Não é que o Sol parou mesmo!!!

Em Josué 10:13 encontramos uma das mais formidáveis e estupendas intervenções do Deus Todo-Poderoso na natureza. Após a oração de Josué, o Senhor parou o curso do sistema solar! O escritor sacro, declarou: "E o sol se deteve...e a lua parou..." (Js. 10:13).
Os "espertinhos e sabidos", entretanto, não se conformam com a inerrância e infalibilidade genial do texto. Vamos analisar algumas das alternativas científicas propostas para este texto. Dizem alguns cientistas que o texto deveria ser:

1. "Foi a terra que parou em relação ao Sol..." Será mesmo que seria isso o correto?
Se a Bíblia tivesse caído na armadilha dos críticos insensatos, aí sim estaria incorrendo em um grande erro, pois se a terra tivesse parado, isso seria um tremendo disparate astronômico, todo o sistema solar sairia em disparada a 500.000 milhas por hora, deixando a terra fora de seu alcance. Se o texto tivesse dito que apenas a terra havia parado de girar, isso seria um outro tremendo disparate astronômico, a lua teria continuado a sua órbita em torno da terra e o sol também não teria ficado imóvel no céu.

2. "A terra e a lua pararam em relação a suas órbitas"
Se o autor tivesse dito apenas que a terra e a lua tivessem parado em relação às suas órbitas, isso seria um outro tremendo disparate astronômico: a lua poderia ter continuado a rotação em torno do seu eixo e a terra também, desacreditando completamente o milagre relatado no texto Bíblico, sendo um fenômeno insuficiente para cessar o movimento do sol no céu.

3. "A terra, a lua e o sol pararam de se mover em relação a suas órbitas cessando a translação e pararam a rotação em torno dos seus respectivos eixos e todos os outros possíveis movimentos"
Qualquer conceito humano semelhante ao declarado acima estaria pecando pelo excesso de palavras. Deus não precisaria incluir na Sua Palavra infindáveis fórmulas matemáticas de mecânica celeste de todos os astros, para fazer um milagre dessa magnitude. Já que ninguém sabe onde é o centro do universo e TODOS os movimentos conhecidos pelo homem são movimentos RELATIVOS e como tal, a declaração Bíblica está em perfeita harmonia com a lógica, o bom senso, pois o ponto de referência da linguagem de aparência deve ser o mais CONVENIENTE para o observador!

Do mais, a Bíblia continua soberana ao tempo, a ciência e a história. Como disse Charles Spurgeon: “Quem sou eu, apenas um cordeirinho tentando defender um Leão – As Escrituras Sagradas”. Com a palavra um renomado cientista americano: CRESSY MORRISON - Ex-presidente da Academia de Ciências de Nova York.

"Nós ainda estamos nos amanhecer da era científica,e todo o aumento da luz revela mais e mais a obra de um Criador inteligente". Nós fizemos descobertas estupendas; com um espírito de humildade científica e de fé fundamentada no conhecimento estamos nos aproximando de uma consciência de Deus. Eis algumas razões para minha fé:

Através da lei matemática podemos provar sem erro que nosso universo foi projetado e foi executado por uma grande inteligência de engenharia.

A Terra gira em seu eixo 1000 milhas por hora no Equador; se ela girasse 100 milhas por hora, nossos dias e noites seriam dez vezes mais longos e o Sol provavelmente queimaria nossa vegetação de dia enquanto a noite longa gelaria qualquer broto que sobrevivesse. Novamente o Sol, fonte de nossa vida, tem uma temperatura de superfície de 10.000 graus Farenheit, e nossa Terra está distante bastante para que esta "vida eterna" nos esquente só o suficiente! Se o Sol desse somente metade de sua radiação atual, nós congelaríamos, e se desse muito mais, nos assaria.

A inclinação da Terra a um ângulo de 23 graus, nos dá nossas estações; se a Terra não tivesse sido inclinada assim, vapores do oceano moveriam-se norte e sul, transformando-nos em continentes de gelo. Se nossa lua fosse, digamos, só 50.000 milhas mais longe do que hoje, nossas marés poderiam ser tão enormes que duas vezes por dia os continentes seriam submergidos; até mesmo as mais altas montanhas se encobririam. Se a crosta da Terra fosse só dez pés mais espessa, não haveria oxigênio para a vida. Se o oceano fosse só dez pés mais fundo o gás carbônico e o oxigênio Seriam absorvidos e a vida vegetal não poderia existir.
É perante estes e outros exemplos que NÃO HÁ UMA CHANCE em um bilhão que a vida em nosso planeta seja um acidente. É cientificamente comprovado, o que o salmista disse: "Os céus declaram a Glória de Deus e o firmamento as obras de Suas mãos."

