A Teologia da Serpente

A hermenêutica sempre foi uma área que me fascinou. Interpretar e extrair dos textos bíblicos verdades imprescindíveis, sempre foram pra mim, uma oportunidade de alegria e meditação sem preço. Tenho grande apreço pelos interpretes das Escrituras.
Mas há um hermeneuta, que a séculos vem fazendo história na igreja. Sua escola de discípulos cresce paulatinamente ano após ano. Sua teologia é pregada todos os dias pelas tevês e rádios, em muitas igrejas se vê sua tendência e postura diante da Palavra. Falo da Serpente do Éden, o primeiro hermeneuta da Palavra de Deus.
Muitos pastores e líderes conhecem mais a teologia da Serpente do que a teologia bíblica. A razão porque a saúde psicológica da igreja está em choque é a má interpretação das Escrituras, inaugurada pela Serpente no Éden. Algumas características dessa teologia:

A teologia da Serpente coloca em dúvida o caráter de Deus.
A Serpente disse a mulher: “Não foi assim que Deus disse...?”. A incerteza e a dúvida são características marcantes dessa teologia que apresenta um deus, muito diferente do Deus das Escrituras.

A teologia da Serpente fala coisas que Deus jamais falou.
A grande falta de conhecimento da Palavra foi a razão do declínio de Israel. Hoje é comum escutar em púlpitos palavra oriundas da Serpente, que supostamente são chanceladas por Deus. Deus havia dito a mulher que certamente eles morreriam caso comecem do fruto da árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, enquanto a Serpente categoricamente afirmou: “É certo que não morrereis...”.

A teologia da Serpente promove um deus tirano e inconseqüente.
Muitas pessoas olham as Escrituras como um livro de mandamentos impossíveis de serem seguidos, como se Deus ao revelar, pedisse de seus filhos sandices e loucuras que não pudessem ser cumpridas. Um deus neurótico que ora abençoa ora amaldiçoa. Essa teologia que está na moda, do como “fazer sacrifícios”, de dar o “seu tudo”, de ser amaldiçoado se não cumprir a “regra da visão” ou porque “saiu da visão” não são provenientes de Deus, mas da serpente que adora jogar o homem contra Deus.
 
A teologia da Serpente esconde que Deus é a favor de nós.
Na teologia as serpente fica claro que Deus não gosta de nós e sim daquilo que fazemos. Para a Serpente o fazer vem antes do ser. Na verdade Jesus nos mostrou que ao andar com prostitutas e ladrões, glutões e cobradores de impostos, Ele estava demonstrando que o amor de Deus não possui barreiras. Deus nos ama, apesar de nós mesmos. Deus nos ama mesmo ainda sendo pecadores. A religião pede de nós regras e mandamentos, enquanto que o amor de Deus está livre de qualquer exigência pessoal. Portanto a teologia da Serpente é a teologia celebrada pelos religiosos de plantão.

A Deus toda a Glória.

Nenhum comentário: