A emergência dos emergentes

Confesso que tenho lido muito sobre o assunto "igreja emergente", um movimento que vem tomando lugar dentro do cenário eclesiástico mundial.

Esse movimento carrega o nome "emergente" depois da igreja, e isso me leva a entender que a idéia central é de uma comunidade que emerge de outra comunidade. Quem sabe a "Igreja" por trás da "igreja". O fato é que a idéia me agrada e me faz pensar novas possibilidades de dialogar com o mundo, afinal essa igreja emergente nasce para uma direção e relação completamente oposta daquela usualmente apresentada, pois vinho novo em odre velho e vice-versa, só promove problemas, e deles a igreja e o mundo estão cansados.

No começo do cristianismo, houve a introdução de um discurso com uma nova temática que colidia diretamente contra o império reinante, fosse ele quem fosse. César, Mamom ou Caifás. O espírito da liberdade permeava todos os discursos. Aliás liberdade é a máxima do cristão. Lutero que o diga! A igreja emergente sempre emergindo...

Feuerbach comentou "A religião é um sonho da mente humana". Ele estava certo, pois hoje a linguagem continua sendo completamente diferente da prática. Sonho faz parte do terreno do mundo encantado. No sonho tudo é possível, e o evangelho mercadejado hoje em dia é mágico, e nesse mundo mágico cheio de faz de contas e vazio de concretudes, que a igreja como dizem alguns está "alargando as; estacas". Para onde e para o quê, só o Soberano é que sabe, do mais, façamos como diz o ditado, "que os insatisfeitos se mudem".

A igreja emergente é isso: insatisfeitos, mudando e deixando-se mudar. Insatisfação gera mudança, as vezes até revolução. Assim peço à Deus que nos dê um pouco de insatisfação em relação aquilo que somos, para sermos quem devemos ser. Tempos de emergência, vinda dos emergentes.

Soli Deo Gloria
Bruno dos Santos

Nenhum comentário: