31 de out de 2008

Prioridades. Por que elas são importantes?

“Certa ocasião, um perito na lei levantou-se para pôr Jesus à prova e lhe perguntou: Mestre, o que preciso fazer para herdar a vida eterna? O que está escrito na Lei?, respondeu Jesus. Como você a lê? Ele respondeu: “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento e Ame o seu próximo como a si mesmo. Disse Jesus: “Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá”. (Mt 22:38-39)

Quais são as prioridades em sua vida?
Como a sua vida é organizada em relação aos valores e importância de cada assunto?
Qual é a urgência, necessidade e premência de cada coisa em sua vida?

O nosso coração e a nossa vontade, assim como a nossa vida, está relacionada a ordem de valores que nós carregamos ou propomos pra nós vivermos cada dia. A nossa espiritualidade se desenvolve a partir destes
valores e ordem de coisas estabelecidas. A nossa vida espiritual e social é organizada assim.

Em nossa sociedade as pessoas constumam dizer que a coisa que mais valorizam é a família. Mas o que vemos é que a maioria das pessoas gasta tempo, esforço e dinheiro com outras coisas, que podem até estar relacionadas com a família, mas não com a família de fato.

É importante para a nossa compreensão de Reino de Deus e de espiritualidade cristã, que a gente reconheça qual é a ordem de valores e prioridades em nossa vida?

Esta é a minha lista de valores fundamentais. Espero que ela abençoe a sua vida, como abençoa a minha também.

1- Qual é a primeira coisa mais importante? DEUS.
Tudo que nos temos, possuímos, fazemos, pensamos e idealizamos deve convergir para Deus.
Não posso confundir atividades religiosa com relacionamento com Deus.
Quantas vezes Deus tem vez em meu dia, quantas vezes me pego conversando e perguntando as coisas pra ELE.
Quais são os problemas que apresento para ele resolver?
Preciso reunir 4 coisas em mim para Deus: Coração (emoções) / Alma (personalidade) / Força (vigor e disposição) / Entendimento (inteligência e sabedoria)

2- Qual é a segunda coisa mais importante? EU

Como eu vou manifestar o meu amor para outros? Da mesma forma que eu me relaciono comigo mesmo. Amar o próximo depende de amar primeiro a mim mesmo.
Qual é a imagem que faço de mim? Essa imagem refletirá nos outros. Se eu sou bom demais, todos os outros são ruins de mais. Se eu sou honesto de mais, todos os outros são infiéis de mais, se eu sou espiritual de mais todos os outros são carnais de mais. Se você é mais do que os outros, você não possui amor para dar pra ninguém, pois gasta tudo com você.
Talvez aquilo que você cobra dos outros seja exatamente o que você não dá.
Estar bem com o EU significa conhecer quem você é e não quem gostaria que fosse.
Quando conheço as dimensões do meu pecado e da minha natureza, consigo olhar para o próximo com amor e candura e nunca com indignação.

3- Qual é a terceira coisa mais importante? CONJUGE.
O próximo é aquela pessoa com quem tenho afinidades, nem todos são os meus próximos.
Eu estou próximo daquela pessoa com que compartilho dos meus ideais.
Os próximos não são os que estão perto fisicamente, mas no coração.
Quem é o meu próximo? Aquele que possui um coração com os mesmos sentimentos.
A minha esposa ou marido, ou pais (no caso dos solteiros) tem primazia em minha vida?
Quantas vezes troco eles por outras coisas sem prioridade.
A quem eu tenho responsabilidade de agradar? A minha mãe ou a minha esposa? Ao meu amigo ou aos meus pais?

4- Qual é a quarta coisa mais importante? FILHOS
Jamais os filhos podem substituir a relação conjugal?
Os filhos possuem sua importância depois dessas três acima.
A primeira instituição não foi o casamento, mas o matrimônio. Gn 3:16
Pv 19:26 O filho que rouba o pai e expulsa mãe é causador de vergonha e desonra.
O Filho que não conhece o seu lugar só trás desgraça, da mesma forma a mãe e o pai que não conhecem o seu lugar. Tt 2:4 Primeiro marido, depois filhos.

5- Qual é a quinta coisa mais importante? MINISTÉRIO
O ministério representa a sua relação espiritual para com os outros.
Tudo aquilo que recebemos de Deus deve contribuir para a manifestação do ministério pessoal.
At 6:2 Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: “Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas.
Temos que saber que o ministério tem o seu devido lugar nas prioridades da minha vida.
Cada um tem o seu ministério, cada um tem uma prioridade na igreja. Qual é a sua?

