Jesus foi expulso da sua igreja!

Ontem, estava conversando com um irmão que defendia fielmente a sua denominação propondo que a mesma não negava os princípios essenciais do Evangelho. Não consegui de forma alguma assentir com suas afirmações, e lhe indaguei as seguintes perguntas:

  • O que aconteceria se dissesse ao presidente de sua denominação: “Afasta-te de mim Satanás, pois tu não cogitas as coisas de Deus”? – Certamente você seria expulso de nossa denominação – respondeu ele.
  • O que aconteceria se entrasse no seu templo, na hora do dízimo e das ofertas e começasse a chutar as cadeiras e as peças e quinquilharias do “bazar gospel”? – Certamente expulsaríamos demônios em você – respondeu ele.
  • O que aconteceria se sua denominação me encontrasse numa mesa de bar conversando com jogadores, bêbados e prostitutas a noite? - Certamente lhe daríamos uma repreensão na frente de todos! – Mais uma vez me disse ele.
  • O que aconteceria se chamasse o colegiado de pastores da sua denominação de raça de víboras e filhos do Diabo? – Meu Deus! Você seria expurgado de nossa denominação – Disse ele.
  • O que aconteceria se eu comentasse sobre a inutilidade do templo e das liturgias intermináveis de sua denominação? – Com certeza você seria convidado a sair de nossa igreja! – Esbravejou ele.

Pois é, por estas e por outras que Jesus foi expulso de sua igreja, pois na verdade ele fez todas estas coisas, aos religiosos e “denominações” de sua época.

Senhor Jesus nos livre dessa Macumba Evangélica!

Vejo que muitas igrejas agonizam na procura de uma nova campanha que as sustentem no próximo mês. O mundo evangélico, ou universo gospel, continua sendo uma turba de oportunistas inoportunos, que entre outras coisas envolvem incautos na prática de macumbas com selo de qualidade evangélica.

Em alguns cultos já não existe diferença, entre uma “gira” espírita e uma vigília cheia do “espírito”. Uma boa parte da igreja ainda continua vitimada pela corrente dos 318, pelo corredor dos 70 e tal, vendida pela ilusão de franjas de vestes que curam, pela venda de Rosa de Sarom que arranja emprego, por carteira de trabalho em altar, peças de roupas, sabonetes ungidos e outras "tranqueiras", que libertinamente se fazem de impuras vitrines de libertação, conduzidas por lobos em pele de cordeiros.

Tudo o que vemos hoje é resultado do sincretismo religioso, isto é, da mistura entre o sacro e o profano, entre o cristão e o pagão. O fenômeno não é novo, mas o formato e a linguagem sim. Por isso o rito atrai, mas também trai a fé do incauto, levando ele ao inferno, tudo isso feito em nome de Jesus!

Fomos chamados para salgar, não para sermos salgados; iluminar, e não sermos iluminados; conduzir, e não sermos conduzidos; influenciar, e não sermos influenciados. Assim, ao invés de tomar a forma do mundo e cultuar como as religiões pagãs, deveríamos seguir o ensino da Palavra de Deus e cultuar a Deus sem essas magias, feitiçarias e macumbarias. Faça minhas as palavras de Paulo à Timóteo:
"Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem" (1Tm 4:16).

A Deus toda a Glória.