31 de jan de 2012

O QUE VOCÊ QUER SER QUANDO CRESCER?...TEOLÓGO???


Quando era menino, jamais pensei que um dia seria um teólogo. Imaginava outras profissões, não uma vocação para a idade adulta. Ser teólogo não é ser um profissinal da fé, mas um vocacionado por Deus. Já ouvi muitos questionamentos sobre teologia, dentro das igrejas. E é quase uma unanimidade, entre irmãos de algumas delas quando dizem: “Cuidado, se estudar teologia perderá a fé!” Será que a teologia não é importante ou necessária nos dias de hoje? Tudo o que precisamos é somente declarar nosso amor por Jesus?
A reforma protestante nasceu como marco dessa mudança de paradigma. Teologicamente a igreja estava tão afastada do propósito de Deus, que se transformou em uma instituição voltada para dentro de si. Era necessário voltar para a iluminação das escrituras. Se hoje existem igrejas denominacionais, pentecostais, históricas e até mesmo aqueles que acreditam que podem ser crentes sem uma igreja, saibam que para isso houve a necessidade de uma reforma teológica, uma volta as doutrinas bíblicas.
No AT, quando o povo de Israel se rebelava contra Deus, ele levantava uma profeta que trazia novamente a “doutrina” do culto monoteísta ao povo. Jesus afirmou que seu propósito era cumprir toda a lei, através da aplicação prática da doutrina no dia a dia, passava dias na sinagoga “ensinando” todo o povo, e João afirmou que Ele era a própria Palavra da Verdade. Deus ao longo da história levantou reformadores, que tinham como único objetivo despertar a igreja de sua apatia e carnalidade, trazendo novamente a reflexão teológica à tona. Enfim, Deus, contou, conta e sempre contará com os teólogos para re-escrever a história.
Portanto, negar a teologia, é negar o próprio Deus. A razão, em nossos dias tem dado lugar ao “sentir” e “perceber” como se a nossa relação com Deus fosse unicamente extra-sensorial. O que não é verdade, Deus se revela na sua Palavra e nas coisas criadas. Amar a Deus é amar a sua palavra, e se devotar a estudá-la e aprender Dele, através da revelação contida na Escritura Sagrada.
Nossa sabedoria, mentalidade, conhecimentos, intelecto, isto é, aquilo que nos difere da maioria dos animais, é e deve ser usado, como instrumentos de adoração a Deus, como? Estudando Teologia, adquirindo “conhecimento a respeito de Deus”.
Vivemos em uma geração facilmente influenciada pela visão de um líder carismático, e se for pragmático também, melhor ainda, pois responde a necessidade do mercado religioso. Tornamo-nos cativos de argumentos que derrubam todo esforço intelectual dentro das igrejas, substituindo a plenitude do Espírito, pela distração ministerial, promovendo doutrinas inúteis e uma vida fadada a mortandade espiritual.
A Boa teologia é aquela pautada nos textos bíblicos, que gera vida abundante, pra quem dela se vale, e que não satisfaz os caprichos humanos. Teologia nada mais é do que o entendimento de quem Deus revela ser e quais os seus feitos por nós. Teologia diz respeito a vida diária, ao nosso relacionamento com Deus e com os outros, e a maneira como nós olhamos o planeta e a criação. Teologia envolve tudo o quê vemos, e até o que não vemos. Teologia são para aqueles que amam a Deus e que jamais gostariam de decepcioná-lo. Estudar teologia é um sinal de maturidade espiritual, como Paulo afirmou:
“Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino." (1 Coríntios 13:11)

30 de jan de 2012

NÃO HÁ FUTURO PRA QUEM VIVE DO PASSADO!


                       
                    “Pare de olhar para onde esteve e comece a olhar para onde pode estar." Esta é a frase qe sintetiza o que quero falar neste post. Somos chamados à olhar para a frente. Apenas voltamos o rosto, para nos lembrar de quais erros não devemos cometer no futuro. Mas parar para lamentar e ficar pensando no que poderíamos ter feito ou não, é um terrível desperdício de energia e reflexão.

