Promoção de Natal: Jesus em Liquidação!

O que mais vemos no período natalino são promoções, ofertas e saldões espalhados para todos os lados da cidade. Tudo está em liquidação, até mesmo a fé em Cristo. Hoje existe “Jesus e cristianismos” para todos os gostos e todas as fés. Jesus pentecostal, Jesus histórico, Jesus denominacional, e até mesmo Jesus “sem igreja”, pois o importante é conhecer as demandas do mercado gospel e produzir a satisfação da clientela.
Jesus torna-se uma marca e um subproduto quanto a ênfase está naquilo que é adquirido em nome dele. O conceito de sociedade de consumo (termo criado na sociologia e economia moderna) está ligado ao de economia de mercado e, por fim, ao conceito de capitalismo, que tudo vende para obter mais e mais de outros produtos. Jesus, neste caso, é vendido para dele se obter aviões, mansões de luxo, carros importados e outras materialidades desconectadas da realidade da fé pregada pelo Jesus bíblico.
O mundo gira em torno do consumo e no mercado da fé isso não é muito diferente. Existe um sem número de igrejas que extrapolam os ensinamentos bíblicos sobre finanças e criam verdadeiras empresas de agiotagem evangélica. Pregadores populistas condicionam a satisfação das necessidades básicas de uma pessoa ao montante de donativos financeiros por ela entregue aos cofres da igreja que está sob “seu” comando. Essa manipulação psicossocial recria o “espírito de Geazi”, que se aproveitando da benção divina alheia, procurou tirar vantagem daquela situação, (2Rs 5:1-27).
Sendo assim, Jesus tornou-se um produto muito lucrativo em um mundo carente de esperança. Não adianta combater a teologia da prosperidade, se a sua base está na sociedade de consumo. Essa mentalidade consumista que “compra” Jesus para dele obter bens materiais, saúde e sucesso está fadada as campanhas de liquidação das igrejas que o “vendem”. Por isso, a genialidade dos marketeiros da fé que inventam coisas como: trízimo, benção da dupla honra, unção da multiplicação e outras aberrações e heresias, fazem tanto sucesso nesse mercado.
Neste natal, o Jesus promocional, disputa o décimo terceiro salário com as grandes redes e magazines mundiais, é um Jesus em liquidação. São campanhas promocionais imperdíveis, com o seguinte slogan: “Leve o nosso Jesus para a sua casa e receba uma porção dobrada de benção pela metade do preço dos concorrentes. Adquira o seu e seja eternamente (in)feliz”

Nenhum comentário: