CINCO OBSERVAÇÕES SOBRE A "MULHER DO PASTOR"


Existe uma figura central na vida da igreja, que muitas vezes é abusada, julgada e menosprezada por questões diversas, que é a “mulher do pastor”. Geralmente ela é um grande pilar dentro de sua casa, na vida de seu marido, na criação dos filhos, e até na administração do lar, por conta dos atributos e afazeres do marido em relação a igreja.

Seu trabalho é um trabalho que não é visto ou percebido pela membresia da igreja, mas que é imprescindível para o bom funcionamento do marido no dia a dia do ministério. Nesta reflexão considero algumas proposições relevantes para pensar no papel da esposa do pastor.

1. As esposas sofrem juntamente pelo ministério do marido. Em alguns momentos, minha esposa desejou que eu tivesse um emprego diferente, porém mais do que o meu trabalho, ela sempre apoiou o meu chamado. As esposas sofrem com os salários miseráveis, com as horas intermináveis de aconselhamento, reuniões e planejamento, e até com as amizades falsas que confabulam com a saída do marido na liderança do ministério. E o pior, sofrem em oração, intercessão e motivação, pois muitas estão juntas sem poderem fazer muita coisa, a não ser dizer ao marido: “Estou com você em tudo!”

2. As esposas sofrem julgamentos precipitados. É muito difícil conviver com os olhares julgadores. Ser esposa de um pastor não se traduz na mesma reverência. A esposa é sempre examinada pelos membros: cabelos, unhas, sapatos, roupa, carro, filhos, e até investidas de outras mulheres no próprio marido, enfim, convivem com os olhares e percepções distorcidas de outras pessoas, que pouco sabem ou convivem com o dia a dia da família pastoral.

3. Muitas esposas trabalham para ajudar na renda familiar. Apesar da mídia falar da “riqueza dos pastores” a grande maioria das igrejas e dos pastores, mal conseguem sobreviver com o salário da igreja, e precisam que suas esposas trabalhem fora e os ajudem na renda da família. Além de todo o compromisso ministerial e exigência pessoal, precisam apoiar o rendimento da família. Absurdamente, muitas pessoas pensam que o pastor "vive pela fé", que significa na cabecinha de alguns desavisados; viver de vento.

4. Muitas esposas sofrem caladas. Quantas coisas uma esposa não gostaria de compartilhar com o marido? Principalmente suas preocupações! Mas quando o marido é um pastor, a coisa é um pouco mais complicada, pois um pastor na grande maioria das vezes é o para-raio da congregação, por isso ele chega com a cabeça cheia de problemas dos “outros” e a esposa do pastor, entrega seus temores a Deus para, em algumas situações preservar o marido de sofrer ainda mais.

5. O sucesso do ministério depende muito da esposa do pastor. Aquele ditado que diz: “Atrás de um grande homem, existe uma grande mulher”, também é válido para o ministério pastoral. Portanto é real que, quando a mulher do pastor é uma mulher de Deus, o homem também o será.

Agradeço à Deus pela minha mulher, esposa e principalmente amiga. Ela é a maior prova de que Deus me deseja no ministério, pois colocou uma mulher valente do meu lado. Agradeço à Deus pela esposa do meu pastor, que convive com todas as demandas e é confidente e auxiliadora dele em tudo. Agradeço pelas igreja e membros que reconhecem na mulher do pastor a autoridade necessária e a respeitam como respeitam seus pastores. Que Deus abençoe as esposas, pastoras, bispas e apóstolas de nossos dias.

Um bom site para as esposas e pastoras: http://www.mulheresemdeus.com.br/index.html

Um comentário:

AILTON FLORECIO SOUZA disse...

PASTOR BRUNO O SEU TEXTO É BRILHANTE E MOSTRA O QUANTO SE DEPENDE DE UMA MULHER PARA O SUCESSO MINISTERIAL E NO CHAMADO DE"DEUS" PARA O CUIDADO DE ALMAS CARENTES, "DEUS" SEJA LOUVADO POR COLOCAR AO SEU LADO E DOS PASTORES DA IGREJA APOSTOLICA VIDA NOVA MULHERES TEMENTES A "DEUS", AJUDADORAS NESTA OBRA!!!!!!!!