Entre os lobos

Mt 7:15-16a "Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores. Vocês os reconhecerão por seus frutos”.

Estamos vivendo dias difíceis dentro da igreja. Isso mesmo! Dentro da igreja! Tenho me deparado constantemente com lobos disfarçados de ovelhas. Existem lobos de vários tipos: Lobos-apóstolos, lobos-profetas, lobos-evangelistas, lobos-pastores e lobos-mestres, além é claro de lobos-diáconos, lobos do louvor e lobos-ovelhas. Mas é muito difícil identificá-los, pois os mesmos estão disfarçados. Parecem uma coisa, mas se revelam outra. Esperam o momento certo para mostras seus "grandes dentes".
Jesus pediu-nos cautela em relação à eles. Por isso com o intuito de ajudar o querido(a) leitor(a). Listei alguns deslizes que estes lobos dão, e que nos ajudam a identificá-los. Para não dar uma de lobo, esta lista originalmente é do Pastor Osmar Ludovico da Silva, e fiz uma pequena adaptação. Vejamos:

1- Pastores cultivam o aprisco, lobos criam armadilhas.
2- Pastores buscam o bem das ovelhas, lobos buscam os bens das ovelhas.
3- Pastores vivem à sombra da cruz, lobos vivem à sombra de holofotes.
4- Pastores choram pelas suas ovelhas, lobos fazem suas ovelhas chorar.
5- Pastores têm autoridade espiritual, lobos são autoritários e dominadores.
6- Pastores têm esposas participantes, lobos têm mulheres coadjuvantes.
7- Pastores têm fraquezas, lobos são poderosos.
8- Pastores olham nos olhos, lobos contam cabeças.
9- Pastores são ensináveis, lobos são donos da verdade.
10- Pastores têm amigos, lobos têm admiradores.
11- Pastores vivem o que pregam, lobos pregam o que não vivem.
12- Pastores sabem orar no secreto, lobos só oram em público.
13- Pastores vivem para suas ovelhas, lobos se abastecem das ovelhas.
14- Pastores vão para o púlpito, lobos vão para o palco.
15- Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas, lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.
16- Pastores alimentam as ovelhas, lobos se alimentam de ovelhas.
17- Pastores buscam a discrição, lobos se autopromovem.
18- Pastores usam as Escrituras como texto, lobos usam as Escrituras como pretexto.
19- Pastores se comprometem com o projeto do Reino, lobos têm projetos pessoais.
20- Pastores vivem uma fé encarnada, lobos vivem uma fé espiritualizada.
21- Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem independentes de homens, lobos criam ovelhas dependentes deles.
22- Pastores são simples e comuns, lobos são vaidosos e especiais.
23- Pastores tem dons e talentos, lobos tem cargos e títulos.
24- Pastores dirigem igrejas-comunidades, lobos dirigem igrejas-empresas.
25- Pastores pastoreiam as ovelhas, lobos seduzem as ovelhas.


Soli Deo Gloria

Onde estão os verdadeiros profetas?

O que caracteriza o profeta é o espírito crítico. Consumidos pelo amor a Javé, os profetas bíblicos denunciaram erros dos reis e do povo; formaram grupos de discípulos; anunciaram as derrotas (o cativeiro na Babilônia) em função de políticas equivocadas dos reis; solidarizaram-se com o povo, a quem ajudaram a ler os fatos históricos à luz da fé.

A contradição entre o profeta e o poderoso reflete o descompasso entre os desígnios de Deus e a política dos homens. Samuel chocou-se com o rei Saul; Elias com o rei Acabe; Isaías com o rei Ezequias; Ezequiel com o rei Sedecias; Jeremias com o rei Joaquim, a quem chamou de corrupto (22, 13-19).

Com o exílio dos hebreus na Babilônia (586-538 a.C.), encerra-se a "profecia da catástrofe" e, ali, se inicia a da libertação: "Teu futuro é feito de esperança" (Jeremias 31,17). Porém, o profeta é sempre sinal de contradição (Jeremias 15, 10-15).

O profeta é um pedagogo. Um dos exemplos mais emblemáticos é o da visita do profeta Natã ao rei Davi (2 Samuel 12, 1-10). O profeta conta ao rei: - Havia dois homens na mesma cidade, um rico e outro pobre. O rico possuía muitas ovelhas e vacas. O pobre, uma única ovelha, que cresceu com seus filhos, bebeu de seu copo, dormiu em seu colo. Era como uma filha. Um hóspede veio à casa do homem rico. Ele não quis tirar uma de suas ovelhas ou vacas para servir ao viajante que o visitava. Tomou a ovelha do vizinho pobre e a ofereceu à sua visita.

Ao ouvir o relato, Davi, encolerizado, decretou a morte do homem rico. Natã o fez admitir que este homem era ele, o rei Davi, que tomara do guerreiro Urias a mulher Betsabéia, tramando para que o marido dela fosse colocado no ponto mais perigoso da batalha.

O poder possui o monopólio da violência. E, por vezes, sacrifica inocentes em função de seus propósitos. Cabe ao profeta denunciar os abusos. Hoje, o profetismo não é dado a uma pessoa, mas aos movimentos sociais, à sociedade civil organizada. É função dela impor limites ao poder, pedir-lhe contas, exigir que aja segundo a ética e a justiça.