O CLIMA ATUAL E A PROFECIA DE ISAÍAS.

     Quando assisti (uns dois anos atrás) ao documentário do ex-vice-presidente americano Al Gore, “Uma Verdade Inconveniente” (lançado em 2006), fiquei chocado com a forma como tratamos o nosso planeta. O filme é um alerta sobre o aquecimento global e como num curto prazo de tempo, podemos ruir o ecossistema de todo o planeta.
     De acordo com o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (PIMC), apoiado pela ONU , as temperaturas globais poderão aumentar entre 1,4° C e 5,8° C entre 1990 e 2100. Esse aumento das temperaturas, por sua vez, poderá provocar outras mudanças, inclusive no aumento do nível dos oceanos, e alterar a quantidade e o padrão das chuvas. É bem provável que tudo isso aumente a frequência e a intensidade de eventos meteorológicos extremos como inundações, secas, ondas de calor, furacões e tornados ao redor do mundo. Isso já é assistido por nós nos noticiários nacionais e internacionais.
     A revista Superinteressante, em outubro de 2005 trouxe uma reportagem sobre: O Começo do Fim. Há um trecho que diz: “A temperatura média do planeta subiu 0,7ºC no último século. Nas últimas décadas, geleiras tidas como eternas começaram a derreter, enchentes e secas se tornaram mais violentas, ondas de calor mataram milhares […] E o pior: foi só o começo. Nos próximos 100 anos, prevê-se que a temperatura aumentará entre 1,4ºC e 5,8ºC. Se considerarmos que 0,7ºC causou tudo isso, dá para dizer que a palavra “apocalipse” não está longe de descrever o que vem por aí. O aquecimento global não é uma ameaça distante: é um perigo palpável, real, e está bem na sua frente.”
     Há também um grupo de cientistas que está afirmando algo surpreendente sobre as mudanças climáticas e o aquecimento global. Segundo esses cientistas, estes fenômenos são causados por alterações no sol e não devido somente à liberação de gases de estufa da Terra. Estudos cuidadosos durante os últimos vinte anos mostram que seu brilho geral e a energia desprendida aumentam levemente à medida que sobe a atividade das manchas solares até seu ponto mais alto em um ciclo de onze anos. Recentemente satélites tem fotografado explosões cada vez mais intensas na superfície solar. Um trabalho do norte-americano Leon Golub, publicado pela revista Astronomy, mostra que erupções solares podem ser as fontes de aquecimentos na coroa, como se fossem “flashes”, carregados de raios alfa, gama e ultra-violeta. A emissão desses raios é uma ameaça à nossa camada de ozônio, pois elas exercem pressão de fora para dentro, forçando a camada.
     Existe portanto uma grande preocupação sobre o tema do aquecimento global, e esse assunto já faz parte da agenda dos partidos verdes e institutos científicos ao redor do mundo, que defendem uma nova mentalidade de desenvolvimento social sustentável. Mas o quê a Bíblia diz sobre esse tema? Qual é o conceito da Palavra de Deus sobre a nossa relação com o planeta terra?
     Há milhares de anos, Jesus profetizou que haveria mudanças no clima: “Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; sobre a terra, angústia entre as nações em perplexidade por causa do bramido do mar e das ondas; haverá homens que desmaiarão de terror e pela expectativa das coisas que sobrevirão ao mundo; pois os poderes dos céus serão abalados.” (Lc 21:25-26).
     Deus ao criar o homem, o colocou como mordomo do planeta. O grande gerente da terra que trabalharia para a harmonia de todo o sistema, mas o homem se rebelou contra Deus e alterou sua relação com a natureza, prejudicando a si mesmo e ao planeta. Todas as leis instituídas por Deus na condução e manutenção do ecossistema, devem ser respeitadas. Não somente as leis morais dos dez mandamentos. As leis da natureza, as leis do ar, as leis da camada de ozônio, as leis da física e da química, etc. Toda lei quebrada traz consequências sérias no convívio com a natureza. Hoje o aquecimento global é uma consequência da transgressão das leis da vida e da nossa existência ligada ao ecossistema. 
     O profeta Isaías é um dos mais contundentes sobre este tema, ele diz: “Na verdade a terra está contaminada por causa dos seus moradores. Porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram a aliança eterna”. (Isaías 24:5). Mas em particular, há uma profecia em Isaías que chama a atenção diretamente para o aquecimento global, e que confere a desconfiança dos cientistas quanto ao aquecimento sistemático do sol. O profeta afirma: “A luz da lua será como a do sol, e a do sol, sete vezes maior, como a luz de sete dias, no dia em que o SENHOR atar a ferida do seu povo e curar a chaga do golpe que ele deu.” (Isaías 30:26 - Grifo do autor)
     Temos que ter em mente que o sol é o primeiro astro citado no discurso escatológico de Jesus. Ele disse que haveriam sinais no sol. O termo “luz” citado na profecia de Isaías, refere-se ao calor que será sete vezes maior que o atual, ou igual a soma do calor de sete dias consecutivos. O que cada um de nós já notou é que nos últimos anos, o verão tem se intensificado, os invernos tem sido menores e às vezes nem chegam a incomodar. Os fenômenos ocorridos no sol estão desencadeando mudanças na nossa atmosfera, dando origem a outra série de distúrbios, nos mares, pólos, no derretimento acelerado das geleiras, etc. Neste caso, o homem é imensamente afetado conforme é narrado em outras profecias bíblicas. 
     Estes sinais que vemos no clima e na natureza, são um anúncio da breve volta de Jesus, e um prenúncio do juízo determinado por Deus para o fim de toda a terra. Nada há que possa ser feito, e mesmo uma consciência mais “verde” pode retardar, mas não muda os resultados finais desta ação “natural”.
     Como cristão, não me eximo de ajudar o planeta e o ecossistema, mas isso tudo que está acontecendo não é só fruto do descaso humano, mas um plano bem articulado de Deus para cumprir cada profecia anunciada pelas Escrituras. Para quem não possui fé no Criador e Consumador de todas as coisas, esta é a pior de todas as verdades inconvenientes: O fim está próximo!
Sites consultados:

Nenhum comentário: