Nos galhos secos de uma árvore qualquer.

O incidente da figueira sem frutos (Mt 21:19) lembra-nos a tragédia do crescimento volumoso, inchado que está acontecendo em nosso tempo. A árvore relatada nesta história perdeu o seu propósito fundamental – produzir frutos. Isso nos alerta para o julgamento que acontecerá para árvores em frutos. E o fruto aqui não está relacionada a incluir pessoas à uma nova igreja, mas fazer com que as pessoas incluídas sejam agentes de transformação e não dependentes de unções, igrejas ou pastores.

A igreja que cresce apenas numericamente mostra o fracasso do serviço. Pois sua responsabilidade não está em crescer. No livro de Atos vemos que “os que iam sendo acrescentados a cada dia” (At 2:47) era um trabalho do próprio Deus. A igreja cumpria a responsabilidade de tornar esses “acrescentados” dignos de participarem do Reino de Deus.

A missão da igreja é aperfeiçoar os santos para a obra do ministério (Ef 4:12). Preparar pessoas para o “fazer” e não apenas para o “ser” cristão. Crescer apenas numericamente é um grave sintoma de deformação e um sinal de imaturidade, pois o crescimento numérico deve estar acompanhado do aperfeiçoamento, ou seja, o crescimento em todas as áreas.
• Crescer na Graça e no Conhecimento de Cristo: 2Pe 3:18
• Crescer na Palavra de Deus: 1Pe 2:2
• Crescer até a maturidade de Cristo (caráter): Ef 4:12
• Crescer em Fé e Amor: 2Ts 1:3

Portanto o evangelho não se encerra na evangelização e sim na perfeição. Evangelizar para crescer numericamente deve envolver o aperfeiçoamento do crente como alvo a ser alcançado, sem isso, tornamo-nos árvores vistosas e grandes, mas condenadas por não darmos os frutos dignos de Nosso Senhor. O final da figueira foi secar e morrer, Por isso devemos sempre lembrar: “A expectativa dos nossos olhos não corresponde a expectativa de Deus”.

Você não vale nada, mas eu gosto de você! - As mentiras do avivamento moderno

É só chegar o começo de ano que algum profeta da moda fala novamente que Deus vai trazer um grande avivamento sobre o Brasil. Estou farto desse discurso triunfalista da igreja evangélica brasileira sobre o moderno avivamento que Deus está fazendo no Brasil. Isso é mentira! Basta de classificar esta balbúrdia eclesial de avivamento. Eis algumas questões que me fazem desacreditar:


Mentira número 1: A igreja evangélica brasileira está crescendo poderosamente.
Quantitativamente. A igreja brasileira está inchada, sofrendo o pior crescimento que se pode ter. O crescimento numérico apenas. Não se estão convertendo pessoas ao evangelho e sim às denominações. Está crescendo o número de pessoas religiosas e esquizofrênicas, amarguradas por aquilo que estão vendo acontecer e sofrendo dentro das próprias igrejas. O que realmente está crescendo é o mercado gospel de ofertas e procuras de bênçãos e modas passageiras que geram gente de fé doente. Não basta apenas ser sal, é preciso ter sabor. Evangelho sem compromisso não evangelho, e fé sem obras é morta.

Mentira número 2: Deus tem levantado homens de Deus para o ministério.
Homens de Deus?? Ou empresários gananciosos que percorrem o mundo atrás de um prosélito e o tornam duas vezes mais digno do inferno do que eles próprios. O que temos visto por ai são enxurradas de discípulos Macedianos, Malafarianos, Hernandianos e outras aberrações evangélicas que reinventam todos os dias a forma de arrancar as peles de ovelhas incautas e que não são capazes de discernir que estão sendo roubadas e não abençoadas. Seus testemunhos são por amostragem. Enquanto um, dois ou dez falam das “bençãos alcançadas”. Vinte mil se sentem lesados por estes tosquiadores vestidos de anjos de luz.

Mentira número 3: Deus tem feito milagres na igreja evangélica.
Deus faz milagres todos os dias! Isso não é exclusivo de nenhuma igreja, denominação ou apóstolo. Quanta gente anda saindo de sua igreja para ir “naquela” igreja dos milagres? Gente burra! Fantoches na mão de interlocutores de emoções e de fé superficial. Se Deus cura, e pode curar todo mundo, porque ele não faz isso então? Porque a nossa fé deve estar em Deus, e não naquilo que Ele faz! É por falta de compreender essa verdade que alguns vendem sua fé pela possibilidade de cura “naquela” igreja limpando lenços no suor de homens e desenvolvendo uma fé que crê só no que Deus faz.

Mentira número 4: A prosperidade alcançou o povo de Deus.
Principalmente os mega-pastores que compraram seus jatinhos particulares no ano passado. A prosperidade alcançou o Brasil pelo trabalho econômico que vem sendo feito a pelo menos oito anos, quanto ao povo de Deus, além da prosperidade, a ganância alcançou a maioria deles, que ávidos pelo lucro trocaram sua fé s EUA presença na igreja por barganhas com Deus. A verdadeira prosperidade de Deus deve vir acompanhada de Generosidade do Espírito.
 
Avivamento não tem a ver com abrir mais igrejas. Avivamento tem a ver com fechar mais botecos, prostíbulos e derrubar os níveis de vícios, corrupção e injustiça em nossa sociedade. Isso que chamamos de avivamento não passa de uma estatística furada que satisfaz o ego de muita gente por ai. O avivamento de Israel, da igreja de Atos e até mesmo o avivamento moderno de Wesley, forma assim chamados porque provocaram uma transformação social que mudou a cara de nações e continentes inteiros. Sem transformação não existe avivamento, mas religiosidade. Esse avivamento não vale nada, mas muita gente está interessado nele. Pense nisso!







AJUDE O HAITI



Originalmente postado do site da Conexão Vida