Deus é homofóbico?

Para defender e amparar pessoas que até agora se sentiram marginalizadas em sua “opção sexual”, tramita uma lei no Senado Nacional que incorre no perigo de violentar a quem pensa e age diferente, se aprovado, o projeto de lei contra a homofobia criará situações constrangedoras para a Igreja evangélica, católica e todo tipo de cristão professo em geral que, em seu proceder social, procura se pautar pela linha moral do Evangelho.

De acordo com a lei, um sacerdote que, em sua pregação, condenar o homossexualismo, poderá ser julgado por “ação constrangedora de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica”. Dentro dos seminários, a decisão de um reitor de não admitir no seminário um candidato homossexual poderá lhe acarretar de três a cinco anos de reclusão.

Pelo que tudo indica, a partir da vigência do decreto de lei, além dos direitos fundamentais garantidos pela Constituição Federal a todos os cidadãos brasileiros, os homossexuais terão privilégios e benesses que derivam de tão somente de sua opção sexual.

Em contrapartida, todos aqueles que não se conformam com comportamentos homossexuais, deverão silenciar ou preparar-se para ocupar uma cela em algum presídio do país, a lei que pretende conceder privilégios à pratica social do homossexualismo, criando a figura penal do “homofóbico”, não é tão inofensiva como parece.

Se já agora as organizações homossexuais, com o apoio do governo e o aplauso dos meios de comunicação midiáticos, conseguem, junto ao Poder Judiciário, indenizações não insignificantes por “danos morais”, ninguém imagina o que poderá acontecer após a aprovação do decreto-lei.

Mas essa lei não é apenas uma revelia as direitos constitucionais dos cidadãos que normatizam seus princípios na Bíblia , é também uma lei anti-Deus, pois o homossexualismo é a negação da própria natureza concebida ao homem ou mulher que foram criados como seres sexuais para glorificaram e agradecerem a Deus cumprindo no próprio corpo a sua missão e natureza.

Deus expressou em sua criação um pouco do que ele é. Deus não é nem homem, nem mulher, mas o homem e a mulher criados, quando expressam a sua sexualidade natural e respeitam a sua natureza sexual, cumprindo cada um o seu papel, tornam-se representantes da Graça Criativa de Deus.

Deus criou Adão e Eva, e não Adão e Ivo! Há apenas dois gêneros sexuais, masculino e feminino por natureza. O homossexualismo coloca não um pastor, padre ou mesmo uma igreja no banco dos réus, mas o próprio Deus. Aprovar essa lei é desaprovar o caráter e a sabedoria de Deus na sua criação. Aprovar essa lei é ser contrário ao princípio normativo da criação. O homossexual é aquele que não quer ser aquilo para o qual ele nasceu para ser, e não existe pecado maior do que esse, não desejar ser quem se é, e projetar no que se não é, como se fosse!

Paulatinamente o núcleo familiar vem recebendo um ataque frontal, e a ideologia homossexual procura derrubar mais um princípio natural. Na verdade são os homossexuais que tentam amordaçar Deus e não o contrário.

Nenhum comentário: