CRISTOFOBIA - Uma nova doença.

Como teólogo cristão, tenho encontrado certa dificuldade para falar sobre Jesus Cristo em alguns meios sociais. Claramente vejo pessoas se sentindo incomodadas quando testemunho de minha fé em Cristo, ou falo da vida dentro da igreja. Em algumas palestras ou reuniões acadêmicas que envolvem diferentes linhas de raciocínio ou fé, sinto-me veementemente atacado por aqueles que dizem serem “liberais”.
Grupos gays, ateus, e toda sorte de movimentos modernos são fortemente cristofóbicos. Eles rejeitam qualquer idéia sobre Jesus Cristo no meio deles. Uma discriminação clara contra a expressão da fé cristã e do seu Cristo.
No EUA, um forte movimento cristofóbico tem tomado a cabeça dos jovens e de outros grupos sociais, gerando inclusive frentes sociais e eventos que rejeitam a expressão cristã em qualquer instância. Se isso acontecesse contra outros grupos, as pessoas chamariam de intolerância, mas contra cristãos ou Jesus, isso parece não surtir efeito negativo.
Jesus predisse essa perseguição (Jo 15:20), e sabemos que a expressão da fé em um único Deus que não se molda a vontade humana gera inconformidade com o humanismo e o existencialismo moderno. Vivemos em um mundo, onde o homem se coloca como um deus, e qualquer divisão nesta ordem acaba em protesto, ódio social e perseguição.
Continuarei falando do meu Cristo e da minha fé, pregarei os valores que acredito e que estão pautados nas Escrituras. Quanto a perseguição e os perseguidores..., não os culpo em nada, afinal um dia já estive do outro lado, mas hoje penso como o Apóstolo Paulo, o maior perseguidor da igreja do primeiro século, que escreveu: “A mim, que dantes fui blasfemo, e perseguidor, e injurioso; mas alcancei misericórdia, porque o fiz ignorantemente, na incredulidade”. (1Timóteo 1:13)

Um comentário:

Anônimo disse...

Passei por esse blog e fiquei impressionado com a ingnomínia deste post. O autor não tem a menor autocritica e mistura o conceito de "liberal" com as posturas particulaes de grupos específicos (como gays e ateus). Aí já fica explícito o caráter preconceituoso, ignorante e raivoso do texto. Só falta o autor perceber o óbvio: nenhuma pessoa mentalmente sã suporta ouvir cristãos doentios vomitarem suas interpretações fundamentalistas equivocadas das escrituras "sagradas" (para os cristãos). é só isso senhor autor: é você que ninguém aguenta ouvir. Não tem nada de cristofobia. Isso é invenção sua para justificar a rejeição à sua chatice verborrágica.