O que acontece quando crianças pequenas morrem?

Sei que este é um assunto difícil e sensível. Todos nascemos pecadores e o Novo Testamento declara que precisamos “nascer de novo” se não quisermos atravessar o julgamento e o juízo de Deus. Isto é, o nosso estado natural é o pecado e não a inocência (João 3:1-12; Efésios 2:1-5; Sl 51:5). De acordo com Efésios 2:3 somos por natureza “filhos da ira”.
Além da nossa própria natureza, carregamos também o pecado imputado em Adão, estamos conectados através dele à um pré-juízo na história da humanidade, e por isso morremos fisicamente de acordo com Paulo em Romanos 5:13-14.
Então poderíamos concluir que se todos nascemos pecadores e fomos feitos pecadores, mesmo uma criança que não tenha cometido nenhum mal, através do pecado de Adão, ninguém poderia se livrar do Juízo caso não aceitasse Jesus pela Fé, que é o único meio de salvar-se da condenação, até mesmo uma criança em tenra idade, mas de fato não é isso o que acontece com uma criança, eu explico:
Eu creio que todos estão salvos! Em outras palavras, eu não compro o princípio que diz que crianças nascidas em "famílias cristãs” estão seguras, e as crianças nascidas em "famílias não cristãs” não estão seguras ou salvas.
Minha razão para pensar que todas as crianças estão salvas é por causa do princípio em Romanos 1. O argumento de Paulo é que todos possuem “CAPACIDADE PARA CONHECER DEUS”, por isso qualquer condenação final será baseada, pelo menos em parte, ao fato de terem acesso ao conhecimento necessário sobre Deus. DAi a razão pela qual Jesus pediu que seus discípulos fizessem outros discípulos e pregasse o Evangelho do Reino, para que O Criador fosse conhecido de todos quantos pudessem conhecê-lo.
De forma alguma Deus pedirá conta para crianças que não possuem a capacidade adquirir esse conhecimento, seja por morte prematura, abortiva ou outro tipo, pois estes não possuem capacidade intelectual suficiente ou até mesmo o caso de algum tipo de retardamento ou doença congênita mental que aborda as crianças excepcionais. Portanto, de alguma forma, de algum modo, Deus, por Cristo, abrange estas pessoas.
E por isso que eu acho que todas as crianças que morrem na infância são eleitos e serão, por meio de Jesus Cristo, salvos de maneira que eu não sei como, pois Deus honra este princípio de responsabilidade do conhecimento da Palavra que declara a Sua Glória e Razão última.
Existem aparentes exemplos nas Escrituras de bebês que receberam uma fé justificada ainda no ventre materno, por exemplo; João Batista foi cheio do Espírito Santo enquanto ainda estava no ventre de sua mãe (Lucas 1:15).
Centenas de anos antes de João Batista, Davi escreveu sobre uma teologia gerada no ventre de sua mãe, veja no Salmo 22:9-10. Nessa passagem vemos que Davi, evidentemente, estava em um relacionamento de salvação com Deus desde o ventre de sua mãe.
Estes versos tornam muito improvável que todos os bebês que morrem “sem Deus” são perdidos. Se Deus salvou João Batista e Davi na infância, certamente estamos autorizados a concluir que ele tem outros que são salvos na infância, mesmo que não tiveram a oportunidade de crescer. Mas também precisamos afirmar que a regeneração de infantes não parece ser uma forma comum de Deus trabalhar, devemos ter em mente que que temos a responsabilidade de ensinar a criança no caminho em que deve andar sempre que a mesma tiver a oportunidade de conhecer Deus com seu intelecto e emoções.
Para concluir que todas as crianças que morrem em tenra idade são salvas, lembremos o que Jesus disse em João 9:41, para aqueles que se sentiram ofendidos com o seu ensinamento, ele lhes afirmou: "Se fôsseis cegos, não teriam pecado, mas uma vez que vocês dizem, “Nós vemos”, o vosso pecado permanece."
Em outras palavras, se uma pessoa não tem a capacidade natural de ver a revelação da vontade de Deus ou a glória de Deus, então ela não é réu de condenação. Um outro texto é o de Romanos 1:20, onde Paulo está lidando com pessoas que não ouviram o evangelho e não têm acesso a ele, mas que têm acesso à revelação da glória de Deus na natureza:
Romanos 1:20 "Desde a criação de atributos invisíveis de Deus o mundo, o seu eterno poder e a natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos através do que tem sido feito, de modo que eles são inescusáveis". Em outras palavras: se uma pessoa não tem acesso à revelação da glória de Deus - não têm a capacidade natural para vê-lo e compreendê-lo, então Paulo diz que eles terão uma desculpa no dia do julgamento.
É importante ressaltar que Deus não salva os infantes porque eles são inocentes. Eles não são inocentes, mas culpados. Ele os salva porque, embora eles sejam pecadores, na sua misericórdia, ele deseja que a compaixão seja exercida sobre aqueles que são pecadores e ainda não têm a capacidade de compreender a verdade revelada sobre Ele na natureza ou através da Sua Palavra. Finalmente, para aqueles que têm lutado com este problema através da perda pessoal, gostaria de dizer que saber o que acontece com as crianças que morrem é um bom lugar para descansar sua alma, assim como essa criança descansa nos braços do Pai Todo Poderoso.

Necessidades X Eternidade.