6- Qual é a sexta coisa mais importante?TRABALHO
Qual é a importância que o trabalho ocupa em sua vida?
O meu sustento vem da capacidade que Deus me dá de ter força e vigor, Emprego é diferente de trabalho. Deus nunca me deixou sem trabalho, emprego eu perdi muitos, mas trabalho tenho sempre. O trabalho é importante desde que com ele eu possa glorificar a Deus em tudo. O sustento financeiro vem do trabalho, mas a dignidade de uma vida vem de um espírito quebrantado e que confia em Deus.

CONCLUSÃO
Se nós não possuirmos uma prática de prioridades e ordem em nossas vidas, com certeza seremos sempre pessoas de segunda categoria em tudo. Valorizando coisas erradas em tempos errados.

29 de out de 2008

Frases ditas e pouco ouvidas

* A questão não é se uma doutrina é bela, mas se ela é verdadeira.Anônimo* Há tanto direito de crer nas doutrinas do cristianismo quanto dever de praticá-las.M. Arnaud*
Se você crê somente no que gosta do evangelho e rejeita o que não gosta, não é no evangelho que você crê, mas, sim, em si mesmo.Agostinho*
A indiferença doutrinária não é a solução para o problema das diferenças doutrinárias.J. Blanchard* Doutrina é coisa prática, visto que desperta o coração.Andrew Bonar*
Algumas coisas confiamos a Deus, outras Deus confia a nós... Aquilo que Deus confia a nós é principalmente sua verdade.William Gurnall*
Você não pode abandonar os grandes temas doutrinários e ainda assim produzir grandes santos.John Henry Jowett*
Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias.Martinho Lutero*
A finalidade para a qual Deus instrui a mente é que Ele possa transformar a vida.Al Martin*
Doutrinas fracas não são páreo para tentações fortes.William S. Plumer*
Se não tornarmos clara nossa posição, com palavras e obras, em favor da verdade e contra as falsas doutrinas, estaremos edificando um muro entre a próxima geração e o evangelho.Francis Schaeffer*
Os homens, para serem verdadeiramente ganhos, precisam ser ganhos pela verdade.C. H. Spurgeon*
'Eu sou semelhante a uma vasilha furada; preciso estar sempre debaixo da torneira' (D. L. Moody).
'Ninguém conservou por longo tempo o poder exercido com violência' (Sêneca).
"Se você acredita que pode, você tem razão. Se você acredita que não pode, você também tem razão"Henry Ford
''Somos feitos do mesmo material de que são feitos os sonhos' (William Shakespeare).
'Mostre-me uma família de leitores, e lhe mostrarei o povo que dirigirá o mundo' (Napoleão).
"A verdadeira paz não é a ausência de guerra, mas a presença de Deus" (Gereformeerd Weekblad).
"A oração pela paz começa pelo arrependimento das próprias faltas. Quantas vezes acalentamos em nossa consciência a inimizade, a rejeição dos outros, o espírito de vingança, ofendendo assim a Deus e ao próximo" (dom Luciano Mendes Almeida, na Folha).

"Com exceção de Deus (que, aliás, está de férias), ninguém contempla o mundo de cima" (Contardo Calligaris, em sua coluna na Folha de S. Paulo).
”Matar um homem para defender uma doutrina, não é defender uma doutrina; é matar um homem.”

27 de out de 2008

"O vício na pornografia quase destruiu a minha vida!"

Kirk Franklin vendeu mais de dez milhões de discos em menos de dez anos, ganhou três prêmios Grammy e sete vezes o prêmio Dove. Seu sucesso “Stomp”, do álbum triplo de platina “God’s Property”, o transformou no astro dos jovens na MTV.

Quando a carreira de Kirk chegou ao topo há alguns anos, sua vida pessoal deixou de ser secreta. Kirk deixou claro e confessou seu vício em pornografia.

“Havia sempre aquele menino cujo irmão mais velho tinha revistas pornográficas. A primeira vez que vi uma devia ter uns oito ou nove anos. A partir daí me tornei um viciado. E levei isso para meu casamento. Minha esposa ficou ciente da situação somente no segundo ano de casados”.

A esposa, Tammy, ao ser questionada sobre quando descobriu, respondeu: “Bom, assim que descobri que ele estava com problema ele disse: ‘Querida, vamos fazer a coisa mais verdadeira. Vamos manter a verdade’”, conta.

Kirk afirma que, quando casaram, ele ainda tinha aqueles videos de solteiro, e tentou fazer com que sua esposa visse junto com ele. “No segundo ano do nosso casamento, ele tentou implementar isso dentro do nosso relacionamento. Ele dizia: ‘Veja isto comigo, querida’. Essa atitude me fez sentir suja. Nossa intimidade deixou de ser santa. Eu pensava: ‘Eu não estou olhando, não vou ver isso com você’, e ficava com raiva”, conta Tammy.

A vida secreta de Kirk teve acessos de fúria enquanto ele viajava para promover seus últimos lançamentos. Em casa, Tammy não fazia idéia da extensão do problema dele. “Não vi nenhuma evidência de que ele estivesse fazendo aquilo em casa. Ele sabia o que eu pensava sobre essa situação”.

Para Kirk, fazer isso em casa, não tinha tantos problemas. “Eu tinha uma vida secreta, assistia a programas de pornografia na TV enquanto ela dormia”.

E como você entender que esse vício tinha que ser enfrentado? Kirk conta: “Nós estávamos num hotel em Los Angeles numa manhã e eu disse: ‘Querida, preciso te contar algo. Estou lutando contra a pornografia. E isso é um problema’”.

Em sua resposta, Tammy foi sensível. “A melhor coisa foi que ele viu isso como um problema. A maioria dos homens acha que isso é normal. E o fato de ele vir até mim buscando a transformação me fez feliz. Então, comecei a orar por ele intensamente. Eu queria que ele soubesse, mais do que qualquer outra coisa, que teríamos de combater juntos”.

“Isso é que é estranho na pornografia. Existem diferentes pessoas, mesmo na sociedade, que sentem isso de uma forma diferente. Entende o que estou tentando dizer? Existem alguns homens cristãos que conheço que diriam: “Eu prefiro fazer isso do que enganar a minha esposa”. Quando eu tive de esclarecer o assunto, disse: ‘Amigo, estamos enganando nossas esposas. Conforme aquilo que o homem pensa, assim ele é. Então, estamos as enganando’”, comenta Kirk.

Kirk tinha ao seu lado uma esposa disposta a atravessar tudo isso ao seu lado. Mas e quanto às pessoas que tomaram conhecimento disso? “É estranho porque você está falando com um homem que foi ministro de louvor na igreja desde quando tinha onze anos. Você acharia que a sociedade é que faria com que eu tivesse que me examinar. Acho que as pessoas devem ser alertadas. Eu desejei que alguém tivesse me ensinado sobre isso quando passei pelo problema, há muito tempo atrás. Que alguém tivesse me falado sobre as conseqüências do sexo, da carne e da luxúria, da vaidade, do orgulho do ego, e de todas as outras coisas. Eu gostaria que alguém tivesse me acompanhado anos atrás. Mas deixa eu te contar uma coisa que aconteceu com "o talentoso": "o talentoso" da igreja caiu. Eles conseguem, natural e emocionalmente, controlar a atmosfera do culto da igreja”, explicou Kirk.

As pessoas se referiam a ele com base no talento, ao invés de vê-lo como homem. “Ninguém pergunta ao levita: “Você está firme? Como vai o casamento? E o relacionamento entre você e sua esposa?”. Ninguém exige a responsabilidade do "talentoso" na sociedade”.

Apesar da esposa de Kirk saber de seu problema e orar por ele, ninguém o ajudou em seu posicionamento. Até que ele conheceu o Pastor Tony Evans, um homem que não estava deslumbrado com a fama de Kirk. “Fui à igreja dele pela primeira vez em 1988. Eu tinha um álbum chamado “Stomp”. Eu estava indo viajar à Dublin, Irlanda, para cantar com Bono Vox, recebia flores de Arsênio Hall, cartas de Mike Tyson, estava saindo com Denzel Washington e todas aquelas pessoas famosas. Eu estava gravando o piloto de um programa de televisão para a ABC. Mas tudo isso não se pode levar para o céu. Contudo, eu me banhava nisso e muitas pessoas da minha comunidade também”, conta.

Mas, quando Kirk e sua família começaram a freqüentar a igreja do Pastor Evans, Kirk não recebeu o mesmo tratamento a que estava acostumado.

Segundo Pastor Evans, o respeito às pessoas é fundamental. “Você vem para cá do mesmo jeito que todos vêm – através da cruz. E na cruz o chão é muito nivelado, e você é tratado igual a todos. Reconhecemos seus talentos, respeitamos as pessoas. A Bíblia diz “para dar honra a quem merece honra”. Mas há apenas uma pessoa célebre, e ela é Jesus Cristo”.

Para Kirk, era muito importante saber que o Pastor Evans não se preocupava com quem ele era. “Se eu não chegasse na hora, tinha de me sentar onde todos se sentavam, não poderia escolher lugar. Eu ficava furioso com isso. Mas havia uma coisa que me atraía para lá, e eu orava para ser liberto. Uma noite liguei para ele e disse: ‘Preciso de ajuda. Tenho um problema’”.

Pastor Evans: “Como a área sexual define os homens, e é acessível a eles, é facilmente atingida depois de um certo ponto. Isso tem a ver com quem você é, torna-o um homem de verdade – todas essas definições errôneas. Mas quando podemos esclarecer a identidade de uma pessoa em Cristo e ajudá-la a entender como orar em espírito, ela passa a entender que a lei do espírito é maior que a da carne”.

Kirk contou ao Pastor Evans tudo. Isso o ajudou a ser honesto com as pessoas importantes de sua vida. Assim começou a viagem de sua cura com a Tammy. “Agora eu estou limpo há quatro anos. Há um processo para essa libertação e, se eu fui liberto, qualquer um pode. Durante anos eu nunca perguntei se podia ser liberto da pornografia. Eu estava gravando álbuns em que Deus falava com as pessoas que eram abençoadas por Ele. A música “Why we sing” foi lançada em 1993 e eu estava me debatendo com a pornografia. Através daqueles álbuns Deus estava falando e todas as pessoas estavam conseguindo vitórias, caminhando, vivendo, exceto eu. Eu costumava perguntar e queria saber o que estava acontecendo. O que pode ajudar as pessoas é que minha vitória não veio por experiência emocional, mas pela verdade. A verdade me libertou”, finaliza.


23 de out de 2008

Buscando Deus enquanto se pode achá-lo

“Que sois portanto meu Deus? Que sois vós, pergunto, senão o Senhor Deus? E que outro Senhor há além do Senhor, ou que outro Deus além do nosso Deus? Ó Deus tão alto, tão excelente, tão poderoso, tão onipotente, tão misericordioso e tão justo, tão oculto e tão presente, tão formoso e tão forte, estável e incompreensível, imutável e tudo mudando, nunca novo e nunca antigo, inovando tudo e cavando a ruína dos soberbos, sem que eles O advirtam, sempre em ação e sempre em repouso, conduzindo, enchendo e protegendo, criando nutrindo e aperfeiçoando, buscando ainda que nada Vos falte.”
(Santo Agostinho – Confissões)

De todas as epopéias* humanas ao longo da história, nenhuma é mais nobre do que buscar, conhecer e se envolver com a personalidade de Deus. Conhecer Deus é privilégio destinado á todo aquele que anseia viver uma vida real e cristã por completo, sem dúvidas, sem questiúnculos, sem temores quanto aquilo que Deus é em Si mesmo e para conosco.

Todo filho conhece o Pai, todo aquele que espera agradar á Deus deve manter um relacionamento com Ele, isso é necessário para que possamos comprendê-lo na Sua maneira de agir. Todo relacionamento se dá na forma de conhecimento, de descoberta e de interesse.

Os grandes homens de Deus ansiaram por conhece-Lo bem de perto, de uma forma íntima. Qual o Pai que não se agrada de que o filho queira desfrutar das suas idéias e personalidade?
Assim Deus anseia por adoradores que o adorem em espírito e em verdade. Pessoas que O buscam de toda a sua alma, força, coração e entendimento.

Em seus devocionais diários, Charles Spurgeon escreveu: “Como podemos esperar por uma coisa se não conhecemos sua existência? O conhecimento supre-nos de razões para a paciência.”

Compreender Deus de forma correta liberta-nos de muitos temores, problemas temporais, dificuldades de compreensões circunstânciais e muitas outras coisas que afligem uma boa parte de cristãos contemporâneos, fazendo-se verdadeira uma palavra de um pastor certa vez: “O problema do povo evangélico de hoje e que busca-se mais a benção do que o Realizador e Pai de todas elas...”

Não devemos demover de nossos corações que toda e qualquer explicação do caráter e da personalidade de Deus, por mais bem discrimada que possa ser, não exclui de forma alguma a soberana revelação do Espírito Santo de Deus dada a uma vida de oração, meditação e busca nas Sagradas Escrituras.

O apóstolo Paulo considerou como nada o seu conhecimento pessoal diante da revelação que Deus havia lhe outorgado. Sabemos que não é diferente conosco, nem com qualquer outro, apenas o Espírito Santo conhece as profundezas do conhecimento de Deus. E que Ele seja o nosso eterno guia e mestre até o dia de Cristo Jesus em toda boa obra nas nossas vidas
.

19 de out de 2008

Lindemberg Alves, Eloá, Nayara...e o poder da IRA!

Neste fim de semana, ficamos chocados com o ocorrido em Santo André. O seqüestro de Eloá, Nayara e as atitudes do seqüestrador Lindemberg Alves, que durante 100 horas mostraram o desespero e a opressão espiritual que viveram estes três jovens em um pequeno apartamento na periferia do ABC paulista. A ira nos corações de Eloá e de Lindemberg financiaram esta tragédia.

A Ira é uma emoção que surge em nossa mente devido a um acontecimento especial ocorrido, seja no meio em que a pessoa está ou com ela mesma, diante de alguma situação qualquer. A ira pode refletir-se tanto contra os outros quanto contra si próprio, dependendo de como se desenha o ocorrido. Quando surge a ira, somos tomados pelas emoções de tal forma que perdemos a racionalidade, deixando-nos fora de nosso juízo normal, podendo nos levar a cometer erros da qual nos arrependeremos posteriormente.

Uma das cosias que muito me chamou a atenção, foi que Lindemberg afirmou ao policial que negociava por telefone que ele estava recebendo opiniões de um “anjo” e um “diabo” que lhe diziam o que deveria ou não fazer.

Veja na integra o que o advogado (que está agora fora do caso) de Lindemberg afirmou à imprensa: “O advogado Eduardo Silva Lopes, que deixou a defesa do seqüestrador Lindemberg Alves, de 22 anos, contou neste sábado (18) que o ex-cliente dizia que era “acompanhado de um diabinho e de um anjinho”. “Segundo Lindemberg, o diabinho falava mais alto, dizendo para acabar com tudo”, afirmou o advogado.” (site: http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/).

Sei que muitos podem novamente afirmar que o que o seqüestrador fez, foi colocar a culpa de um crime tão bárbaro, no diabo, mais uma vez. Mas gostaria que você pensasse a respeito disso, afinal, não poderia mesmo haver uma influência demoníaca sobre a vida desse rapaz? Sei que isso não alivia em nada sua situação, pois ele será cobrado do crime que cometeu, mas não duvido que por detrás desta tragédia não exista a influência do Mal, que encontra eco na maldade daquele rapaz dominado pela ira respaldada pela rejeição.

Sabemos que o intuito do Diabo é acabar com a vida humana, não apenas biológica, mas em relação a tudo aquilo que ela representa. E é exatamente assim que estes jovens envolvidos terminam sua história de vida. Uma jovem morta, outra que ficará com seqüelas emocionais para o resto da vida, e um rapaz condenado em sua existência social.

Existem muitas questões neste caso difíceis de explicar em relação à ação tomada pelo seqüestrador. Muitos psicólogos vieram à publico tentar explicar “porquê” isso aconteceu, mas a verdade está clara nas Escrituras. A Ira tem o poder de nos tirar a razão e deixamos de ver todo o processo envolvido em nossas escolhas morais. A ira é a porta larga que abrimos em nosso coração para a ação do Diabo. A ira endurece a alma, e isso a torna mais propensa para que a voz do “diabinho” fale mais alto.

Por isso fiquemos com a palavra do apóstolo Paulo, quando escreve em Ef 4:26-27 “Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apazigúem a sua ira antes que o sol se ponha, e não dêem lugar ao Diabo.”
Soli Deo Gloria
Pr. Bruno dos Santos

15 de out de 2008

SUPERE-SE!

A maior batalha de um atleta olímpico não é contra seus adversários. Vencedor não é quem supera o outro, é quem supera a si mesmo.

A superação é a linha tênue entre o medo e a força de vontade. Geralmente focamos em nosso medo, e tomamos decisões baseados nele. Quando na verdade o medo não é o fator decisivo, mas o fator propulsor de nossas conquistas.

A vitória nas nossas vidas não acontecem quando ganhamos uma prova ou desafio. A vitória começa no nosso coração. Tem gente que já entra derrotado em determinadas situações.

