Na ausência de líderes se criam ídolos.

Alguns líderes na igreja de hoje, não estão investidos de autoridade espiritual, mas de certos direitos formais dados pela organização que preside. São incapazes de liderar, apenas gerenciam, aquilo que outro plantou e regou.

O líder é uma peça estratégica no desenvolvimento de qualquer organização, pois ele é o responsável direto pelo desenvolvimento daqueles que se submetem aos seus princípios e lições.

A baixa qualidade de nossas igrejas se dá pelo fato da baixa qualidade de nossos líderes. Muitos estão abaixo da média, e são, na maioria das vezes liderados pelas circunstâncias.

É também por isso que os “grandes” líderes são na verdade grandes ídolos. Pois na ausência de verdadeiros líderes se criam ídolos. E por conta disso desenvolvemos dois sistemas administrativos na igreja. Um do líder, outro do ídolo.

* O ídolo prioriza estruturas e sistemas; o líder prioriza pessoas.

* O ídolo mantém; o líder desenvolve.

* O ídolo controla; o líder possibilita gestão compartilhada.

* O ídolo depende de controle; o líder inspira confiança.

* O ídolo se envolve com a emoção, o líder sabe avaliar com a razão.

* O ídolo se vale do medo, o líder se vale da ética.

* O ídolo é inconstante, o líder é perene.

* O ídolo mata, o líder inova.

* O ídolo é servido, o líder é servo.

A religião é fruto da idolatria, o verdadeiro cristianismo é fruto de Jesus Cristo.

A quem você se submete? A líderes ou a ídolos? Cuidado!

Nenhum comentário: