DEUS, ESPERA ALGO DE MIM!

Muitas pessoas me questionam sobre o “propósito” ou vontade Deus para a vida! Na verdade, a pergunta que me fazem é: O Que Deus espera de mim, pastor? Eu poderia responder:  Nada! A não ser esperar! Deus espera...pacientemente o Cristo sendo formado em nós.
Se estamos todo vivos, ainda há esperança, ao menos no coração de Deus. Quando atravessamos momentos de desilusão e nossa alma esmorece de tristeza, lembre que a vida continua como dádiva intocável daquele que espera em mim e em você, uma reação da fé de Deus em nós. É a oportunidade de ver Cristo desenvolvendo seu caráter nestas “horas getsemânicas”
Por isso a nossa fé é esperar em um Deus que nos espera! Ele acredita que somos capazes de virar a mesa, de torcer o resultado final, de encontrar o caminho certo. Não porque ele crê em nossa capacidade de percepção e discernimento a favor da bondade, mas a nossa remissão foi completa no Filho do Homem. Quando aceitamos Cristo como opção de vida e de conduta, tudo é transformado, os rios de água da vida correm em nossos corações limpando e conduzindo as coisas como devem ser.
Cristo fez com que Deus tivesse esperança na raça humana. O muro de contenção da Graça rompeu-se na Cruz do Calvário, pois ali morreu o velho homem, a velha natureza corrupta, Deus tornou, de uma vez por todas a acreditar em nós.
Deus tem fé em mim, Deus tem fé em você, porque em Cristo, todos somos feitos mais que vencedores, merecedores sem mérito algum, apenas como fruto do Amor Divino, não foi casualidade, mas escolha soberana de Deus incompreensível e imutável.
Deus espera, porque há Cristo. Sem Cristo não pode haver esperança, sem esperança não pode haver fé, sem fé não podemos acreditar em Deus, sem Deus o mundo inexiste, sem mundo tudo volta a ser sem forma e vazio. O “ex-nihilo” absolutiza-se em tudo e em todos. Vida sem Cristo, não é vida, é anti-vida, pois a vida é a causa máxima da esperança. Por isso estamos vivos, Deus continua tendo esperança em nós! O quê Deus espera de mim? O desabrochar de uma nova pessoa, o Cristo sendo revelado em meus pensamentos e ações no cotidiano da nossa existência!

A Ele toda a Glória!

ONDE DEUS ESTAVA, QUANDO A TRAGÉDIA ATINGIU O JAPÃO?

Sempre que tragédias como a do Japão acontecem, milhares de pessoas questionam sobre a responsabilidade de Deus diante de tal catástrofe. Vejo outra centena de pensadores e formadores de opiniões tentando criar alguma resposta lógica com base no fundamento; “ação e reação” ou “causa e efeito”, mas no fundo, isso foge de nossa compreensão e limitação reflexiva e teológica.

Somos incapazes de dar uma resposta satisfatória diante de tal tragédia, pois fazemos sempre a pergunta errada. Tentamos achar uma resposta que explique e não uma resposta que console. Não é o “Por quê?” e sim o “Para quê?” 

Quando enxergamos tragédias como estas, como pontes que nos levam a uma dimensão maior de existência, ( e isso não invalida a dor e o desespero de tal situação). conseguimos enxergar uma luz no fim do túnel existencial trágico. Tal como Jó, a mortantade e perda de bens, lhe levou a uma experiência maior de realização existencial.
Quando perguntamos: Por que tantas pessoas morreram? Consequentemente estamos perguntando;  E por que outras viveram? Infelizmente nossa ótica está fixada na perda, e não na graça da sobrevivência, nos que vivem. Choramos os que morrem, mas não damos a mesma intensidade aos que vivem. Há um propósito para além de nossa existência.
Deus está ali no Japão, ressuscitando esperanças de pessoas que perderam tudo, sociabilizando outros que jamais tiveram amigos quando tudo estava bem, unindo parentes que não se falavam a muito tempo, mas perceberam que estão vivos, e que juntos podem reconstruir sua história familiar. Gente que somente diante da tragédia é capaz de perceber a lógica divina. Não é este o paradigma humano? Não somos todos,  filhos da tragédia existencial universal?
Tragédias revelam nossa humanidade e limitação. Tragédias revelam nossa solidariedade escondida. Tragédias revelam o mistério da comunhão e da força da esperança. Tragédias fazem parte da história humana desde o princípio. Sem as tragédias não podemos ser forjados o quê somos.
Os japoneses se levantaram mais uma vez diante desta tragédia. Mais humanos, mais solidários, mais sábios. Jó ao perceber sua incapacidade diante da tragédia, reconheceu a suficiência divina como única amiga na tragédia. Pois sem ela, a tragédia não tem final feliz. Isso só é possível, quando na tragédia estamos acompanhados de Deus.
Portanto respondendo a pergunta; Onde Deus estava, quando a tragédia atingiu o Japão? "Estava" implica falar de um ser sujeito ao tempo, e isso não cabe para Deus que é atemporal. Mas creio ser mais importante fazer a pergunta correta; Onde Deus está? Ele está lá neste exato momento! Reconstruindo a esperança e a solidez humana diante da tragédia no Japão.