CELEBRAR OU DEMONIZAR O NATAL?

Por causa de abusos, acréscimos pagãos e do desvirtuamento do sentido, muitos evangélicos têm se posicionado contra as celebrações do natal. Mas todo cristão bem esclarecido sabe que a data de 25 de dezembro foi escolhida muito tempo depois dos apóstolos e por três razões da época: como substituição das festas pagãs da Saturnália, para substituir as celebrações do solstício de inverno, quando era adorado o “Sol Invicto”, e por ser também a data de aniversário do imperador romano Constantino.

Todavia muitos evangélicos acrescentaram à idéia do natal, conceitos de satanismo, bruxaria, consagrações e outras interpretações exageradas sobre seus símbolos e práticas. Evitando inclusive, em casos extremos a opção de celebra-lo, como fazem algumas seitas pseudo-cristãs hoje. Mas diante de tantas opiniões e conceitos, algumas perguntas ficam no ar: Seria errado nos alegrarmos com o nascimento do Salvador, ainda que, saibamos que a Bíblia silencia quanto a data de seu nascimento? Seria prejudicial para a minha espiritualidade, aproveitar o “espírito natalino” da sociedade para reforçar a idéia de solidariedade e ajuda ao próximo?

Para nós cristãos, sabemos que não é só o nascimento de Cristo que está em questão, mas a encarnação do Deus Vivo, a redenção de toda a humanidade. Portanto o natal é significativo, ainda que não promova a exatidão bíblica de data ou seja confundido pelo mundo com muitos acréscimos culturais, é uma ótima oportunidade para ensinarmos e expressarmos doutrinas relevantes do Cristianismo.

O papai noel, a árvore de natal e a troca de presentes, são acréscimos posteriores, frutos do paganismo e principalmente do capitalismo que transforma toda crença em mercado de consumo. Acredito que a nossa ênfase não deve estar em rejeitar a festa ou a data do natal, como fazem alguns evangélicos, mas aproveitar a data para promover o nome de Jesus e as doutrinas bíblicas relacionadas com o Seu nascimento. Devemos seguir o conselho de Paulo: “Sejam sábios no procedimento para com os de fora; aproveitem ao máximo todas as oportunidades”. Colossenses 4:5

Com o amor cristão, podemos trocar o materialismo do natal em espiritualidade, podemos trocar a subjetividade da festa em reflexão que salva. A árvore de natal em Árvore da Vida, o papai noel em Papai do Céu, e parar de bruxificar a festa. Vamos transformar essa realidade religiosa e pagã, onde ninguém comemora pensando no diabo como afirmam alguns fariseus, em realidade afetiva e espiritual que une família e amigos. A vida já é triste demais e difícil demais para alguns. Tentar ver o diabo em tudo, só piora o mundo e o que nele há. Vamos aproveitar as oportunidades como nos aconselha Paulo. Celebremos o natal com gentileza e gratidão em nosso espírito. O verdadeiro conhecimento vem do amor e não do saber.

Nenhum comentário: