AS "LUAS SANGRENTAS" - PROFECIA BÍBLICA OU PROFETADA?

Esta foto é divulgada na Internet, mas é uma montagem
Um fenômeno que está sendo chamado no meio evangélico de “Luas de sangue” ou “Luas sangrentas”, começou a ser divulgado desde fevereiro de 2014, principalmente por Neusa Itioka (http://www.agapereconciliacao.com.br/v3/artigo.asp?id=96) e Valnice Milhomens (http://www.youtube.com/watch?v=MTnJHuY_idQ). Mas um dos primeiros autores do texto original, o pastor americano John Charles Hagee, (http://www.jhm.org) da mega igreja Cornerstone Church, em San Antonio, Texas, afirmou em um de seus cultos ainda em 2013, que haveria um fenômeno astronômico raro durante as festividades judaicas em 2014. Hagee afirma que cada eclipse lunar ocorreria em uma data religiosa significativa: no dia 15 de abril de 2014 e 04 de abril de 2015 (início da festividade judaica de Páscoa/Pessach) e no dia 08 de outubro de 2014 e 28 de setembro de 2015 (que é a Festa dos Tabernaculos/Sukkot). O fato de que as “luas de sangue” aconteçam nestas datas “é algo que tem que ser mais do que uma simples coincidência“, disse o pastor texano.

Hagge sempre promoveu uma leitura de especulação escatológica durante seu ministério, inclusive em 2012 ele fez uma série de sermões sobre o fim do mundo para aquele ano, transmitindo sua mensagem para milhares de pessoas como afirma o jornal americano The Independent (http://www.independent.co.uk/news/science/what-is-a-blood-moon-and-other-questions-about-the-upcoming-apocalypse-9246002.html).

Convencido da importância desse fator, o pastor John Hagee fez um estudo aprofundado sobre esses eventos. Este ano, lançou um livro e um DVD com o título “Four Blood Moons: something is about to change” (As 4 luas de sangue: algo está prestes a mudar). Ele explica que usou as projeções da NASA, relatos históricos e a Bíblia. Seu argumento principal é que ao longo dos últimos 500 anos, três luas de sangue ocorreram no primeiro dia da Páscoa. Estas aparições estão ligadas a alguns dos dias mais importantes da história judaica, conforme especula o pastor Hagge:
1492 – o último ano da Inquisição espanhola, quando os judeus foram expulsos da Espanha.
1948 – proclamação do Estado de Israel e a Guerra da Independência.
1967 – início da guerra dos Seis Dias, quando Israel lutou contra nações árabes e reconquistou Jerusalém como parte de seu território.

Pastores como Hagge, Valnice e Neusa já erraram inúmeras vezes ao profetizarem o fim do mundo, baseados em sinais e observações astronômicas. E assim como aconteceu com a “Profecia Maia” de 2012 e o suposto fim do mundo em 12/12/12, vemos que as “Luas Sangrentas” também fazem parte mais uma especulação escatológica sem fundamento bíblico.

Realmente a lua ficou avermelhada nesta madrugada (14/15-04). E pessoas nas Américas do Norte e do Sul puderam observar o primeiro eclipse lunar completo de 2014. O evento inaugura uma série de 4 eclipses totais, que se estende até 2015. Os astrônomos dão ao fenômeno o nome de tétrade. Somente oito tétrades devem ocorrer durante todo o século XXI. A de hoje é a segunda, segunda a NASA.  Na verdade este fenômeno é chamado de “Dispersão de Rayleigh” e é o mesmo acontecimento que explica porque vermos o céu meio alaranjado-avermelhado no pôr do sol. Consulte o site do Observatório Astronômico Frei Rosário.


