Assim caminha a humanidade.

No fim desta semana acontecerá à reunião do G20 (grupo dos 19 países mais desenvolvidos e industrializados do planeta e os países da união européia). Eles procuram encontrar soluções de curto, médio e longo prazo para as crises de toda espécie que estão assolando os continentes.

Além do presidente Lula, outros líderes mundiais estão procurando uma política uníssona e que implique em uma mudança global e benéfica para todos. O Wall Strett Journal, está chamando esta reunião de “Torre de Babel”. Uma comparação com aquilo que os primitivos moradores do vale de Sinar tentaram fazer; tornar o nome deles célebres e conhecidos pelas decisões e sucesso de suas empreitadas. Mais uma vez o homem procura buscar soluções imediatistas e políticas em si mesmo. Não entendo como o homem, sendo o seu próprio carrasco, pode encontrar em si mesmo o seu próprio remédio? É como se quiséssemos curar uma cascavel com seu próprio veneno, sem que tivesse a intervenção de um médico, que transforma esse veneno em remédio. (é óbvio que estou falando de Cristo no homem).

Vivemos no meio de uma geração anti-Deus/Bíblia, uma geração que está iludida com o seu antropocentrismo, que navega nas idéias e filosofias de suas ciências. Uma geração envaidecida pelas suas conquistas, mas que esconde suas derrotas e pesadelos. Uma geração que celebra Richard Dawkins, com seu humanismo/evolucionismo/ateísmo, mas que esconde as atrocidades de um Mussolini ou Lênin, ateus confessos.

Uma geração que apóia a tecnologia da satisfação, mas desdenha ao saber que, a maioria de suas descobertas científicas no campo da medicina e da eletrônica aconteceram em meio aos campos de concentração nazista, utilizando gente oprimida pelo exército de Hitler, como cobaias das mais absurdas experiências, assim como toda grande descoberta tecnológica e eletrônica aconteceram nos períodos mais intensos de guerra, enfim, tudo o que o homem natural produz é mal! Principalmente quando esta produção está estigmatizada pelo orgulho e espírito de grandeza característicos do homem sem Deus.

Todas as vezes que os homens quiseram falar a mesma língua, sempre foi para um plano político de fama e arranjos que satisfariam o orgulho nato do coração caído do homem. Apenas em um lugar os planos convergirão para o bem, este lugar se chama Reino de Deus, pois ali, apenas uma voz será ouvida e obedecida, a voz do Cordeiro Santo. Aqui na terra as coisas não mudaram, tudo permanecerá, e assim caminha a humanidade...para o fim do bem e o começo do juízo.

Um comentário:

Davi Leite disse...

Creio que o presidente Lula é um aliado das políticas messinânicas que estão sendo apresentadas como propostas de salvação para o planeta. Não seria ele um anti-alguma coisa?