ROCK IN RIO E A BÍBLIA!


Idealizado pelo empresário Roberto Medina pela primeira vez no Rio de Janeiro em 1985, a cidade que lhe deu origem e que o consagrou como o maior festival de música do mundo, o Rock in Rio acontece entre os dias 23 de Setembro e 2 de Outubro. Setecentos mil ingressos foram vendidos e são esperados mais de cem mil pessoas por dia no evento. O evento atualmente pode ser definido como um festival de música que reúne vários estilos, entre eles, o rock.
A ciência já provou os efeitos que a música causa em quem a ouve. Se eu estiver dirigindo em uma viagem longa, um rock pode me ajudar a permanecer mais atento, enquanto que uma música mais lenta, dá sono. Sabemos que todos os ritmos possuem uma certa influência sobre nossa mente. Mas a Bíblia não condena o uso de nenhum estilo ou ritmo musical. 
Agora há um problema que envolve o rock, assim como outras modalidades musicais; o estilo de vida que que o ritmo sugere. O “rock”, em questão aqui, carrega consigo um estilo de vida contrário ao estilo de vida esperado por Deus e revelado nas Escrituras, e isso é tema para dezenas de livros. Mas note bem, estou falando do estilo de vida e não do ritmo. Durante muitos anos o rock foi visto como uma música satânica, mas hoje sabemos que é uma ótima ferramenta evangelística em ambientes alternativos. O ritmo em si não nem bom, nem mal, portanto a utilização do ritmo não tem problema algum, desde que usado com sabedoria e desde que as pessoas não usem o rock juntamente com o estilo de vida das bandas que disseminaram a tríade: “Sexo, Drogas e Rock’n Roll”, como Kiss, Ozzy Osbourne, entre outros.
A música é algo muito importante na vida espiritual de um filho de Deus. Devemos usá-la para a Glória de Deus e com uma finalidade útil para o Reino de Deus. Qualquer influencia que sugira uma vida desregrada deve ser evitada, como Paulo nos adverte: “Mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom. Afastem-se de toda forma de mal.” (1Ts 5:21-22)
Não há dúvidas de que toda criação e dons vem do Senhor. Mas o pecado corrompe, e o que era para ser bênção, pode se transformar em maldição. Esta afirmativa inclui a música e sua variedade de ritmos, como o rock. Na atual época, o rock é o segmento musical que mais atrai o grande público, praticamente, em todo o mundo. Um dos fatos do rock ser anunciado como um ritmo “maligno” está relacionado com a associação as imagens como caveiras, mortos, demônios, etc. Um número grande de apetrehos e roupas escuras, disseminam uma idéia contrária ao ideal de Deus. Por isso o problema é o estilo de vida que ele sugere, não o ritmo e a sua musicalidade.
Mas creio que a música pode ter seus vários estilos e formas de expressar a Glória de Deus e todos estes estilos podem e devem ser usados para alcançar os perdidos. Não há como limitar o poder de Deus através de um ritmo ou estilo musical. Mas também afirmo que o slogan do Rock in Rio; “por um mundo melhor”, só será possível com um mundo mais cheio da Palavra de Deus e da anunciação da Obra Salvífica de Cristo.

Nenhum comentário: