ENQUANTO O FILHO MATA SEUS PAIS A BÍBLIA VAI SE CONFIRMANDO


“Porque o filho despreza ao pai, a filha se levanta contra sua mãe, a nora contra sua sogra, os inimigos do homem são os da sua própria casa.” (Miquéias 7:6)

É extremamente difícil aceitar a maldade infantil. Imaginar que podemos estar próximos de crianças com traços monstruosos em suas mentes. Crianças que não se importam com o sofrimento e dor que causam. Mentem, manipulam, maltratam e até matam.

Numa cidade grande como São Paulo é comum ouvirmos casos de menores infratores envolvidos em assassinatos, estupros, assaltos, e outros crimes hediondos, mas esta semana o que chamou a atenção de toda a mídia foi uma chacina na zona norte. Um casal de policiais foi morto, além do filho e das avós. O que chama a atenção neste caso 
é o fato de que o principal suspeito é o único filho do casal. Um garoto de apenas 13 anos de idade, que não chamava a atenção de ninguém e não possuía nenhuma atitude suspeita ou que levantasse indícios de que era uma psicopata.

Cientificamente algumas linhas da psicologia e psiquiatria moderna atestam que algumas crianças já nascem pré-dispostas a se tornarem psicopatas. Afirmam que ganhamos de presente de nossos pais e antepassados uma composição genética específica, que gera uma certa tendência ao distúrbio  psicótico. Mas nenhum gene age no vácuo, é necessário um ambiente que favoreça tal comportamento. Neste caso o pré-adolescente era filho de policiais, o que favorecia uma certa intimidade com situações e conversas do tipo. A medicina já diagnosticou casos de psicopatia e transtorno de condutas em crianças de até nove anos de idade.

Apesar das investigações dependerem dos laudos técnicos da polícia, ainda é precipitado afirmar que foi o pré-adolescente que matou a família, porém se o caso ficar confirmado, apenas concluiremos que a nossa geração está caminhando de acordo com o diagnóstico bíblico de nosso tempo: “Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem...” (2Timóteo 3:1-3)

Escatologicamente, estamos caminhando para o precipício social, para a relativização dos valores da família, para o afrouxamento da sexualidade. Crianças estão nascendo dentro deste caos moral e se tornando sementes da maldade, estes são os rebentos do século XXI. Esse menino que “supostamente” matou seus parentes, nasceu no ano 2000. Nasceu debaixo do terrorismo talibã do 11 de setembro, da guerra do Iraque, da internet livre, do sucesso do UFC, dos lançamentos de Assassin’s Creed, de filmes como Mercenários, enfim, ele nasceu numa época em que a violência se tornou o grande ídolo. Este menino nasceu em tempos noéticos: “A terra, porém, estava corrompida diante da face de Deus; e encheu-se a terra de violência.”(Gênesis 6:11).

A face angelical deste menino na foto, esconde a psicopatia luciferiana. A marca da besta em nosso tempo é a violência em seu mais alto nível, tomando mãos e mentes de crianças inocentes e fazendo o futuro reviver o passado cruel dos dias de Noé. É queridos irmãos estamos mesmo perto do fim!