SER SANTO NÃO É NÃO PECAR MAIS, MAS SE ARREPENDER DO PECADO!

Erroneamente algumas igrejas ensinam que é possível chegar a um determinado desenvolvimento de santidade, em quê o indivíduo não comete mais pecado, isto é, não peca mais. E alguns, iludidos por este ensino, acreditam que essa dimensão existencial seja possível.
A Bíblia claramente associa a santificação à separação de alguém para Deus e para o Seu serviço. Ser santo significa ser separado e preparado para cumprir e desenvolver os propósitos de Deus na história. Por isso dizemos que Deus usou “homens santos” para cumprirem seus propósitos na terra.
A grande diferença, entre os santos (separados) e os pagãos, é que os primeiros não devem e nem precisam (querem) pecar. Não devem por que compreendem o espírito da Lei do Senhor, e não querem porque possuem poder para resistir as tentações ou circunstâncias, dados a eles pelo Espírito de Deus.
Mas isso não os isenta de pecar, ou seja, santos também pecam, também erram. Se santos não pecassem mais, poderíamos extrair várias páginas da Bíblia. Vejamos:
1. A Bíblia dá uma provisão para os santos que pecam. 
"Se confessar os nossos pecados, ele é justo e fiel para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça". 1 João 1:9. 
"Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e. se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo". 1 João 2:1. 
"Antes sede uns para os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo". Efésios 4:32.

2. A Bíblia declara que os santos podem vir a pecar. 
"Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo". Tiago 3:2. 
"Se dissermos que não pecamos, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós". 1 João 1:8.
"Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis". Gálatas 5:17.

3. A Bíblia dá exemplos de santos que pecaram. 
O Apóstolo Pedro pecou. Paulo diz que ele era culpado. Lemos em Gálatas 2:11: 
"E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível". (Se Paulo estiver falando a verdade, então Pedro pecou; se Paulo entendeu Pedro de maneira errada, então Paulo pecou.)
O Apóstolo Paulo pecou. Romanos 7:20.
"Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim". 
O Rei Davi pecou. "Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor". 2 Samuel 12:13.
A diferença entre o santo e o pecador contumaz, é que o santo é corrigido pelo Senhor, enquanto o pecador continua na prática do seu pecado. A correção aos pecados que cometemos como pessoas separadas para Deus dói, mas nos é útil. Todo pecado gera consequências, temporais e eternas, a diferença do pecado cometido pelo santo, é que suas consequências eternas são apagadas pelo Sangue de Jesus derramado sobre a vida do santificado. Concluo dizendo que:
AS ESCRITURAS CHAMAM OS HOMENS DE FÉ DE SANTOS NÃO POR SEREM PUROS, MAS PORQUE ERAM SEPARADOS E CHAMADOS PARA A PUREZA. Santidade não é não pecar mais, mas se arrepender do pecado cometido. Somos considerados santos porque fomos consagrados a Deus, fomos separados e chamados para viver de forma diferente. A vida cristã é caracterizada pela inconformidade. Essa idéia é expressa na carta de Paulo aos Romanos 12.1,2 : “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.

Um comentário:

J.Monteiro disse...



"Se confessar os nossos pecados, ele é justo e fiel para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça". 1 João 1:9.
"Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e. se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo". 1 João 2:1.
"Antes sede uns para os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo". Efésios 4:32.

2. A Bíblia declara que os santos podem vir a pecar.
"Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também refrear todo o corpo". Tiago 3:2.

Querido Bruno, O livro de primeira João fala a filhinhos a jovens e a pais, ao ler 3: 6; 3: 9 e 5: 18, você é consolado com uma palavra que é negada por muitos, mas está aí - "Não pecamos".

Quando é dito que se dissermos que não temos pecado. Não há acréscimo para que se peque. Sabemos pecar, mas não usaremos mais deles.
Já Tiago dá uma boa notícia que é; podemos ser perfeitos em Cristo, o Senhor do céu e da terra nos torna perfeitos a ponto de não mais tropeçarmos.

Basta lembrar que em outro tempo Jesus nos libertou de pecados que consideravamos invencíveis. Ele nos livrará de todos, morreu por todos os pecados não de alguns.

Já em Romanos sete a ênfase é exatamente na fraqueza do homem carnal, que não pode nem deve confiar em seus poderes, carrega um corpo de morte(24)é um miseravel, por isso, mas será, e é vitorioso se não andar na carne, mas no Espírito como está dito pelo mesmo apóstolo no capítulo 8: 1 e 2.
Não se pode confiar na carne, por isso lemos Romanos 7:19, o bem que quero fazer não faço, o mal que não quero esse faço. Ele sabe que a vitória está em Cristo, só em Cristo, correr para Jesus, se agarrar em Jesus como um perdido que tem um Salvador poderoso para o livrar de todos os pecados.

Querido Bruno se ajuda leia o livro "O Segredo espiritual de Hudson Taylor".
Felicidades
Jesiel Monteiro