Paulo deixou muito claro sobre o que pensar do passado, na sua carta aos Filipenses: "Esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus" (Filipenses 3:13-14). 
Jamais poderemos ter pensamentos alegres acerca do futuro enquanto alimentamos as tristezas do passado. Phillip Raskin mencionou: "Aquele que desperdiça o hoje lamentando o ontem desperdiçará o amanhã lamentando o hoje.”
Não temos permissão para mudar o passado, mas não precisamos condenar nosso futuro por causa dele. Lembre-se sempre, o melhor ainda está por vir! Existem pessoas que apenas vivem da reputação do passado, ou se lamentam por aquilo que o passado lhes tirou. Mas os verdadeiros “bons tempos”, aqinda irão acontecer.
O cristão é ministrado diariamente pelo Espírito Santo a renovar sua esperança. Isto é, acreditar sempre que o presente está construindo um futuro melhor. Ainda não entoamos nossas melhores canções. Ainda não pintamos o nosso melhor quadro, ainda não demos a nossa melhor risada. Repare no que aconselha Eclesiastes 7:10: "Não diga: 'Por que os dias do passado foram melhores que os de hoje?'. Pois não é sábio fazer esse tipo de pergunta."
Nunca permita que o passado ocupe todo o seu presente. Evite pensar demais no passado. Não há nada tão distante quanto uma hora atrás. Saiba que o seu passado jamais se igualará ao seu futuro.

24 de jan de 2012

JESUS E O M.M.A.

Hoje em dia, o esporte que mais cresce no mundo é o famoso MMA - Mixed Marcial Arts (Artes Marciais Mistas), representado pela trupe de Dana White com o seu UFC, e isso é indiscutível. Mas que relação este esporte, considerado um dos ”mais violentos do momento” possui com o Jesus dos Evangelhos. Eu lhes digo: Tudo a ver! Isso mesmo, Jesus e o MMA têm tudo em comum.
Geralmente os mais religiosos se escandalizam, quando promovemos eventos de luta dentro das igrejas, mas olhar deste ponto de vista, só mostra a pequenez das cabeças e corações religiosos.
Um lutador pra chegar no octógono precisa ser disciplinado, corajoso, valente e fiel ao compromisso de conquistar um título, qualidades estas que Deus observou nos grandes heróis da fé do Antigo e Novo Testamento.
Será que o mesmo Deus que ajudou Josué, Davi ou mesmo Gideão em suas batalhas, diga-se de passagem, muito mais sangrentas que a mais violenta luta de MMA, não olharia e se orgulharia destes lutadores. Afinal o objetivo deles é muito mais nobre, pois eles são profissionais, e não colocam a vida um dos outros em risco! Seus objetivos são apenas a coroação de seus treinos com um título de reconhecimento de que foram os melhores.
Tenho o privilégio de ser pastor de uma igreja, onde amanhã acontecerá um evento de MMA (dia 25/01/2012), e estou orgulhoso pela vontade do ministério de Jovens fazer acontecer um evento como esse, pois isso mostra que a perseverança, o comprometimento, e a disciplina ainda são valores que não estão perdidos na sociedade, e principalmente nos jovens.
Acredito que o espírito de um evento deste motiva outros garotos e garotas a procurarem alcançarem objetivos mais nobres. A Vida é uma luta! Até mesmo no céu houve lutas (Ap 12:7). Jesus mostrou que a vida é constituída de aflições, o mundo não é para os fracos, enfim...,poderia citar um monte de frases, mas fico com uma frase citada por Paulo, que viu nos gladiadores de seu tempo uma inspiração para a vida da fé: Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé”.2 Timóteo 4:7
Maiores informações sobre o: 1 Power Vida Fight – Lutando pela vida.

17 de jan de 2012

PORQUE ALGUMAS IGREJAS NÃO CRESCEM?


Amigo(a) pastor(a), vamos refletir um pouco mais sobre a gestão de nossas igrejas dentro da realidade brasileira. Quantos de nós, pastores e líderes de ministérios já paramos para pensar sobre o que fazer para criar um ministério com raízes sólidas, não tendo sempre que gerenciar crises, mas sim gerenciar seus resultados benéficos e um crescimento saudável?