Gary DeMar é um conceituado acadêmico e especialista em profecias bíblicas, e ele afirma que é verdade que Deus faz uso do sol, da lua e das estrelas como indicadores especiais para evidenciar sua soberania sobre a história e alertar aqueles que buscam conhecer a vontade dos Senhor, vejamos os exemplos abaixo:
  1. Deus disse a Abraão que seus descendentes seriam como as estrelas do céu (Gênesis 15.5; 26.4 ) e como a "areia que está na praia do mar" (22.17). 
  2. Somos informados de que esta palavra foi cumprida: "O Senhor vosso Deus já vos tem multiplicado, e eis que você é hoje como as estrelas do céu em número" (Deuteronômio 1.10). ..
  3. Também em Gênesis lemos que Israel é representado pelo sol (Jacó), lua (mães das crianças), e as estrelas (11 filhos) (Gênesis 37.9-11). O sol, a lua e as estrelas representam Israel, nome este dado a Jacó. Um exemplo semelhante é encontrado no livro de Apocalipse: “Um grande sinal apareceu no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas, e ela estava com a criança, e ela gritou, por estar em trabalho de parto e na dor para dar à luz" (12.1-2). Porém em nenhum desses exemplos acontece algo com o sol, a lua e as estrelas. Eles apenas representam algo. 
  4. Vemos outro exemplo semelhante no Novo Testamento. Deus descreve sua vinda e calamidade contra Israel (no ano 70 d.C.), quando o exército romano arrasou o Templo (Mateus 24.2) e destruiu a cidade, usando exemplos emprestados do Antigo Testamento: “Logo depois da tribulação daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão (Isaías 13.10; Amós 5.20; 8.9; Sofonias 1.15) do céu, e os poderes dos céus serão abalados" (Mateus 24.29; também ver Hebreus 12:25-29). Mais uma vez, nada físico ocorre no sol, na lua e nas estrelas. Toda a ação e mudança ocorre na Terra em relação a nação de Israel.
Uma das profecias mais citadas para validar as “Luas de Sangue” está no livro de Joel, que é repetida pelo apóstolo Pedro no sermão de Pentecostes no livro de Atos: “E acontecerá NOS ÚLTIMOS DIAS, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos; até sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei do meu Espírito NAQUELES DIAS, e profetizarão. Mostrarei PRODÍGIOS EM CIMA no CÉU E SINAIS embaixo na terra: sangue, fogo e vapor de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes que VENHA o grande e glorioso Dia do Senhor. E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo". (Atos 2:17-21)

Pedro deixa claro que aquelas profecias estavam ocorrendo em seus dias; pois ele disse: “isto é o que foi dito pelo profeta Joel (Jl 2:16 / 2:28-32). Aqueles eram os últimos dias da Antiga Aliança, e Joel não diz que a lua ficaria como uma lua “parecida” com sangue, mas que ela realmente se converteria em sangue. Um dos maiores derramamentos de sangue na história de Israel ocorreram alguns anos depois com a queda do templo de Jerusalém e o extermínio de milhares de judeus no ano 70 d.C.

Há ainda quem acredite que após estas datas em que “a lua se tornará em sangue” começarão os 7 anos de tribulações do governo do Anticristo. Entre os defensores dessa tese, especulasse também que há várias indicações de que a tensão entre Israel e os seus vizinhos muçulmanos está prestes a explodir, o que alimenta ainda mais uma possível aproximação histórica com o apocalipse bíblico e o fim do mundo.

Minha constatação é a seguinte. Todos os anos podemos ser alimentados de idéias, teses e teorias especulativas como estas. É fato que sinais na terra e nos céus fazem parte do “kit fim do mundo”, como também é fato que as pessoas se assustam muito quando se deparam com possíveis evidências de que Deus continua no controle e que cedo ou mais tarde, todos vão ter que conversar pessoalmente com o Criador. 

Mas infelizmente penso que estes assuntos ajudam mais a vender livros, dvds e propagandas, promovendo pessoas e ministérios, muito mais do que a Bíblia Sagrada e a Soberania do Senhor. Depois de muito tempo estudando a Bíblia e as profecias e vivendo em um mundo muito “estranho” como o nosso, cheguei a seguinte conclusão e que me ajuda muito a encarar a volta de Jesus, a máxima é a seguinte: “Viva sua vida e assuma responsabilidades, como se Jesus ainda fosse demorar um pouco mais, mas alimente seu coração e sua fé com a esperança de que Ele está prestes a chegar, que Ele está às portas”.

A Ele toda a Glória!