O Carnaval é uma enfermidade social

Por que o carnaval é uma festa da carne? Porque o carnaval é a festa da resistência, mas entenda-se ‘resistência’ num outro sentido. Eu explico: Quem nunca conheceu aquele tipo incrivelmente bem-humorado, brincalhão, piadista e extremamente “de bem com a vida”? Aquele tipo que nunca antes foi visto reclamando, chorando, xingando, pedindo ajuda ou fazendo terapia. Mas precisamos nos lembrar que os "pierrôs" são palhaços tristes!
Quem nunca se surpreendeu ao descobrir, em geral acidentalmente, que esse mesmo tipo é, no fundo, um dos sujeitos mais detonados e infelizes da vida? Mas este tipo de pessoa é tão destruída e tão infeliz que sequer consegue olhar para si mesmo, e ver a porcaria onde está enfiado. Talvez eu esteja exagerando, mas acho que muitos brasileiros são parecidos com esse sujeito.
Um país que resiste em encarar seus problemas e em tentar solucioná-los com menos sorrisos delirantes e com mais lágrimas; um país onde o carnaval, mesmo sendo celebrado por poucos dias, dura eternamente no coração das pessoas. Um país onde as boas lembranças tem muito mais a ver com bebida, suor e cantorias e sexo livre, do que com saúde, segurança, educação e cidadania.
Creio que precisamos refletir sobre a realidade social e mental que o carnaval nos passa. Em um país com problemas tão agudos quanto o nosso, o carnaval se torna a festa mais hipócrita e sem sentido deste mundo. Peço à Deus que em lugar de alegria, haja mais pranto e mais consciência e transformação social.

Nenhum comentário: