É POSSÍVEL SER UM "CRISTÃO" SEM UMA IGREJA?

Como um cristão pode crescer espiritualmente? Seria possível crescer alheio a vida da igreja? O que significa ir à igreja? Que importância existe em conviver com pessoas que mal conheço? Seria possível desenvolver uma vida espiritual à parte da vida na igreja?
Estas perguntas são feitas a anos, por milhares de pessoas defraudadas por instituições religiosas. Apesar desta triste realidade, ainda é necessário lutarmos pela unidade da Igreja. O desígnio claro de Deus é a restauração da unidade de todas as coisas em torno de Cristo. (Ef 9:10). O Pentecoste só foi inaugurado mediante a igreja reunida (unidade) em Jerusalém.
Jesus mesmo disse: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome ali eu estarei” (Mt 18.20). Ressaltando a importância da comunhão. Quando os irmãos se reúnem Deus se faz presente de uma maneira especial. É na unidade do povo de Deus que o Senhor “ordena a sua bênção e a vida para sempre” (Sl 133.3).
Muitas orações são respondidas porque oramos juntos, por estarmos em unidade: (Mt 18.19) “Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que porventura pedirem, ser-lhe-á concedida por meu Pai que está nos céus.” 
Apesar de Deus nos ver como indivíduos, a Bíblia jamais exalta a individualidade como proposta de vida cristã. A “independência” no cristianismo não é uma virtude, mas um desvio de conduta. A vida congregacional, comunitária, forma o Corpo de Cristo, isto é, estamos ligados interdependentemente.
Não pode existir cristãos “ilhados”, isolados de todos os outros. Até mesmo a oração do “PAI NOSSO”, perde sentido quando é feito individualmente. Não existe auto-batismo, auto-ministração, não podemos tomar a Ceia sozinhos. Muitos com o intuito enganoso de se acharem superiores ou inferiores, afastam-se da comunidade, acreditando que Deus poderá fazê-los crescer sem ninguém com eles. Não existe relacionamento com Deus que não “desemboque” no relacionamento com o outro.
Por esta razão nos exorta o autor de Hebreus, dizendo: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes façamos admoestações, e tanto mais quanto vedes que o dia se aproxima.” (Hb 10.25).
Buscar a verdade, sem buscar a unidade espiritual é um engano. Nenhum cristão pode crescer sozinho, alheio à igreja. Devemos estar vinculados ao Corpo de Cristo, que é a reunião dos Santos, não pode haver vida fora do Corpo. Congregar é vital para o desenvolvimento espiritual sadio.

QUAL A FORÇA DE UMA ORAÇÃO?

Acordar pela manhã, já é um bom motivo para orar. O homem que abre seus olhos de manhã, sabe que deve agradecer a Deus, pois há aqueles que não têm esta chance. Mas se tivemos essa chance hoje, devemos parar tudo que estamos fazendo e tirar um espaço do tempo para orar e agradecer a Deus.
Dizem os sábios cristãos, que a oração de um indivíduo tem a capacidade de alterar determinações divinas, maior é sua força quando se transforma em expressão dos desejos de um grupo. Orar só é bom, mas orar em grupo é melhor ainda! Por isso a igreja do primeiro século orava muito.
Sabemos que nada acontece sem o desejo de Deus. O homem, no entanto, pode alterar até decretos divinos de morte, doença e outras situações difíceis. Pois ao orar, o homem se modifica, eleva-se e aproxima-se cada vez mais de Deus. Na verdade não é Deus que muda seus decretos, mas o homem ao orar, muda seu comportamento, e este é o poder da oração. Ela não muda Deus, a oração nos muda. Ou seja, a oração é um sinal da humildade do ser humano, pois aquele que ora para pedir uma bênção sobrenatural, um conforto pessoal ou para agradecer, está consciente da grandeza e soberania de Deus. 
Ainda que um indivíduo não conheça as palavras corretas para uma oração perfeita, sua prece tem a força dos seus sentimentos e a sinceridade do coração. A oração é um trabalho feito mais com o coração do que com a boca. Os antigos  rabinos ensinam que a oração é uma escada: sua base está na terra e seus degraus se erguem até os céus, quando mais oramos, mais próximos estamos de Deus. A oração é a chave de muitas portas espirituais!
Apesar de ser uma prática diária, como Jesus nos ensinou, a oração jamais pode ser mecânica, pois ela deve estar dotada de impressões pessoais e percepções espirituais de uma realidade que só enxergamos pela fé. E por isso, neste caso, a oração de um justo, pode muito em seus efeitos. Pois o justo ora até que se materialize suas palavras, seja na realidade física, ou dentro de seu próprio coração confirmando seu pedido de fé.