SER EVANGÉLICO - ESTAR EVANGÉLICO - VIVER O EVANGELHO!


Muitas pessoas hoje se autodenominam evangélicas. Mas o que isso quer dizer? Ser evangélico significa fazer parte de um segmento social, de uma classe religiosa ou viver compromissado com princípios bíblicos? Existe muita diferença entre estas três realidades de expressão religiosa. Vejamos de maneira mais explícita.
Tipo 1: Ser evangélico.
Alguém que se identifica com uma segmento religioso. Procura as aparências, a experiência, mas jamais um compromisso de mudança interior. Seu arqui-inimigo é o Diabo, adora participar de seminários de libertação espiritual, amarrando, destronando e decretando vitória sobre o Maligno. Gosta quando o pregador “desenrola o manto” e fala em “mistério”, mas vive sempre na “misericórdia” de Deus. Boa gente, mas muito inocente, geralmente levado por vários ventos de doutrinas. Acredita que Deus é evangélico e que todas as pessoas que não são evangélicas são instrumento do capeta. Não ouve rádio que não seja “crente”, e televisão, só se forem programas de conteúdo bíblico. A maioria é alienado ao que acontece fora do “arraial gospel”. E acreditam que  o Silas Malafaia seja o maior e melhor pregador de todos os tempos!
Tipo 2: Estar evangélico.
Alguém que nunca defendeu nenhum tipo de religião, mas encontrou no mercado gospel um espaço para vender seus produtos. Cd’s, coletâneas, camisetas, enfim, todo tipo de badulaque. Cantores da década de 80 e 90, jogadores de futebol, pagodeiros, dançarinos e atores pornôs que tentam dar uma “guinada” na sua carreira e reputação se filiando com “igrejas marqueteiras”, onde um usa o outro para trazerem público e prestígio (????) para a denominação. Mal se convertem e já são alçados a pregadores e “testemunhadores” profissionais. Vivem disso e as vezes cobram “cachê” para contarem o milagre da sua conversão. São tratados como celebridades pelos crentes desavisados, e os holofotes devem estar sobre eles. Quando caem no ostracismo novamente, geralmente deixam a denominação, a igreja e Jesus, pois nunca mantiveram um compromisso real com ninguém a não ser consigo mesmos.
Tipo 3: Viver o Evangelho
Este é o crente que possui compromisso com o Senhor. Que sabe que a salvação é um processo doloroso de transformação e mortificação pessoal. Seu arqui-inimigo é ele mesmo, que tentado pelas paixões e vontades, vence pela fé e pelo uso da Graça de Deus em sua vida. Não cultua homens, mas Deus. Sabe que homens são meros instrumentos, e que a experiência deve sempre estar atrelada a Palavra de Deus. Mesmo tendo prejuízo, cumpre a sua palavra, pois é sim ou não. Sua fé não é “bipolar”, pois conhece Aquele em quem tem crido. E portanto mesmo diante de dificuldades e obstáculos não esmorece. O Diabo, na maioria das vezes é um instrumento de aperfeiçoamento e descoberta de seu próprio caráter. Sabe que apesar da fé e do conhecimento bíblico é total dependente de Deus em tudo, e que não há nada dele do que se deve gloriar a não ser o fato de ser Filho de Deus. Seu compromisso é com a Palavra de Deus e com os princípios da fé. Reconhece que muito mais do que uma religião, Jesus deixou um estilo de vida.

4 comentários:

Alexandre Felippe disse...

SENSACIONAL!! Pr.Bruno, como sempre!
Realmente ficou bem elucidado a diferença entre ser, estar e viver.
Em um mundo onde "parecer" evangélico é moda, precisamos cada vez mais testemunhar com nossa vida o que é viver o Evangelho e não "parecer" evangélico!

Regina Dimitrio disse...

Agora virou moda ser evangélico, considerado como um "visto" ( aquele dos consulados) de boa idoneidade e caráter. Valha-me Deus! Quanta gente enganada e enganando, usando o Seu Nome! Um dia, confrontadas com a verdade, essas pessoas irão perceber que se afastaram do caminho da salvação e entraram num atalho, que não as levou para lugar nenhum.

Vânia M. G. Souza disse...

Em Maio Deus foi muito claro comigo dizendo que eu estava ótima pregando e testemunhando Seus feitos; mas Ele queria que eu vivesse Sua Palavra. Eu aceitei (ainda mais porque o pregador daquela noite foi usado para confirmar isso). Eu perdi o emprego. Daí fiquei doente. E então comecei experimentar os favores diários do Pai. Tenho agradecido a cada dia e definitivamente não quero ficar longe da Sua Palavra.

gilson Mendes disse...

era traficante fui preso, perdi pai quando fui preso por bebida compri 5 anos de cadeia , quando sai mudei minha vida . mas não tinha me convertido . Hoje me converti pois sei que o senhor em todas estas tribulações que passei em minha DEUS estava cuidando de min . Faz três meses de perdi um irmão assassinado se não fosse Deus a igreja não sei o que seria de min . .Hoje sei que Deus sempre estava me cercando cuidando de min sempre me estendeu a mao me socorreu quando precisei . Quero transformar tudo esta experiência que passei para fazer o bem trazer jovens para a igreja, sou leigo na palavra mais estou correndo atrás , queria materiais que podese me ajudar eu montar um material para trazer jovens para igreja e falar também de você ser convertido viver o evangelho . quem quiser me ajudar com dinâmicas texto agradeço mail biraocic@hotmail.com face gilson_mendes84@hotmail.com . obrigado que deus abençoe a todos .