A vitória sobre o Eu é a maior das vitórias. O meu maior inimigo não é o Diabo, mas a minha falta de determinação, a minha falta de superação.

Pessoas que perdem o controle diante de determinadas situações mostram que são fracas em relação a opinião que nutrem de si mesmas. Pois perder o controle, não significa apenas “fazer escândalo”, mas acima de tudo é não possuir domínio sobre uma certa área da vida. Precisamos controlar o nosso espírito – AUTO-CONTROLE.
O atleta se sujeita a uma disciplina de vida rigorosa para ser o melhor de uma competição. Evita certos alimentos, certos passeios, certas vontades. Para ser o melhor ele precisa superar-se, e para isso ele precisa exercer AUTO-CONTROLE.

Muitos levam a sua vida de qualquer jeito – Tipo: se der eu faço, se der eu vou, se der eu leio a bíblia, se der eu oro, se der eu jejuo – Deus vai nos dizer: Se der eu te salvo!

O alvo de um atleta é a glória que reside no podium. O cristão leva uma vida esforçada pois pleiteia alcançar a Glória celestial.
Isso significa que a vida cristão não é uma vida de facilidade, de facilitadores, pelo contrário, é uma vida difícil, uma vida que requer esforço.

SUPERE-SE!

A maior batalha de um atleta olímpico não é contra seus adversários. Vencedor não é quem supera o outro, é quem supera a si mesmo.

A superação é a linha tênue entre o medo e a força de vontade. Geralmente focamos em nosso medo, e tomamos decisões baseados nele. Quando na verdade o medo não é o fator decisivo, mas o fator propulsor de nossas conquistas.

A vitória nas nossas vidas não acontecem quando ganhamos uma prova ou desafio. A vitória começa no nosso coração. Tem gente que já entra derrotado em determinadas situações.

A vitória sobre o Eu é a maior das vitórias. O meu maior inimigo não é o Diabo, mas a minha falta de determinação, a minha falta de superação.

Pessoas que perdem o controle diante de determinadas situações mostram que são fracas em relação a opinião que nutrem de si mesmas. Pois perder o controle, não significa apenas “fazer escândalo”, mas acima de tudo é não possuir domínio sobre uma certa área da vida. Precisamos controlar o nosso espírito – AUTO-CONTROLE.


O atleta se sujeita a uma disciplina de vida rigorosa para ser o melhor de uma competição. Evita certos alimentos, certos passeios, certas vontades. Para ser o melhor ele precisa superar-se, e para isso ele precisa exercer AUTO-CONTROLE.

Muitos levam a sua vida de qualquer jeito – Tipo: se der eu faço, se der eu vou, se der eu leio a bíblia, se der eu oro, se der eu jejuo – Deus vai nos dizer: Se der eu te salvo!

O alvo de um atleta é a glória que reside no podium. O cristão leva uma vida esforçada pois pleiteia alcançar a Glória celestial.

Isso significa que a vida cristão não é uma vida de facilidade, de facilitadores, pelo contrário, é uma vida difícil, uma vida que requer esforço.

9 de out de 2008

Morando na terra, mas vivendo no céu!


Jesus não deixou uma hoste organizada de discípulos, pois Ele sabia que um punhado de sal gradualmente operaria através do mais poderoso império do mundo. Contra todas as possibilidades, as grandes instituições de Roma — o código de leis, as bibliotecas, o Senado, as legiões romanas, as estradas, os aquedutos, os monumentos públicos — desmoronaram gradualmente, mas o pequeno bando a quem Jesus entregou essas figuras prevaleceu e continua até o dia de hoje.

Sõren Kierkegaard descreve a si mesmo como um espião, e realmente os cristãos agem como espiões, vivendo em um mundo enquanto nossa mais profunda fidelidade pertence a outro. Somos alienígenas residentes, ou forasteiros, utilizando uma expressão bíblica.

Um reino alternativo de súditos esfarrapados, de prisioneiros, de poetas e de sacerdotes. Em cada nação a igreja operou como uma contraforça, às vezes mansamente e às vezes em voz alta, insistindo em uma verdade que transcendia e, na maioria dos casos, contradizendo a propaganda oficial.

"No mundo os cristãos são uma colônia do verdadeiro lar", diz Bonhoeffer. Talvez os cristãos devessem trabalhar com mais afinco para estabelecer colônias do reino que apontassem para o nosso verdadeiro lar. Com demasiada freqüência, a igreja levanta um espelho refletindo a sociedade que a cerca, em vez de uma janela revelando um caminho diferente.