O "já" e o "ainda não"

Podemos definir conversão da seguinte maneira: Conversão é nossa resposta espontânea ao chamado do evangelho, mudando a nossa mentalidade (deixar de lado a forma de pensar segundo os padrões mundanos), e confiando plenamente em Cristo como um Deus pessoal.

Além disso, meramente conhecer os fatos e aprová-los ou concordar que eles são verdadeiros não é suficiente. Nicodemos sabia que Jesus tinha vindo de Deus, porque disse: “Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele” (Jo 3.2). Ele havia entendido, mas não haviam sinais de um arrependimento genuíno em seu coração.

O arrependimento é algo que ocorre em um momento específico do tempo, que não corresponde necessariamente ao momento da visível transformação no padrão de vida da pessoa. O arrependimento, assim como a fé, é um entendimento intelectual (de que o pecado é errado), uma aprovação emocional dos ensinos das Escrituras concernentes ao pecado (uma tristeza por causa do pecado e uma aversão a ele), e uma decisão pessoal de afastar-se dele (um renunciar ao pecado e uma decisão resoluta de abandoná-lo e de levar uma vida de obediência a Cristo).

Embora consideremos a fé e o arrependimento iniciais como os dois aspectos da conversão no começo da vida cristã, é importante compreender que eles não se limitam ao começo da vida cristã. Ao contrário, são atitudes do coração que continuam por toda a nossa vida como cristãos.

Paulo diz aos colossenses que eles serão salvos no último dia, “se é que permaneceis na fé, alicerçados e firmes, não vos deixando afastar da esperança do evangelho que ouvistes” (Cl 1.23).

O autor de Hebreus diz: “Nos temos tornado participantes de Cristo, se, de fato, guardarmos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos” e incentiva os seus leitores a imitar aqueles “que, pela fé e pela longanimidade, herdam as promessas” (Hb 6.12).


Os primeiros dois fatores de certeza da salvação têm que ver com a fé presente e a prova atual da obra do Espírito Santo em nós. Mas Pedro dá mais um tipo de teste que podemos fazer para verificar se somos crentes autênticos. (2Pe 1.10). Ele aconselha aos seus leitores acrescer à sua fé “virtude [...] conhecimento [...] domínio próprio [...] perseverança [...] piedade [...] fraternidade [...] amor” (2Pe 1.5-7). Depois diz que essas coisas devem existir nos seus leitores, “aumentando” continuamente (2Pe 1.8). Pedro ainda acrescenta que eles devem procurar “com diligência cada vez maior, confirmar a [...] vocação e eleição [deles]” e diz depois que “procedendo assim (literalmente, “fazendo essas coisas”, com referência às virtudes mencionadas nos v. 5-7), não tropeçareis em tempo algum” (2Pe 1.10).

O Conflito entre o que vemos e o invisível é o grande conflito da fé. Viver pela fé indica no fato de que não temos o futuro em nossas mãos, e por isso o entregamos ao único que é digno de dirigi-lo e sustentá-lo. Jesus Cristo. Por isso eu creio e permaneço crendo. Por isso a salvação conclui o “já” e o “ainda não”.

A hermenêutica de Satanás

A velha luta entre a teologia e a “unção” não é moderna, ela encontra eco nas mais remotas épocas do Cristianismo. Reter o povo em trevas é o objetivo que Satanás durante séculos procura realizar.

Pois ao se chamada a atenção para as coisas eternas, as almas indagarem: “O que é necessário que eu faça para me salvar?" ele está a postos, procurando opor o seu poder ao de Cristo, e tentar neutralizar a influência do Espírito Santo.

Satanás bem sabe, que todos quantos ele puder levar a negligenciar a oração e o exame das Escrituras, serão vencidos por seus ataques. Portanto, inventa todo artifício possível para ocupar a mente.

A Biblia foi destinada a ser guia a todos os que desejassem familiarizar-se com a vontade de seu Criador. Deus deu aos homens a segura Palavra da profecia. Os importantes assuntos que dizem respeito à nossa salvação não foram deixados envoltos-em mistério. Não foram revelados de tal maneira a tornar a possibilidade tão complexa, e nem a desviar o honesto pesquisador da Verdade.

Disse o Senhor pelo profeta Habacuque: "Escreve a visão, e torna-a bem legível...pare que a posse ler o que correndo passa." Habacuque 2:2. A Palavra de Deus é clara à todos os que a estudam com coração devoto. Toda alma verdadeiramente sincera virá à luz da verdade. "A luz semeia-se pare o justo." Salmo 97:11.

O saber humano tanto das coisas materiais, como das espirituais, é parcial e imperfeito; portanto, muitos são incapazes de se harmonizar com as declarações das Escrituras. Assim muitos se desviam da fé e são seduzidos pelo diabo.

Satanás está pronto para suprir o desejo do coração do homem, e apresenta suas bulas em lugar da Verdade. Foi assim que o papado romano alcançou o seu poderio e influência demoníaca, sobre o entendimento dos homens; e, pela rejeição da verdade, visto que esta verdade implica numa cruz e na morte do “Eu” todo poderoso e suficiente. Assim muitos evangélicos estão seguindo o mesmo caminho.

O apóstolo Paulo, falando para uma classe de pessoas que "não receberam o amor da verdade pare se salvarem", declarou: "Por isso Deus lhes enviará a operação do erro, pare que creiam na mentira; pare que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade". II Tessalonicenses 2:10-12.

Devemos clamar ao Senhor sabedoria para compreender a Sua Palavra. Ali estão revelados os estratagemas do tentador. Satanás é perito em citar as Escrituras, dando sua própria interpretação, afinal ele é a primeira criatura na face da Terra a fazer a hermenêutica bíblica; dizendo: “Não foi assim que Deus disse?”

Coisas de Garotinho...

Em recente viagem fiz uma conferência para um grupo de evangélicos de vários países do Terceiro Mundo. Um africano, creio que do Quênia, fez um questionamento que poderia ter vindo de um brasileiro. Ele disse: "Um evangélico entra na política porque é uma pessoa de muitos dons e os outros acham que ele poderá ser a solução para os problemas da nação. E quando já está lá, ele perde completamente o contato com seu ministério anterior e a igreja o deixa pairando no ar. Ele perde a direção, pelo menos com relação à visão que tinha quando começou. Da mesma forma, pergunto até que ponto o dom carismático entra nisso, porque muitas vezes quem tem mais dons é o mais anti-democrático. Ele acha que ninguém mais pode tomar o seu lugar, e o povo diz que 'ele é o nosso homem', até que surja outra pessoa e ocorra uma divisão."
(Esta experiência e este texto original pertencem ao sociólogo Paul Freston).

Este é um exemplo da transferência de práticas do campo religioso para o campo político. Se temos na igreja este modelo de líder messiânico que pensa possuir todos os dons carismáticos em si mesmo (ao contrário do modelo neotestamentário que diz que todos os cristãos têm dons mas ninguém tem todos os dons, e por isso precisamos viver e presidir em comunidade), existe a tendência de transferir o modelo para a nossa ação política também."

Por que o cristão que entra na política tantas vezes "dá errado" depois? Claro que pode haver um problema individual: alguns candidatos são totalmente despreparados. Mas não devemos pensar essa questão em termos de falhas individuais. Há limitações da igreja que se revelam aqui. Na vida pública, as falhas da igreja se tornam muito mais visíveis.

Elas sempre existiram, mas eram mais privadas e quase ninguém reparava. A gente não "deu errado" de repente porque entrou na política. Sempre tivemos esses problemas mas não os enxergávamos. Isso porque trata-se de uma questão de poder. Quanto mais poder existe em uma situação, mais graves parecem ser os erros. Mas as tendências sempre existiram. A situação de poder apenas revela a verdade que não víamos antes. Portanto esses escândalos envolvendo o Antony Garotinho...ahh, coisas de garotinho...na fé e na vida!
Soli Deo Gloria - Pr. Bruno dos Santos

Viva os mártires modernos!

Uma coisa é a perseguição que os cristãos sofreriam no final dos tempos, segundo declara a Bíblia, outra coisa é a desfaçatez com que algumas “autoridades” pseudo-evangélicas estão tratando o assunto. Cuidado! Pois os atuais mártires cristãos, em nada parecem com um Pedro, Paulo, Policarpo ou Madre Tereza. Paulo jamais ficou preso em uma prisão domiciliar em Long Beach, ou foi pego com US$ 56.000,00 no alforge para gastar com necessidades pessoais. Por quê digo estas coisas???

Estes dias navegava na programação de minha tevê, quando me deparei com seguidores renascerenses (neologismo, mesmo) gritando: “Bispa Sônia, eu te amo!” Essa declaração, veiculada repetidas vezes nos programas da Rede Gospel, emissora de TV ligada à Igreja Apostólica Renascer em Cristo, tem dado o tom do clima na denominação desde a prisão dos seus dirigentes Estevam e Sônia Hernandes. Condenados em agosto pela Justiça americana por terem entrado nos Estados Unidos com 56 mil dólares não declarados, os dois religiosos foram sentenciados a dez meses de reclusão – metade em regime fechado e metade em prisão domiciliar. O juiz permitiu que o casal cumpra a pena alternadamente. Por isso, Estevam, o apóstolo da Renascer, está em um presídio da Flórida, e Sônia, na casa de propriedade da família. Pois é de lá que a bispa participa dos programas, sorridente e esbanjando palavras de fé. Os fiéis, por sua vez, fazem declarações apaixonadas e oram para que a “provação” – assim tem sido tratado o episódio nos círculos da Renascer – acabe logo.

“A estratégia principal do casal tem consistido em fazer-se passar por vítima do diabo e dos inimigos do Evangelho”, diz o doutor em sociologia Ricardo Mariano, um dos maiores especialistas brasileiros em pentecostalismo. Ele é autor do livro Neopentecostais – Sociologia do neopentecostalismo (Loyola). O pesquisador lembra que manobra semelhante foi utilizada por deputados envolvidos no escândalo das sanguessugas, ano passado, quando diversos parlamentares evangélicos foram acusados de desvio de dinheiro do setor da saúde. “O discurso persecutório constitui importante mecanismo para mobilizar a base de pastores e fiéis, para reforçar a coesão grupal e forjar um contra-discurso religioso homogêneo e minimamente plausível a fim de rebater as críticas e acusações externas”, teoriza Mariano.

Para Ricardo Mariano, é o comportamento de muitos crentes que os leva a jogar para escanteio o próprio senso crítico. Segundo ele, a exposição prolongada à visão de mundo elaborada e difundida pelas autoridades eclesiásticas faz com que acabem reproduzindo o discurso que convém à liderança – sobretudo, diante de fatos graves e de difícil justificativa. “Além disso”, continua o sociólogo, “as versões sobre a realidade à sua volta, apregoadas pelos que compartilham a mesma fé, levam muitos evangélicos a rejeitar as informações e interpretações dissuasórias. Daí o relativo sucesso do casal Hernandes e dos demais dirigentes da Renascer em transformar as acusações do Ministério Público de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e estelionato em questões de natureza eminentemente religiosa”.

Assim a Renascer continua renascendo, e quem sabe se solidificando ainda mais, como aconteceu com a Universal do Reino de Deus. Enfim, não existe nada que possa acontecer que abale a “unção” destes homens em relação aos seus seguidores/clientes. Então; Viva aos mártires modernos!

A síndrome dos Nardonis


O Caso Isabella é só a ponta de um iceberg social patológico de desejustes emocionais.

A língua de Cristo luta contra a extinção.

Foi declarado pelas Nações Unidas que 2008 é o Ano Internacional das Línguas. Há tempos, a diversidade lingüística é um assunto que preocupa especialistas, já que, ao longo das próximas gerações, estima-se que mais da metade das 7 mil línguas faladas no mundo corre o risco de desaparecer. Isso significa que uma língua some a cada 15 dias.
.
No mapa das línguas em risco está o aramaico, aquela que foi supostamente a língua materna de Jesus Cristo, hoje falada só na região de Maalula, perto de Damasco, na Síria. Uma das línguas com maior permanência na história, com mais de 3 mil anos, que chegou a se espalhar por todo o Oriente Médio, o aramaico tornou-se um dialeto local (que não é mais escrito), falado atualmente por cerca 1.800 moradores de Maalula, segundo dados da Unesco.
.
Diferentemente de línguas indígenas ou africanas, que provavelmente morrerão sem deixar registros, o aramaico é bastante estudado por lingüistas e historiadores. Mas isso não a torna uma língua viva. Para tanto, ela precisa ser praticada em seu local de origem. Em Maalula, onde 25% da população é muçulmana, foi inaugurada, no ano passado, uma escola que dá aulas de aramaico. A idéia é fazer com que as crianças da cidade aprendam a falar e escrever a língua que vem dando sinais de cansaço, na cidade onde, entretanto, a missa ainda é rezada na língua de Cristo.

·
Texto de Graziella Beting publicado no Portal UOL.

O dilema de Nicodemus

A relação entre mudança estrutural e mudança individual sempre foi muito discutida. A sociedade se transforma pela transformação dos indivíduos ou pela transformação das estruturas? Na realidade, trata-se de uma pista falsa. O ser humano não existe fora das estruturas sociais (as experiências medievais em que as crianças foram mantidas totalmente sem contato humano levaram à morte precoce das “cobaias”), e as estruturas não existem sem os indivíduos que delas fazem parte.

A relação entre comportamento individual e estruturas funciona nos dois sentidos. Até o marxismo, tido como exemplo clássico de proposta social que põe toda a ênfase na mudança estrutural, fala de um “homem novo” que surgirá no socialismo. Em outras palavras, para a última mudança estrutural da história, é necessária uma mudança no homem. Se você quer mudar uma estrutura, mude o homem!

Jesus sugeriu isso a um homem que ansiava mudanças autênticas: Nicodemus. Jesus lhe disse: É necessário nascer de novo! Só assim a revolução interior pode acontecer, e ela produzirá uma revolução estrutural.

Soli Deo Gloria - Pr. Bruno dos Santos