Entre o Clube Evangélico e o Caminho de Cristo...

Estamos em um clube quando nos reunimos com pessoas que não mantemos nenhum vínculo e que chamamos de comunhão apenas o conhecer do nome do “fulano”.


Estamos em um clube quando nos reunimos com um interesse comum de sermos vistos e reparados em nossas novas aquisições materialistas e idealistas.


Estamos em um clube quando a aparência do bom cega a interioridade do mal em nós.


Estamos em um clube quando temos que medir as palavras para não ferir corações vaidosos, e prejudicar os pequenos em favor dos grandes.


Estamos em um clube quando queremos fugir da realidade de enfrentar a vida verdadeira, e corremos atrás de promoções espirituais que nos forneçam respostas para fazer calar a voz de nossa consciência.


Estamos em um clube quando tudo e todos estão ali para lhe servir. E que se não servirem direito, mudamos de clube, para um que nos sirva mais e melhor.


Estamos em um clube quando a minha entrada nele é avaliada não por quem eu sou, mas por aquilo que possuo. Afinal dizem que sou cabeça e não cauda.


Estamos em um clube quando minha religião é passatempo dominical e esse passatempo nunca muda em nada as minhas idéias e nem meus valores.


Estamos em um clube quando a feira das vaidades brilha sobre a luz dos holofotes do palco, e resplandece nos corações de quem se conforma em ser apenas um entre os demais.

Estar no Caminho de Cristo é coisa bem diferente... Aliás você vai pra igreja hoje?

“Nada é mais libertador para o homem de consciência do que ver-se livre dos demônios da coletividade hipócrita. Entretanto, dura coisa é essa. Na verdade a maioria dos que ficam livres dos demônios da coletividade são aqueles que se tornam os demônios da coletividade, na visão dos hipócritas.” (Martinho Lutero – escrito em 1528)

Nenhum comentário: