CRENTES TÓXICOS

Existe um problema sistêmico em toda organização que envolve pessoas, e a igreja não está isenta desta praga social. Refiro-me aqueles indivíduos que prejudicam, adoecem e matam com pequenas porções de veneno psico-emocional o Corpo de Cristo. Fazem uso da falsidade, da informação truncada, de uma mentira repetida, de uma história mal contada, para difamar e corromper amizades, projetos, sonhos e a unidade da Igreja. Estes “crentes” são tóxicos e fazem mal.

Como pastores, deveríamos administrar valores e princípios bíblicos, e não egos e vaidades. Essa toxina entre os crentes corrompe o Corpo e tira dele o foco principal, que é agradar o Cristo, Dono e Senhor da Igreja. Infelizmente pela falta de conhecimento bíblico, muitos se deixam corromper, por esta toxina que arranca a vida e semeia a morte do amor entre as pessoas. Deixando-nas secas e desconfiadas de tudo e de todos.

É por isso que aqueles, que antes eram grandes irmãos, tornam-se inimigos mortais. Aqueles que antes tiveram experiências de comunhão entre si, hoje competem em ministérios diferentes. Aqueles que faziam juras de amor, hoje trocam farpas publicamente. Esse é o trabalho dos crentes tóxicos, trazer desavenças e operar a discórdia no meio da comunidade. Viciando outras nessa toxina da discórdia.

Tolos são os que acreditam nessa toxina. Tolos os que se deixam levar por informações infundadas. Tolos aqueles que assassinam o valor de uma amizade e o potencial de uma relação, porque cegamente acreditam na discórdia, em detrimento do poder do amor.

Mas os que conhecem a Palavra sabem de antemão que no final o amor sempre vence. Isso é bíblico! Se um dia disseminarem a discórdia contra você, retribua com o amor. Não assassine o seu propósito, nem faça valer a opinião do teu inimigo. Quando retribuo na mesma moeda, torno-me igual aquele que me acusa. Esteja vacinado contra esse tipo de gente!

A Ele toda a Glória!