Vivendo por longos em meio a inúmeros líderes, venho pesquisando quais são os prováveis fatores que levam um pastor a manter sua igreja por anos sem inovar, sem estruturar e sem avançar em seu ministério. Tenho me deparado com igrejas que há mais de 10 ou 15 anos ainda não conseguiram criar uma equipe ministerial estruturada, não possuem um departamento de gestão ministerial e muito menos um departamento financeiro transparente, funcional e objetivo.

Muitos se utilizam da própria igreja como um meio de subsistência, uma forma de garantir o sustento da família sem necessariamente precisar trabalhar para alguém. A questão é que o pressuposto da criação de uma igreja não é para subsistência e sim para o crescimento e desenvolvimento, possuindo um papel muito especial na sociedade, para geração de vidas transformadas e fortalecimento da camada social local. A manutenção financeira do pastor é uma consequencia do bom desempenho realizado pelo foco ministerial da igreja, que são em primeiro lugar, as pessoas.

Tenho observado dentro de um número de amostragem bem significativo, que a igreja tem a cara do seu pastor, muitas vezes ela é a extensão de sua personalidade, ou de suas características pessoais. Percebemos claramente que um líder que se identifica mais com a área ministerial provavelmente terá ou tem problemas com as áreas administrativas ou financeiras e vice versa.

Outro fator que tenho observado como limitador de crescimento ministerial, lembrando que estamos navegando em nossa reflexão dentro da pequena e média igreja, é a postura do pastor. Como assim? O pastor é aquele que “trabalha O negócio” e não trabalho NO negócio”. Pastores tendenciosamente assumem papéis que deveriam delegar com mais facilidade, promovendo o desenvolvimento dos outros líderes no ministério, e podendo ter uma visão mais global da igreja.

Quais as origens de comportamentos tão diferentes como os citados acima? Uma das várias respostas é a falta de algumas competências como líderes ministeriais que devem ser investigadas, descobertas e posteriormente desenvolvidas.

Que Deus abençoe o seu ministério e a sua gestão como lider.

11 de jan de 2012

A MALDIÇÃO DA INVEJA EVANGÉLICA!


“Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade.” (Fp 1:15)
Infelizmente evangélicos têm inveja, isso é uma incoerência com o Espírito do Evangelho, mas infelizmente uma triste verdade. E pior, faz parte principalmente, do universo das lideranças eclesiásticas. Um grande número de líderes pregam por inveja, louvam por inveja, promovem-se por inveja e crescem por inveja. Apesar de estarem fazendo coisas corretas e louváveis, sua motivação é mortal e venenosa. 
O invejoso ignora tudo o que é e possui para cobiçar o que é do próximo. A inveja é frequentemente relacionada com a cobiça, que é um desejo por riqueza material, a qual pode ou não pertencer a outros.
A inveja surge do sentimento de que somos incapazes de viver nossos próprios sonhos, de alcançar nossas metas e realizarmo-nos. Por isso, o exemplo daqueles que realizam algo, faz o invejoso lembrar aquilo que ele não “é” capaz de fazer. “A inveja é um pecado do espírito, é o “câncer da alma” (Richard Condon) – é considerado depois do orgulho o segundo pior pecado capital.
A inveja é quando desejamos exatamente o que é do outro, ou desejamos que o outro não tenha aquilo que lhe é de direito. O outro deixe de ser um referencial e passa a ser uma acusação a “suposta” inferioridade do invejoso, por não ter aquilo que o outro possui. A inveja entre em ação quando a felicidade e o sucesso do outro fere o invejoso amargamente.
Hoje é comum ministério que nascem desta motivação, mensagens que são pregadas com esta motivação e líderes que buscam visibilidade por esta motivação, a inveja. A inveja ufana o invejoso de que ele é capaz de conquistar e ter aquilo que o outro conquistou e tem, mas essa motivação maligna, o joga no existencialismo ilusório de ganhar vendo o outro perder. 
A inveja mata, principalmente quem dela se vale para ser e ter o que não é e não pode. Não nos enganemos, os maiores males da igreja não estão fora dela, mas dentro dela. Um ministério construído com inveja gera desgraças, conflitos, confusões, divisões e asfastamentos contínuos. Quando a inveja se instala na motivação de um líder arruína projetos e sonhos no coração de Deus.
Perdoem-me os mais puritanos, mas a máxima popular é real: “ A inveja é uma m...!”

7 de jan de 2012

2012 - NOVOS SINAIS EM ISRAEL E UM TEMPO DE AVIVAMENTO!

A algum tempo atrás, vi pela internet, através de alguns sites cristãos, uma  enxurrada de afirmações sobre a profecia de Ezequiel 47 e um fenômeno chamado “Bolaines” ou em inglês “sinkhole”, que seriam grandes buracos de água doce aparecendo nas margens do Mar Morto. Alguns pastores promoveram seus ministérios com este assunto, baseados em pura especulação sobre o tema, e este assunto também está relacionado com o que vem acontecendo geologicamente com o Mar Morto.
Clique na Imagem para ampliá-la

O Mar Morto  יָם הַ מֶּ לַ ח, Yam HamMélaḥ, "Mar de Sal", também  יָם הַ מָּוֶת, Yam HamMāweṯ, "Mar da Morte"), também chamado de Mar Salgado, Na verdade ele é um grande lago de sal. O Mar Morto está localizado exatamente ao sul do local onde antes foram as famosas cidades de Sodoma e Gomorra (Gn 19). Afirmam alguns que esta é a razão pelo intenso cheiro de enxofre na região. Mais de 1000 buracos tem se desenvolvido na costa do Mar Morto, e mais de 80% destes buracos começaram a partir de 1997.
Clique na Imagem para ampliá-la
Buracos misteriosos, com cerca de 30 metros de diâmetro por 7 de profundidade em média, começaram a surgir nas praias salgadas do Mar Morto e, de dentro deles, surpreendentemente, águas passaram a transbordar! Águas que, apesar de brotarem de um solo extremamente salgado, CONSERVAM-SE DOCES E SAUDÁVEIS! Apesar destas singulares situações, precisamos reconhecer que é bem provável que profecia de Ezequiel descreva um rio espiritual, e não um literal. A topografia necessária para o aumento da profundidade sobre a distância que Ezequiel especificou não se encaixa na paisagem do local em Jerusalém.

Clique na Imagem para ampliá-la
Muitos interpretam este rio como um rio literal no futuro. Mas este rio é uma metáfora espiritual, e ele representa a vida espiritual e de cura para o fluxo da humanidade que crê na soberania de Deus. Creio que os bolaines ou Sinkholes são sinais proféticos de que um tempo sem igual é chegado. Talvez a última grande onda de avivamento oferecido por Deus para a nossa geração antes da volta de Cristo. Apesar de todas estas especulações uma novidade vem chamando muito a atenção desde Agosto de 2011. Um rio descoberto nas galerias subterrâneas de Jerusalém, conforme relatado pelo Jornal Jerusalém Post.

Clique na Imagem para ampliá-la
Este rio subterrâneo é semelhante a dois outros rios na Bíblia: o rio que flui para fora do Jardim do Éden (Gênesis 2:10) e o rio que fluirá na Nova Jerusalém durante o estado eterno (Ap 22:1 - 2;.. cf Sl 46:4; 65:9; Joel 3:18, Zc 14:8. Como o rio em Apocalipse, aquele em Ezequiel fluirá a partir do trono de Deus, pois Ele é a fonte de ambos os rios.  No entanto, haverá um templo na terra milenar, mas não haverá um no estado eterno (Ap 21:22). O rio em Apocalipse também descia a rua da cidade, mas Ezequiel não mencionou nenhuma cidade ao leste do templo, apenas uma ao sul (45:6). Parece que Ezequiel e João viram dois rios diferentes, mas o propósito de ambos os rios foi o mesmo. E é isto que Deus está nos falando nestes dias através deste sinais geológicos: Deus será a fonte de fertilidade, bênção e saúde neste ano de 2012.

QUE ESTE ANO SEJA UM ANO ABENÇOADO E CHEIO DA VIDA DE DEUS EM SUA VIDA. COMECE O ANO MEDITANDO NA PALAVRA DE DEUS E NA SUA SOBERANIA. DEUS O ABENÇOE RICAMENTE.


COMPARTILHE

COBERTURA ESPIRITUAL E APOSTOLADO MODERNO