JESUS... CASADO?

“Se Jesus tivesse sido casado com alguém, isso só o tornaria um homem ainda mais santo” - Mais uma vez, é em tom de brincadeira que recebo a notícia da idéia de Jesus ser casado com Maria Madalena e ainda ter dois filhos.

Esse evangelho “perdido”, declarado pela Biblioteca Britânica como um documento importante por ter mais de 1500 anos e estar escrito nas línguas bíblicas originais, e seus pesquisadores, o professor Barrie Wilson e o escritor Simcha Jacobovic (é óbvio que isso se transformou em um livro - The Lost Gospel / O Evangelho Perdido, em tradução livre), passarem meses traduzindo os manuscritos não é o primeiro a fazer esta declaração. O Evangelho de Filipe, apócrifo escrito no século 3, já declarava histórias desse suposto namoro entre Jesus e Maria Madalena.

Nikos Kazantzakis, ao escrever, “A última tentação de Cristo”, em 1953 e recentemente as ficções de Dan Brown, como o famoso “O Código Da Vinci”, fazem a mesmíssima alegação sobre Jesus ser casado com Maria Madalena. Aliás teoria abertamente defendida pelos teóricos da conspiração, maçons e outras linhas especulativas que dizem que os evangelhos canônicos escondem muitas coisas. 

Não tenho nenhum problema, como teólogo, de aceitar o fato de Jesus ser "casado". Aliás a Bíblia afirma categoricamente que Jesus possui uma noiva, uma esposa. Mas ela não se trata de uma mulher, muito menos de Maria Madalena, que foi uma grande seguidora de Jesus, mas da sua Igreja, a Igreja de todos os cristãos, de todas as épocas, conforme podemos ler em Apocalipse 21:9. É óbvio que Jesus manteve-se celibatário pelo compromisso de sua missão.

Obviamente, estas idéias especulativas, promovem palpiteiros e especuladores que adoram defender o conceito de que a Bíblia contém erros. Isso nada mais é do que boa propaganda para a venda de novos livros sobre o assunto. Afinal estes supostos documentos “alegam" e não podem provar nada. Somente ateístas militantes por bobagens como estas levam a sério estas histórias. Seria mais ou menos pensar o seguinte: Daqui a mil anos, alguém pode achar uma cópia do livro de Dan Brown e dizer que achou uma fonte “extra-canônica”. Isso só evidência o ciclo da ignorância sobre a Bíblia.


Inúmeras pessoas desconhecem os mecanismos históricos e exegéticos que levaram as Escrituras Sagradas à desenvolverem o seu cânon. E cá entre nós, uma “descoberta" dessa perto do Natal, data que mundialmente as pessoas falam sobre Jesus, seu nascimento, etc, é bastante oportuna para vender livros, teorias e afins, não é mesmo?

Nenhum comentário: