A Arca e a Igreja

No tempo da de Noé só existia um lugar seguro. A arca foi desenvolvida para ser um lugar seguro diante da catástrofe que estava por vir sobre a terra. O dilúvio mataria toda a carne, e todo ser vivente sobre a terra. A característica mais marcante era a segurança. Hoje no mundo, podemos assemelhar a arca com a igreja do Senhor. A igreja ainda é o lugar mais seguro para se estar neste mundo. A segurança é a primeira semelhança entre Arca e a Igreja.
A segunda semelhança era que a Arca não era o melhor lugar para se estar. Imagine o odor daquele ambiente, com todos aqueles animais, o incômodo de conviver com papagaios, maritacas, elefantes fazendo suas necessidades... A arca não era o melhor lugar para se estar, assim como acontece com a igreja. Nem sempre a igreja é o lugar onde você quer estar. Sei que muitas pessoas vivem momentos em que o último lugar onde você quer estar é na igreja, principalmente naqueles momentos em que nosso carácter ou vontade são confrontados. Esta é também uma semelhança marcante. Assim como arca, nem sempre a igreja é o melhor lugar para se estar. Apesar dos incômodos ou odores, ou ainda  as pessoas que você precisa aprender a conviver, a igreja apesar de não ser em determinados momentos o melhor lugar para se estar, ainda é o lugar onde você é tratado e melhorado, feito a imagem e semelhança de Deus. É através da igreja que você alcança o alvo de Deus para a sua vida.
Outra característica é a perfeição com qual a Arca foi desenvolvida. De acordo com Gênesis 6, cada parte da arca foi determinada por Deus. Na arca cada coisa tem o seu lugar. Na arca haviam regras, haviam normas a serem obedecidas. Quem ditava as regras da Arca era o seu engenheiro, Deus. Nenhum animal podia fazer o que queria. A girafa apesar de grande deveria abaixar sua cabeça (talvez uma metáfora para a prepotência humana?) para entrar na arca, assim como o leão não podia ser um predador ou caçador naquele ambiente, ele tinha seu lugar, mas ali dentro ele não era mais o rei dos animais, ele estava na mesma condição que todos os outros. A Arca tinha a função de preservar as espécies. A igreja foi desenvolvida com a mesma perfeição, na igreja apenas o dono da igreja dita as regras e apenas suas regras devem ser obedecidas. Noé, um tipo de pastor, deveria preservar a ordem e a organização do dia a dia da Arca no convívio com as diferenças de cada animal que estava na arca.
Podemos também encontrar semelhanças entre alguns animais e personalidades que encontramos na igreja de Cristo. Precisamos reconhecer que os animais não tinham a obrigação de mudarem seus hábitos, mas a Arca precisava preservar as espécies, portanto haviam regras ali. Essas regras valem pra nós hoje, como princípios de mudança: 2Co 5:17
Não somos animais, somos pessoas, não vivemos pelo instinto, nossa natureza pode ser transformada pela Palavra de Deus. O leão, a girafa, a hiena, o papagaio, não tinham a obrigação e nem a condição de mudar, pois são animais, e vivem pelo instinto animal. Eles obedeciam a regras e limitações que o próprio ambiente exigia, mas ao sair da arca mantinham seus instintos. Isso é uma característica dos animais irracionais, eles vivem pelo instinto, já os seres racionais vivem pela sua capacidade de discernir o bem e o mal, o melhor e o pior para nossas vidas.
Muitas pessoas obedecem algumas regras dentro do ambiente da Igreja, mas fora do ambiente da Igreja tornam-se novamente como pessoas instintivas ou almáticas, vivem pelos princípios de sua carnalidade e sua animalidade. A igreja quer e precisa transformar nossa vida, foi por isso que Jesus deixou este organismo na terra. O propósito original da igreja é produzir a sua e a minha transformação. Sermos aperfeiçoados até sermos levados por esta Arca espiritual à um novo mundo, uma nova vida, à um novo modo de existir. *
* Inspirado na ministração de Willy Garcia no mês de Junho em nossa Igreja.

Nenhum comentário: