REDENÇÃO DO PRIMOGÊNITO: Pidyon haben - פדיון הבן

Este é o nome dado ao ritual onde o pai judeu redimi seu filho primogênito, nascido de parto natural, pagando cinco shekelim (espécie de moedas de prata) ao Cohem (dirigente litúrgico da sinagoga). E geralmente é feito no trigésimo primeiro dia (31) depois do nascimento do menino.
A tradição judaica explica que os primogênitos dos filhos de Israel foram escolhidos para o sacerdócio pelo Criador, devido ao fato de terem sido poupados da última das 10 pragas do Egito. No entanto, quando os israelitas pecaram ao sacrificar ao bezerro de ouro, os sacerdotes assumiram o dever do sacerdócio. Este rito foi então instituído como forma de resgatar o filho mais velho desta obrigação ao sacerdócio.
O Primogênito é o primeiro filho e o primeiro entre os irmãos. Jesus foi o primogênito de Maria (Mt. 1:24-25). Jesus teve quatro irmãos, fora as irmãs (Mt. 13:55-56). A linhagem de um homem era contada pelo primogênito, por isso que a força de um homem estava no primogênito (Dt. 21:15-17). Se morria o primogênito, estava cortada a linhagem e a força do tal homem. O valor dos primogênitos vinha do Eterno. O povo de Israel foi chamado por Jeová de filho primogênito (Ex. 4:22), e o preço pago para resgatá-los era de cinco ciclos de prata (Nm. 3:46-47).
O Deus Bíblico nunca pediu o sacrifício de crianças, mas era necessário que os primogênitos dedicassem sua vida ao serviço do Templo. O pagamento das cinco “shekelim” devolvia o direito aos pais de terem seus filhos integralmente à eles. A primogenitura é um direto de herança. O primogênito de acordo com a tradição judaica é aquele que possui um direito exclusivo de herança.
Sobre o primogênito está delegada uma autoridade superior. Jacó relata isso de Rúben: “Rúben, você é meu primogênito, minha força, o primeiro sinal do meu vigor, superior em honra, superior em poder.” Gn 49:3
O desejo que Deus nutre pelo primogênito mostra que é uma posição de benção, de graça, divina. Ser um primogênito significa carregar uma marca única. Por isso sabemos que: 
* Todo primogênito era consagrado ao Senhor – Nm 3:13
* Todo primogênito tinha uma porção dobrada – Dt 21:17
* A tradição dizia que todo o primogênito na ausência do Pai era o sacerdote da família.
* Todo primogênito tinha um valor diante de Deus – Nm 3:40-41 (Lc 2:22-24)
O Senhor Deus, nos delegou o direito de sermos considerados os primogênitos juntamente com Cristo, mas por falta de sabedoria e entendimento estamos abrindo mão do nosso direito da primogenitura em detrimento de um momento de necessidade passageira. Podemos sim perder esta benção da primogenitura quando nos detemos em uma situação de carnalidade e banalizamos as coisas de Deus em detrimento das coisas temporárias, como foi com Esaú e Absalão. E isso nos custará muito mais caro do que apenas 5 “shekelim”.

Um comentário:

Anônimo disse...

Graça e Paz Bruno! Tudo bem com vc?

Eu recentemente ouvi em um estudo bíblico que para os judeus a cultura da primogenitura tem um aspecto diferente na seguinte situação: Quando uma família de judeus possui por exemplo, 5 filhos, sendo um desses 5, filho adotivo, se por acaso o primogênito morrer, a benção da primogenitura não irá para o próximo filho, ou qualquer outro filho de sangue, mas toda a benção que seria para o primogênito o filho adotivo herdaria. Isto é verdade?

Obrigado e Feliz 2014!

Moises

moisesmaxwell@gmail.com