USINA 21 EM SÃO PAULO

Por Nany de Castro - www.guiame.com.br

O sábado do dia 7 de novembro reuniu em São Paulo a galera jovem cristã no 7º Usina 21. O auditório Rui Barbosa da Universidade Mackenzie foi o local de encontro de cerca de 500 jovens de diversas denominações, com objetivo de serem instrumentos de Deus na sociedade.

"A gente está trabalhando para dar ao jovem um sentido diferente para sua fé e vocação. O Usina é um espaço onde o jovem pensa, como ele, enquanto cristão, pode trabalhar para transformar a sociedade nas suas várias áreas", afirmou o vereador Carlos Bezerra Junior, idealizador do evento. Desde 2002, o Usina 21 já reuniu líderes cristãos como Ariovaldo Ramos, Ziel Machado, Ed Renê Kivitz, a senadora Marina Silva e o missionário Pedro do Boréu.

Antes das ministrações, os palhaços dos Jovens da Verdade coloriam o palco, dançavam e faziam os presentes se mexerem ao som de músicas agitadas e engraçadas.

Ariovaldo Ramos trouxe a mensagem principal, baseada no versículo de Mateus 18:11: "Porque o Filho do homem veio salvar o que se tinha perdido". O pastor apontou que Deus falasse de seu amor pelo homem, a trindade fez as três ações sociais para salvar a humanidade perdida. Primeira: a decisão de enviar Jesus para viver como humano e salvar; segunda: a criação de um universo provisório, aonde a morte não era o fim de tudo; terceira: empréstimo de sua bondade para o ser humano. "Porque até as pessoas que não amam a Deus, podem amar seu próximo", lembrou Ariovaldo, que ressaltou também que o fato de o Senhor não aprovar a construção de imagens de sua pessoa explica-se porque o próprio ser humano foi feito à imagem de Deus.

"A trindade em Cristo abraçou o sacrifício para que a gente pudesse existir. Como eu gosto de falar: ?Para que Deus pudesse dizer haja luz, ele primeiro teve que dizer haja cruz?", afirmou o Pr. Ramos.

Com 53 opções de oficinas para os horários da manhã e da tarde, a juventude pôde escolher desde temas relacionados à dança, comédia, trabalhos sociais, a assuntos como o abuso sexual infantil dentro da Igreja e disco voadores.

Apesar de a maioria ser jovem, outros segmentos da sociedade como os PMs de Cristo, representado pelo Major Alexandre Terra, também estiveram no Usina."O Usina 21 é um evento fantástico. Essa proposta de mobilização dos jovens para transformação social, como uma Usina de idéias, é fundamental para que o jovem tenha a sua visão ampliada sobre as possibilidades de atuar e transformar a sociedade. É fundamental que esse evento seja fortalecido e multiplicado na nossa cidade e estado", disse o Major.

As oficinas

Durante a manhã, o Guia-me participou da Oficina ministrada pelo vereador de São Paulo Carlos Alberto Bezerra Junior (PSDB). Nela, discutiu-se a violência sexual infantil e como a Igreja de Cristo pode ser um agente de conscientização e proteção das crianças. Para Bezerra Jr. é preciso punir os criminosos, porém não focar neles todas as atenções, e sim nas crianças violentadas, que precisarão de apoio e condições de tratamento psicológico, espiritual e social para um desenvolvimento saudável. "A pedofilia é um sintoma de uma sociedade doente", afirmou o vereador.

À tarde, o pastor Bruno dos Santos mexeu com a curiosidade de muitos cristãos. Os discos voadores e a possibilidade de vida inteligente fora da terra foram explanados de uma forma mais teológica. A ufologia foi explicada como uma pseudociência, que vem para substituir os antigos laços religiosos e trazer aos crentes em extraterrestres, esperança de uma vida que transcende a natural.

Para Bruno dos Santos, o evento, realizado na Universidade Mackenzie, tem um papel muito importante para a juventude. "A Usina 21 é mais do que um movimento, é um espaço aonde a gente pode discernir algumas coisas que estão acontecendo no momento social, político, teológico e afins. Porque falta esse espaço de discussão e debate entre os jovens hoje no Brasil e em São Paulo", explanou o pastor..

O sociólogo Gedeon Alencar também ministrou uma das oficinas. Nela, falou sobre o aumento do número de evangélicos no País. Para ele, o crescimento quantitativo não garante o qualitativo, e não implica também em mudança social.

Para o sociólogo, mesmo que os participantes do evento tenham sido em sua maioria evangélicos, é importante o caráter prático das oficinas. "A usina 21 é um evento evangélico, mas se caracteriza essencialmente pela ênfase prática e oficinas específicas da inserção social do jovens nesse momento, na questão da arte, da ecologia, na questão política. Nesses diferentes aspectos que, invariavelmente, dentro da Igreja a gente não fala muito", apontou o sociólogo.

Fonte:Guia-me

Um comentário:

Alex Fajardo disse...

Olá , estive no usina 21, fiz uma reportagem com fotos neste link

http://alexfajardo.wordpress.com/2009/11/27/usina-21-oficinas-2009/

abç a todos