Se o mundo despreza uma pecadora notória, a igreja vai amá-la. Se o mundo nega ajuda ao pobre e ao sofredor, a igreja vai oferecer-lhe alimento e cura. Se o mundo oprime, a igreja vai levantar o oprimido. Se o mundo envergonha um pária social, a igreja vai proclamar o amor reconciliador de Deus. Se o mundo busca lucro e auto-satisfaçao, a igreja se dispõe ao sacrifício e serviço. Se o mundo se fende em facções, a igreja se junta em unidade. Se o mundo destrói seus inimigos, a igreja os ama. Se o mundo se preocupa com mamom, nós nos orgulhamos do Carpinteiro de Nazaré.

Essa, pelo menos, é a visão da igreja no Novo Testamento: uma colônia do céu em um mundo hostil. Dwight L. Moody disse: "De cada cem homens, um lera a Bíblia; noventa e nove lerão o cristão".

7 de out de 2008

Nunca troque o certo pelo fácil!

A inteligência nos orienta a unir o fácil ao certo. Empresas investem bilhões em aperfeiçoamento de processos. A idéia é fazer o melhor em menos tempo, de forma mais descomplicada. Não há nada de errado com isso; Deus nos deu capacidades que tornam possível realizar mais com menos esforço. Louvamos ao Criador porque hoje muitas coisas são mais fáceis do que há anos atrás. Minha mãe conta, por exemplo, do trabalho que dava preparar um bolo de milho, nos tempos de sua mocidade. Muito antes de aplicar-se à mistura dos ingredientes da receita, as moças tinham de colher e debulhar as espigas, além de ajuntar a lenha para o fogão. Hoje basta adquirir uma caixinha de mistura pronta, atentar para as instruções do rótulo do pacote e esperar por mais ou menos quinze minutos. A facilidade uniu-se à delícia.

Nem sempre, porém, o certo é o mais fácil. No que diz respeito às coisas espirituais, parece que o padrão é o oposto: fazer o certo é difícil, errar é muito fácil.

Não é difícil pecar. Enquanto a prática da virtude assemelha-se a uma escalada íngreme, pecar é como escorregar em um tobogã, dá um friozinho na barriga no início mas depois a gente desce às gargalhadas. O problema é que, no final das contas, caímos em terrível lamaçal. É mais fácil mentir do que ser franco, olhar no olho e enfrentar os problemas. É mais fácil trair do que ser leal. É mais fácil obter vantagem ilícita do que abrir mão de privilégios em nome da honestidade. É mais fácil entregar-se à preguiça do que trabalhar duro. Enfim, as experiências que verdadeiramente fazem diferença em nossas vidas exigem que percorramos a estrada árida, que é sempre mais difícil.

Deus não nos encaminha para a angústia gratuita; ele não supervaloriza a dor. O apego doentio ao sofrimento (masoquismo) não é exigido pelo Senhor. Se pudermos encontrar um meio de vivermos com mais alegria e conforto, louvemos ao Altíssimo por tal dádiva. Há como unirmos o certo e o fácil? Glória a Deus por isso. No entanto, não nos enganemos. Muitas experiências espirituais são precedidas por lágrimas (Sl 126.5-6); o fácil, na maioria das vezes, não é o certo.
Há dois mil anos atrás Satanás ofereceu a Jesus um caminho fácil. O Redentor foi levado a um monte e lhe foram mostrados todos os reinos do mundo. “Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares” — sugeriu o tentador. Cristo rejeitou a proposta do diabo e assumiu a cruz (Mt 4.8-10). Ressuscitado, declarou aos seus discípulos: “Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra” (Mt 28.18). Primeiro veio a cruz, depois a autoridade sobre os reinos. A proposta fácil exigia uma conduta errada. A glória foi a culminação da obediência — fazer o certo, mesmo que isso exigisse passar pela humilhação, escárnios, cravos e cruz.

O que esperamos ver realizado em nossas vidas daqui há alguns anos? Seremos espiritualmente bem-sucedidos na medida em que estivermos dispostos a fazer o certo, mesmo que isso não seja fácil.

Você é um crente turbinado?

Semelhantemente ao que a mídia impõe hoje em dia como padrão de mulher fisicamente perfeita, ultimamente tem surgido no meio evangélico um “padrão” de crente também. Não corram pra suas bíblias agora para conferir esse “padrão”, pois ele não está lá. Este padrão surgiu ao longo das últimas décadas, da mente de pessoas doentes e megalomaníacas e que nos últimos quatro ou cinco anos tem plantado raízes no meio evangélico.

