28 de set de 2010

O que acontece quando crianças pequenas morrem?

Sei que este é um assunto difícil e sensível. Todos nascemos pecadores e o Novo Testamento declara que precisamos “nascer de novo” se não quisermos atravessar o julgamento e o juízo de Deus. Isto é, o nosso estado natural é o pecado e não a inocência (João 3:1-12; Efésios 2:1-5; Sl 51:5). De acordo com Efésios 2:3 somos por natureza “filhos da ira”.
Além da nossa própria natureza, carregamos também o pecado imputado em Adão, estamos conectados através dele à um pré-juízo na história da humanidade, e por isso morremos fisicamente de acordo com Paulo em Romanos 5:13-14.
Então poderíamos concluir que se todos nascemos pecadores e fomos feitos pecadores, mesmo uma criança que não tenha cometido nenhum mal, através do pecado de Adão, ninguém poderia se livrar do Juízo caso não aceitasse Jesus pela Fé, que é o único meio de salvar-se da condenação, até mesmo uma criança em tenra idade, mas de fato não é isso o que acontece com uma criança, eu explico:
Eu creio que todos estão salvos! Em outras palavras, eu não compro o princípio que diz que crianças nascidas em "famílias cristãs” estão seguras, e as crianças nascidas em "famílias não cristãs” não estão seguras ou salvas.
Minha razão para pensar que todas as crianças estão salvas é por causa do princípio em Romanos 1. O argumento de Paulo é que todos possuem “CAPACIDADE PARA CONHECER DEUS”, por isso qualquer condenação final será baseada, pelo menos em parte, ao fato de terem acesso ao conhecimento necessário sobre Deus. DAi a razão pela qual Jesus pediu que seus discípulos fizessem outros discípulos e pregasse o Evangelho do Reino, para que O Criador fosse conhecido de todos quantos pudessem conhecê-lo.
De forma alguma Deus pedirá conta para crianças que não possuem a capacidade adquirir esse conhecimento, seja por morte prematura, abortiva ou outro tipo, pois estes não possuem capacidade intelectual suficiente ou até mesmo o caso de algum tipo de retardamento ou doença congênita mental que aborda as crianças excepcionais. Portanto, de alguma forma, de algum modo, Deus, por Cristo, abrange estas pessoas.
E por isso que eu acho que todas as crianças que morrem na infância são eleitos e serão, por meio de Jesus Cristo, salvos de maneira que eu não sei como, pois Deus honra este princípio de responsabilidade do conhecimento da Palavra que declara a Sua Glória e Razão última.
Existem aparentes exemplos nas Escrituras de bebês que receberam uma fé justificada ainda no ventre materno, por exemplo; João Batista foi cheio do Espírito Santo enquanto ainda estava no ventre de sua mãe (Lucas 1:15).
Centenas de anos antes de João Batista, Davi escreveu sobre uma teologia gerada no ventre de sua mãe, veja no Salmo 22:9-10. Nessa passagem vemos que Davi, evidentemente, estava em um relacionamento de salvação com Deus desde o ventre de sua mãe.
Estes versos tornam muito improvável que todos os bebês que morrem “sem Deus” são perdidos. Se Deus salvou João Batista e Davi na infância, certamente estamos autorizados a concluir que ele tem outros que são salvos na infância, mesmo que não tiveram a oportunidade de crescer. Mas também precisamos afirmar que a regeneração de infantes não parece ser uma forma comum de Deus trabalhar, devemos ter em mente que que temos a responsabilidade de ensinar a criança no caminho em que deve andar sempre que a mesma tiver a oportunidade de conhecer Deus com seu intelecto e emoções.
Para concluir que todas as crianças que morrem em tenra idade são salvas, lembremos o que Jesus disse em João 9:41, para aqueles que se sentiram ofendidos com o seu ensinamento, ele lhes afirmou: "Se fôsseis cegos, não teriam pecado, mas uma vez que vocês dizem, “Nós vemos”, o vosso pecado permanece."
Em outras palavras, se uma pessoa não tem a capacidade natural de ver a revelação da vontade de Deus ou a glória de Deus, então ela não é réu de condenação. Um outro texto é o de Romanos 1:20, onde Paulo está lidando com pessoas que não ouviram o evangelho e não têm acesso a ele, mas que têm acesso à revelação da glória de Deus na natureza:
Romanos 1:20 "Desde a criação de atributos invisíveis de Deus o mundo, o seu eterno poder e a natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos através do que tem sido feito, de modo que eles são inescusáveis". Em outras palavras: se uma pessoa não tem acesso à revelação da glória de Deus - não têm a capacidade natural para vê-lo e compreendê-lo, então Paulo diz que eles terão uma desculpa no dia do julgamento.
É importante ressaltar que Deus não salva os infantes porque eles são inocentes. Eles não são inocentes, mas culpados. Ele os salva porque, embora eles sejam pecadores, na sua misericórdia, ele deseja que a compaixão seja exercida sobre aqueles que são pecadores e ainda não têm a capacidade de compreender a verdade revelada sobre Ele na natureza ou através da Sua Palavra. Finalmente, para aqueles que têm lutado com este problema através da perda pessoal, gostaria de dizer que saber o que acontece com as crianças que morrem é um bom lugar para descansar sua alma, assim como essa criança descansa nos braços do Pai Todo Poderoso.

