva do Cordeira. E irá prepará-la para o encontro com o Noivo também nos últimos dias. Apenas posicione-se e afaste-se daquilo que não presta para o Reino de Deus.

O QUE UM PASTOR FAZ QUANDO NÃO ESTÁ PREGANDO?

Não sabemos o que um médico faz quando não está atendendo um paciente? Ou o que um professor faz quando não está dando aulas? Provavelmente faz o que a maioria das pessoas fazem quando não estão trabalhando. Agora, muitos acreditam que é fácil a vida de um pastor, por parecer que ele só trabalha quando está pregando. Mas o que pastores fazem quando não estão pregando? Muitos nem imaginam, mas pastores possuem cargos múltiplos.
Algumas pessoas só relacionam a vida de um pastor às atividades que acontecem aos domingos nas igrejas. Mas a vida de um pastor está muito além das atividades dominicais relacionadas com o púlpito. É claro que é extremamente importante a pregação e o preparo para a mesma, mas a vida pastoral exige muito mais do que a maioria das pessoas imaginam. Vou listar pelo menos 15 coisas que fazemos, quando não estamos pregando:
  1. Conselheiro: A grande maioria dos pastores fazem algum tipo de aconselhamento. Em grande parte, o curto tempo de ministração da palavra não é suficiente para ajudar as pessoas da igreja local, e os pastores precisam dedicar tempos à atender suas ovelhas de forma mais pessoal.
  2. Consultor de carreiras: Emprego e carreira são assuntos recorrentes no gabinete pastoral as pessoas. Os impactos profissionais de uma pessoa influenciam na sua capacidade de evolução pessoal. E isso sempre é um assunto importante para o pastor. Pra não dizer nas pessoas que estão buscando trabalho ou procurando alguém para contratar.
  3. Consultor de negócios: Líderes empresariais, geralmente buscam ajuda para  discernir suas decisões corretas. Grande parte deles buscam o pastor para orar e discutir suas idéias e até mesmo sobre novos empreendimentos.
  4. Supervisor de espaços: pastores fazem o papel de supervisão nas instalações da igreja. Mesmo tendo uma excelente equipe de manutenção, os olhos do pastor estão sobre os cuidados do espaço do culto, salas, banheiros e tantas demandas que se exige de uma igreja para atender bem as pessoas.
  5. Juiz de paz: Pastores ajudam na reconstrução de relacionamentos entre casais, pais e filhos e até mesmo sócios. Tentam trabalhar os problemas de divisão e intervém nas crises, exercitando os princípios de cooperação e perdão entre as partes.
  6. Assistente social: O pastor sempre é procurado para melhorar a qualidade de vida de pessoas que atravessam problemas financeiros e situações difíceis na igreja local
  7. Coordenador de voluntários: Todo pastor coordena os esforços mútuos de equipes para encontrarem a comunicação entre as partes e desenvolver projetos comunitários. 
  8. Gerente de Eventos: Todo pastor acaba supervisionando diferentes eventos, e entrando na discussão de detalhes e responsabilidades de papeis e necessidades.
  9. CEO: Todos sabem que Jesus é o “dono" da igreja, mas as responsabilidades administrativas  e gerenciais foram confiadas aos discípulos oficiais, seus pastores e apóstolos. Eles assumem a liderança e decisões estruturais.
  10. Headhunter: Um pastor precisa ter a sabedoria de montar uma boa equipe e precisa procurar suas “cabeças" pensantes para o melhor desenvolvimento do seu ministério. A busca desta equipe é um trabalho duro de “garimpo”.
  11. Contas a pagar e receber: Ministério precisa de dinheiro. E o pastor precisa ser o advogado das contribuições. Geralmente é um grande fardo para o pastor essa tarefa, mas ele precisa pensar de maneira mais macro em relação ao dinheiro e investimentos que o ministério exige.
  12. Instrutor: Pastores ajudam pessoas a encontrarem suas habilidades de alguma forma e fazer essa habilidade funcionar dentro de um ministério da igreja.
  13. Professor: A igreja exige que o pastor seja uma pessoa inteligente e que domine muitos assuntos. Há uma expectativa em relação a compreensão geral do pastor e que ele se comunique e fale bem em púlpito.
  14. Escritor: Existem muitos textos que precisam ser feitos para a igreja, sejam estudos, sejam boletins, sejam temas, sejam sermões, sejam livros, e até mesmo uma porção de emails para toda a igreja, é necessário encontrar tempo e inspiração em meio a toda a correria ministerial.
  15. Relações públicas: Todo pastor administra pessoas e precisa ser um comunicador eficiente. Fazendo com que a visão influencie outras pessoas. É um trabalho que exige amor e cuidado para poder influenciar pessoas. Por isso o trabalho pastoral vai bem atém dos serviços dominicais.

O ANO DO JUBILEU! (O QUE PENSO SOBRE O CENÁRIO DE 2016?)


"Farei do juízo a linha de medir e da justiça o fio de prumo." (Isaías 28:17) Acredito que este ano será um ano mais ameno, mais leve que 2015, para o Brasil. Apesar das graves especulações financeiras, não acredito que o juízo de Deus perdure em 2016 no Brasil, mas sobre o mundo sim, especialmente sobre a China. Neste ano que se inicia veremos o colapso na economia chinesa derrubar bolsas no mundo todo. Com certeza haverá uma recessão global. Mas sentiremos como todo o restante do planeta. Cada vez mais o mundo exigirá um “salvador" mundial. O terreno está preparado para o governo de sistema único. 

A Europa está sofrendo uma drástica mudança cultural. Os refugiados estão mudando os cenários políticos, econômicos e sociais de todos os países desenvolvidos. O euro vai ser derrubado, pois não aguentará a demanda para uma Europa sem lucros corporativos. Os riscos de inflação assombrarão o mercado e a Europa viverá uma crise de serviços como na segunda guerra mundial. Vemos também uma predominância muçulmana radical na Europa o que forçará a quebra de vínculos com Israel e o fortalecimento no Oriente Médio para um divisão do Estado Palestino, tomando parte do território israelense. O prefácio de uma possível guerra mundial a partir dai.

O Estado Islâmico se fortalecerá e tomará outros países do Oriente Médio. Financiados pela rica industria de petróleo árabe. O ISIS terá ainda amais audácia em seus ataques no ano de 2016 e novos ataques ao redor mundo acontecerão. Os EUA serão um alvo permanente e é possível que um ataque aconteça no Brasil nas olimpíadas de 2016.

A igreja conhecerá seus remanescentes. Pessoas que nunca foram convertidas de fato se desesperarão diante das circunstâncias que vem sobre o mundo. Abandonarão a fé e Cristo, tempos de apostasia. Estamos vivendo em uma época em que está sendo preparado o cenário visando os acontecimentos abrangentes para o “Dia do Senhor”. Apenas os que tiverem conhecimento bíblico e vida de oração prevalecerão, pois nisto consiste a nossa perseverança, em conhecer e continuar conhecendo o Senhor, através da Sua Palavra e da Oração.

Mas 2016 também é o ano profético do jubileu bíblico. Por isso todas as benção e todos os juízos serão exercidos pelo Senhor neste ano em sua potencialidade e expressão pessoal. É um mandato divino. Dívidas pagas, escravos livres, pessoas perdoadas. Ano de libertação e júbilo. Ano de socorro e auxílio. Mas também é um ano de evidências da verdade, da sinceridade, onde as máscaras cairão. Será um ano de muitos escândalos, e ai daqueles que fazem isso! Toda "verdade" paralela, de motivações erradas cairá por terra. 

Que Deus nos dê sabedoria, discernimento e revelação sobre as coisas que ainda hão de acontecer. Que tenhamos fé, esperança e certeza de que O Senhor está no controle da história mundial.