E existe uma discriminação preconceituosa pairando sobre aqueles que se negam a participar desse evangelho falso, hipócrita e egoísta.
Coisas do tipo: Você não foi ao encontro? Não tem a unção do Riso? Não tem a unção de Gadita, ou a unção de nobreza? Não participa do ano de Isaque? Lamento muito, mas você não é um crente turbinado. Não está na moda. Não é um crente seguro. Tal como a mulher da televisão, que se sente segura por ter colocado uma enorme prótese de silicone, se você não tem esse silicone espiritual, você não é nada. Fique na moda! Encha-se de próteses espirituais. Mas lembre-se sempre: prótese é falsa e é pra quem nunca teve o verdadeiro, ou pra quem já teve e perdeu.

Não precisamos de nenhuma unção que nos garanta qualquer tipo de posse, conquista ou restauração, pois quando aceitamos o sacrifício de Jesus, e vivemos nossa vida em função da propagação de seu reino já temos garantias de receber recompensa. A diferença é que pra receber essa recompensa, não temos que nos apropriar de nada; nem territórios, nem títulos, nem unções, e sim perder, abdicar por vontade própria.

Essas unções e títulos, dos quais as pessoas hoje tanto buscam, me fazem ver que ainda há uma sede muito grande de satisfazer algo que se tentou satisfazer lá no Édem: O próprio EGO humano.

2 de out de 2008

Evangelizar com humor é muito bom.

Evangelizar é uma obra que o Espírito Santo nos concede a responsabilidade de fazermos juntos com Ele. Sabemos que se o Senhor não operar nesta empreitada trabalharemos em vão.

Mas Deus, não é só Criador, mas também criativo, por isso mesmo, Ele nos abençoou com criatividade. Abaixo transcrevo algumas idéias que podem ajudar na evangelização de pessoas que ainda não pararam, pra pensar nesta questão.

DE UMA BÍBLIA DE PRESENTE PARA ALGUÉM, COM OS SEGUINTES DIZERES: PASSAGEM GRATUITA PARA UM LUGAR PARADISÍACO, (DETALHES AQUI!)

COLOQUE UMA PLACA EM SEU CONSULTÓRIO DENTÁRIO:
COMBATA A CÁRIE MENTAL – LEIA A BÍBLIA DIARIAMENTE.

LEMBRETE NO ESCRITÓRIO:
BÍBLIA EMPOEIRADA É SINAL DE VIDA SUJA.

LEMBRETE NA EMPRESA:
O ÚNICO SALÁRIO QUE AUMENTE DIARIAMENTE É O SALÁRIO DO PECADO.

LEMBRETE NA ESTRADA.
PISTA ERRADA? DEUS PERMITE UMA CONVERSÃO.

LEMBRETE NA SALA DE ORAÇÃO.
SUA FÉ ACABOU, PARE AQUI E REABASTEÇA.

REMÉDIO PARA A INSÔNIA:
SE NÃO CONSEGUE DORMIR CONTANDO OVELHAS, TENTE CONVERSAR COM O PASTOR DAS OVELHAS.

PLACA DE CONSULTÓRIO PSICOLÓGICO.
ESTÁ ARREPENDIDO DE TER NASCIDO? EXPERIMENTE NASCER DE NOVO!

OFERTA DE EMPREGO NA SALA PASTORAL.
PRECISAMOS DE OBREIRO APROVADO, QUE MANEJA BEM A PALAVRA DA VERDADE, QUE ESTÁ DISPOSTO A ARRISCAR A VIDA POR AMOR DO EVANGELHO, QUE SE DIGNARÁ DE VIVER COM UM BAIXO SALÁRIO E A TRABALHAR LONGAS HORAS COM PESSOAS DIFÍCEIS. MAS GARANTIMOS QUE A APOSENTADORIA É DE OUTRO MUNDO.

UMA BRINCADEIRA BASTANTE SÉRIA
TEM GENTE QUE SÓ VAI PRA IGREJA QUANDO O CARRO FUNERÁRIO O LEVAR.

Depois destas ajudas, espero que você consiga evangelizar um pouco mais. Que Deus ajude seus projetos evangelísticos.

COMPARTILHE

COBERTURA ESPIRITUAL E APOSTOLADO MODERNO