Necessidades X Eternidade.

22 de set de 2010

TEMER É SATANISTA OU MASTRAL UM MENTIROSO?

Em março de 2009 circulou na internet um e-mail em nome da Pra. Neuza Itioka, de que ela estava sendo perseguida por um grupo de satanistas políticos, entre eles Sarney, Kassab e o próprio Temer. Mas esse conteúdo foi negado pelo Ministério Ágape Reconciliação do qual a Pra. Neuza é  a fundadora e presidente.
Nesse mesmo e-mail, havia ainda a informação de que tudo começou com a publicação do livro intitulado Filhos do Fogo, escrito por um autor com o pseudônimo de Daniel Mastral, que entre outras coisas afirmava que Michel Temer era seu pai, e que ele (Mastral) era oriundo de uma poderosa e secreta organização satanista chamada Irmandade. E que a Pra. Neuza Itioka estaria ajudando em sua restauração e libertação espiritual.
O Ministério Ágape negou veementemente estas notícias, dizendo que o ministério e o nome da Pra. Neuza estariam sendo usados de maneira indevida por algum interesse escuso.
Daniel Mastral, cujo nome verdadeiro é Marcelo Agostinho Ferreira, parece sofrer do mesmo problema que recentemente tomou o ministério Casa de Davi, quando veio a tona o testemunho das mentiras de Davi Silva, que aumentou e acrescentou aos verdadeiros fatos para obter destaque na mídia e entre as igrejas.
Algumas pessoas que conhecem de perto o caráter de Daniel Mastral publicaram nas redes de relacionamentos como Orkut e Facebook alguns testemunhos, como o de sua Ex-noiva Camila, que relatou entre outras coisas que o vulgo Daniel Mastral é filho do Sr. Laércio Bastos Ferreira (já falecido) e da Sra. Regina Agostinho Ferreira, que juntos tiveram mais 3 filhos, além de Mastral, e que segundo a própria mãe não entende porque Mastral a acusa de adultério com este suposto satanista chamada em seu livro de Marlon (que seria supostamente Michel Temer), segundo ela, basta apenas que ele faça um exame de DNA e tudo seria esclarecido para ele (Mastral) e os demais.
Quando questionado na revista Rolling Stone Brasil (veja aqui), se ele era satanista e se tinha conhecimento do que era falado no meio evangélico sobre ele,? Ele disse: “Sim, tenho conhecimento. Falei com vários evangélicos. Eles acham uma loucura. Na internet dizem que sou filho de Satã, que me filiei a uma corrente satanista. Deve ser coisa de algum inimigo meu.”
Michel Temer é Católico não praticante e Maçom declarado (veja aqui), se é satanista ou não, não sabemos de fato, pois não existem provas cabais, mas o que não podemos é tornar a igreja uma massa de manobra ideológica por este ou aquele discurso. Uma coisa é certa, nenhum satanista terá poder e  autoridade se do Alto ele não for revestido desse poder por Deus.  Nunca se esqueça, existem escritores que querem ganhar o mundo inteiro e perder a própria alma.
Quem é Michel Temer?
Michel Miguel Elias Temer Lulia nasceu em Tietê (SP), no dia 23 de setembro de 1940. Sua família, católica, imigrou de Betabura, na região de El Koura, Norte do Líbano, em 1925. Temer é formado em Direito pela tradicional Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Doutorou-se pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo e dirigiu o curso de pós-graduação da Faculdade de Direito da PUC-SP. Nas eleições de 2010, lançou-se a vice-presidente na chapa de Dilma Roussef.

VEJA O VÍDEO DA ENTREVISTA COM MASTRAL


13 de set de 2010

COISAS QUE ME INCOMODAM NOS CRENTES.

Diariamente ficamos incomodados com situações e atitudes que procuram nos tirar do sério, nos tirar a paz ou nos deixar inconformados com algumas coisas. Se olharmos para a política, a TV, os telejornais, a internet, nos incomodamos facilmente com várias coisas, mas existe algo que me incomoda extremamente. É a atitude que determinadas pessoas possuem dentro da igreja ou diante do Evangelho de Cristo.
Se você está incomodado com certas atitudes, saiba de uma coisa, você não está sozinho. Há um enorme grupo de pessoas incomodadas dentro da igreja também, e eu fiz uma lista que você pode ampliar em seus comentários aqui. Lá vai:
  1. Fico incomodado com pessoas ACOMODADAS dentro da igreja
  2. Fico incomodado com pessoas que MURMURAM diante da Graça de Deus.
  3. Fico incomodado com pessoas que usam de FALSIDADE diante da verdade do Evangelho.
  4. Fico incomodado com pessoas que VALORIZAM MAIS O QUE POSSUEM do que aquilo que são.
  5. Fico incomodado com pessoas que ao invés de amarem os irmãos, INVEJAM os irmãos.
  6. Fico incomodado quando fazem da Casa de Oração, COVIL DE SALTEADORES.
  7. Fico incomodado quando os que NADA FAZEM criticam aqueles que fazem alguma coisa.
  8. Fico incomodado quando a dor e a necessidade de uma pessoa não incomoda aquele que SE DIZ CRISTÃO.
  9. Fico incomodado quando se prega uma coisa e VIVE-SE OUTRA.
  10. Fico incomodado quando vejo a DIFERENCIAÇÃO entre o pobre e o rico na igreja do Senhor.
  11. Fico incomodado quando vejo uma CLARA MANIPULAÇÃO ser chamada de “estar cheio do Espírito Santo”.
  12. Fico incomodado quando um pregador usa a Palavra de Deus como PRETEXTO para mandar recados usando o púlpito como uma trincheira de amargura.
  13. Fico incomodado com a INDIFERENÇA da Igreja com a realidade e as necessidades que a cercam.
  14. Fico incomodado com pastores que estão mais preocupados com a TAMANHO DE SUA IGREJA, do que com o número de pessoas que participam do Reino de Deus.
  15. Fico incomodado com aqueles que preferem “SENTIR” Deus do que aprender sobre Deus meditando com consciência e investindo seu tempo no estudo bíblico sólido.
  16. Fico incomodado com aqueles que preferem os HOLOFOTES do que a luz de Cristo.
  17. Fico incomodado com pastores que não querem o bem das ovelhas, mas OS BENS DAS OVELHAS.

 “A INCOMODAÇÃO É O SINAL DE QUE MUDANÇAS ESTÃO POR VIR”

1 de set de 2010

Vivendo contra o mundo para o bem do mundo

Acredito existirem duas coisas extremamente tóxicas para a igreja. O legalismo e o liberalismo. Estas duas formas de atuação são igualmente tóxicas. Durante anos a igreja viveu presa aos dogmas criados pelas mentes legalistas, anulando e redimensionando o Evangelho de Nosso Senhor à uma religião manipuladora e que observava mais a tradição do que a vida, que humilhava os que pensavam diferentemente deles e condenavam os que se levantavam contra suas práticas. A lei (segundo a mente humana) era mais forte que a vida e isso refreou o poder de alcance do Evangelho na vida cotidiana de pessoas ao longo da história.

É natural que a nossa geração se sinta na obrigação de não mais viver esse legalismo, e que a nossa leitura seja uma leitura mais inclusiva, mais dinâmica com o mundo que estamos vivendo, mas estamos caindo no outro extremo em nossas práticas. Estamos vivendo uma abertura jamais contemplada por Jesus. O liberalismo está trazendo a filosofia e a prática mundana para dentro da igreja. A igreja em sua prática litúrgica e confessional está andando de mãos dadas com os princípios gerenciais e autônomos que viabilizam as práticas no mundo. Nos relacionamentos, nas reflexões, etc, ser livre do legalismo hoje em dia parece igual a ser escravo de um jeito de ser mundano, e ai precisamos da ajuda de Paulo que asseverou aos gálatas: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade: porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor.” (Gálatas 5.13).

A escravidão dos sistemas é aquela que oferece um tipo de salvação que é sempre fruto dos méritos ou obras humanas. Seja pela observação da lei, seja por meio de um liberalismo exagerado, ser “assim” ou ser “assado”, não salva ninguém, mas o Sangue do Cordeiro vertido na cruz! Cristo nos tornou livres do domínio da lei e da “não lei”. Jamais poderemos conceber ao nosso cristianismo, uma etiqueta dizendo que pertencemos a alguma coisa, pois fomos comprado somente por ele e para ele. Afinal fomos chamados para o mundo e não para ser o mundo. Fomos chamados para o bem do mundo, sendo contra aquilo que o mundo é. A oração de Jesus contemplou este estado de ser, quando disse ao Pai. “Não os tires do mundo, mas os livre do mal”

COMPARTILHE

COBERTURA ESPIRITUAL E APOSTOLADO MODERNO